Carteira Verde e Amarela é uma “brutalidade” com o trabalhador, diz juiz do trabalho

"O governo não tem clareza do que quer para a economia. Prometeram 4 mi de empregos [com a reforma trabalhista] e o Brasil segue afundando"

Reginaldo Malheiro, juiz do trabalho
Reginaldo Malheiro, juiz do trabalho

O professor universitário, juiz do trabalho e doutor em Filosofia Jurídica pela Universidade de Barcelona, Reginaldo Melhado, autor do livro “Metamorfose do capital e do trabalho”, responde à TVGGN o que acha do programa Carteira Verde e Amarelo, criado pelo governo Bolsonaro com a promessa de amparar trabalhadores na informalidade e aumentar o volume de empregos com carteira assinada.

“Uma brutalidade”, diz Melharo, “não faz o menor sentido, inclusive porque a gente tem um capitalismo caipira. (…) Na Bélgica, dirigida por conservadores liberais, vão anunciar a semana de 4 dias de trabalho. (…) Enquanto isso, no Brasil, estamos falando em acabar com o limite de jornada. Isso é anterior ao século 19. Estamos andando para trás. O governo não dirige o País andando para frente, não tem clareza do que quer para a economia. Prometeram 4 milhões de empregos [com a reforma trabalhista de 2017] e o Brasil segue afundando.”

Leia também:

STF deixa direitos sociais de lado quando julga questões importantes para o grande capital

Assista ainda:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome