newsletter

Assinar

Cíntia Alves

O julgamento final do impeachment e a teoria do fruto podre

Jornal GGN – O primeiro e segundo dias do julgamento final do impeachment de Dilma Rousseff (PT) são marcados por bate-boca entre senadores do PT e aliados do governo interino de Michel Temer (PMDB) e pelo embate em torno da suspeição das testemunhas de acusação.

A principal delas, o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas, Júlio Marcelo, foi acusado de usar as redes sociais para incitar a opinião pública contra o governo Dilma. Por isso, o presidente da sessão no Senado, ministro Ricardo Lewandowski, atendeu a um pedido da defesa e o rebaixou de testemunha a informante. Isso significa que tudo que Marcelo falou não tem valor de provas nos autos.

Leia mais »

Média: 4.2 (10 votos)

O homem por trás dos ataques virtuais ao ministro Barroso

Responsável pelo site "Vetorm.com", que denunciou offshore da esposa do ministro do STF, é ligado ao PSDB do Paraná. Ari Cristiano Nogueira já foi condenado por usar ONG para atacar adversários políticos. Publicações contra Barroso revelam a intenção de vê-lo fora da Lava Jato


Jornal GGN – Desde o final de 2015, quando encabeçou uma discussão no Supremo Tribunal Federal que fez a maioria da Corte invalidar a comissão especial do impeachment da Câmara contra Dilma Rousseff, o ministro Luis Roberto Barroso virou alvo preferencial de uma série de textos publicados no site Vetorm.com.

O sítio já abordou a existência de uma offshore nos Estados Unidos em nome da esposa de Barroso, a renovação de um contrato entre a Eletronorte e o escritório de advocacia do pai do ministro, a relação de pessoas de sua família com empresas investigadas pela Operação Lava Jato, entre outros temas que, em tese, denotam falta de “ética e imparcialidade” por parte do magistrado.

Nas últimas semanas, contando com o apoio dos blogueiros de Veja, o portal praticamente passou a fazer campanha para que Barroso seja expulso do STF por ter “favorecido” Dilma ou, no mínimo, impedido de tomar qualquer decisão no âmbito da Operação Lava Jato. Em alguns textos, há pedidos diretos para que ele se declare “suspeito”. Todas as publicações são feitas sem a assinatura de um responsável pelas informações.

Com ajuda de um especialista em web, o GGN descobriu que o Vetorm.com – ou Vetor Mil Documento e Informação – está hospedado na cidade de Davis, na Califórnia (EUA). O registro foi feito em setembro de 2012, com apoio do servidor de DNS da Oi Soluções Empresas, em nome de Ari Cristiano Nogueira. 

Leia mais »

Média: 5 (11 votos)

100 dias de Temer, um governo abençoado pela tolerância

Jornal GGN - Nesta sexta-feira (19), a Folha de S. Paulo publicou uma página inteira no caderno Poder dedicada a um balanço raso do governo de Michel Temer (PMDB), que sobreviveu aos 100 primeiros dias sem grandes arranhões. Pudera. A blindagem da grande mídia, um dos setores que patrocinou o impeachment de Dilma Rousseff (PT), é parte do roteiro.

João Feres Junior, quando da edição fraudulenta de uma pesquisa do Datafolha para dar a Temer alguma aceitação entre populares, disse ao GGN que a imprensa vive um "esforço duplo". "Tem de elogiar Temer ou fazer cobertura neutra, com destaque para política econômica ou coisas positivas e, ao mesmo tempo, tratar Dilma como passado."

Leia mais »

Média: 4 (6 votos)

"Vai ser complicado me acusar de obstruir a Justiça", diz Dilma

Jornal GGN - A presidente Dilma Rousseff comentou, em entrevista à imprensa internacional na quinta (18), a instauração de um inquérito pela Procuradoria Geral da República, com autorização do Supremo Tribunal Federal, para apurar eventual tentativar de obstrução à Lava Jato com a nomeação do ex-presidente Lula para ministro-chefe da Casa Civil. 

O inquérito está assentado no suposto uso do cargo para dar a Lula foro privilegadio, tirando das mãos do juiz Sergio Moro, de Curitiba, as ações contra o ex-presidente.

Leia mais »

Média: 4.3 (12 votos)

Ataque de Gilmar à Ficha Limpa convém a Temer, que está inelegível

Jornal GGN - O ataque de Gilmar Mendes à Lei da Ficha Limpa vem em momento muito oportuno para o grupo que incentiva a candidatura de Michel Temer (PMDB) em 2018, caso seu governo tenha sucesso o bastante para tentar uma reeleição. 

Disse Gilmar - após decisão do Supremo Tribunal Federal muito criticada por praticamente anistiar 80% dos políticos enquadrados como ficha-suja - que a Lei, de tão mal feita, parece ter sido redigida por "bêbados". A OAB, uma de suas patrocinadoras, respondeu que isso não coisa para sair da boca de um ministro do Supremo.

Leia mais »

Média: 1.6 (7 votos)

Praxe da PM é atrapalhar investigações de chacinas, diz dirigente da OAB

Segundo Arles Gonçalves Jr, há anos a Corregedoria da PM em São Paulo tem usurpado as funções da Polícia Civil ilegalmente. “O secretário fica quieto, o governador fica quieto, Tribunal de Justiça, Ministério Público. Todos poderiam tomar uma providência. Ninguém toma.”

Jornal GGN – Uma série de crimes praticados por agentes do Estado, resultando na morte de mais de duas dezenas de pessoas. O motivo? Retaliação ao assassinato de um oficial em São Paulo. A repercussão da chacina de Osasco-Barueri, que completa um ano neste sábado (13), chegou a atrair a atenção da OEA. Acuado, o governo Geraldo Alckmin se apressou em constituir uma força-tarefa com a Polícia Civil como protagonista, para acelerar a investigação e apresentar resultados. Mas a Corregedoria da Polícia Militar também queria participar do filme, e não aceitava ser figurante. Leia mais »

Média: 4 (5 votos)

Segredos, erros, conflitos e nenhum culpado: um ano da chacina em Osasco

Jornal GGN – A chacina em Osasco e Barueri (SP), que deixou pelo menos duas dezenas de mortos e alguns feridos, completa um ano neste sábado (13) sem que nenhum autor tenha sido julgado e condenado à prisão. Até agora, os indiciados por homicídio são agentes do Estado desconhecidos, pois estão protegidos pelo segredo de Justiça. Para dramatizar ainda mais o enredo, o caso guarda uma série de conflitos entre instituições e irregularidades processuais que podem levá-lo à nulidade parcial e esquecimento.

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

O fio de esperança para Dilma e o tapa na cara do Supremo

"O Judiciário brasileiro, por omissão, se recusa a coibir o golpe e fazer respeitar a Constituição do próprio pais", diz Wadih Damous. Deputados esperam que OEA restabeleça direitos de Dilma como fez com o prefeito de Bogotá, na Colômbia

Jornal GGN - Parlamentares contrários ao impeachment de Dilma Rousseff (PT) protocolaram, em Washington, um pedido de liminar à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH-OEA) para restabelecer imediatamente o mandato da presidente eleita antes que o processo de afastamento seja concluído pelo Senado. De acordo com os deputados, pedir socorro no exterior foi necessário porque o Judiciário brasileiro "lavou as mãos diante do golpe". Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)

Aliados de Dilma alertam: impeachment vai blindar Temer na Lava Jato

Atualizada às 12h30

Jornal GGN - O que é mais grave: pedaladas fiscais de Dilma Rousseff para, por exemplo, efetuar o pagamento de Bolsa Família, ou a propina de R$ 10 milhões que a Odebrecht afirma em delação premiada ter pago a Michel Temer em dinheiro vivo? É com esse argumento que os senadores aliados da presidente eleita alertam: se o impeachment for consolidado, Temer será blindado pela Constituição e a Lava Jato não poderá investigá-lo pelos crimes relatados.

Nesse sentido, senadores abriram a sessão do Senado desta terça (9), que discute se Dilma vai ou não ser julgada por crime de responsabilidade fiscal, apresentando algumas questões de ordem. Entre elas, que o processo deve ser suspenso pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski, até que a suposta propina a Temer seja devidamente esclarecida pela Lava Jato.

Leia mais »

Média: 4 (8 votos)

Censura pró Temer repercute no mundo, enquanto brasileiros ironizam a repressão

Jornal GGN - Ao que tudo indica, se a intenção do interino Michel Temer é fingir que não existem protestos no Brasil contra sua permanência no poder em função do impeachment de Dilma Rousseff, a operação "abafa vaia" terá de ser reformulada para alcançar resultados melhores, além de ser estendida ao resto do mundo. Isso porque além dos atos "Fora Temer" Brasil afora, a censura aplicada pela Rio 2016 nos estádios também virou alvo de reportagens da imprensa internacional.

Leia mais »

Média: 4.6 (11 votos)

Censurando protestos contra Temer, Rio 2016 viola lei máxima

"Se você se manifestar com uma faixa 'Fora Temer', nós vamos tomar a faixa. Dentro do estádio não pode. Não vou discutir com você. Você está avisado. Coloca [a faixa] de novo para você ver se não te prendo", ameaçou um agente a serviço da Rio 2016

Jornal GGN - Está na Constituição, mas o comitê organizador da Rio 2016, com anuência do Ministério da Justiça, decidiu ignorar o direito à liberdade de expressão e proibiu cartaz, camiseta, faixa ou qualquer outro item usado em manifestações políticas, tudo para proteger o presidente interino Michel Temer. Nas redes sociais, já circulam vídeos de torcedores abordados por oficiais que ameaçaram dar voz de prisão a quem se atrever a continuar cobrando a saída de Temer da cadeira conquistada através do processo de impeachment.

Leia mais »

Média: 4.5 (17 votos)

"O Brasil não colapsa. O Brasil samba”, diz Procurador Eleitoral de São Paulo

Jornal GGN – “Ainda hoje eu perguntava a um amigo: como foi possível que a ditadura militar no Brasil durasse 21 anos? E como foi possível que essa ditadura militar terminasse sem um estouro, mas com um suspiro. Há uma realidade no desenvolvimento histórico do Brasil sobre a qual eu não tenha a menor condição de oferecer respostas. Estou só trazendo inquietações. Mas a conclusão é que não termina com bang, termina com whisper, como no poema do Eliot [The Waste Land, de T. S. Eliot].”

Foi assim que o chefe da Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, encerrou a entrevista que concedeu ao GGN ainda em julho, para tratar da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que Aécio Neves e Ricardo Ferraço, ambos do PSDB, tentarão aprovar no Senado com ajuda da base governista de Michel Temer (PMDB).

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

O aparelhamento no Ministério de Relações Exteriores por Serra

Jornal GGN – Quem conhece a vida do Ministério de Relações Exteriores (MRE), hoje comandado por José Serra (PSDB), garante que o decreto assinado pelo interino Michel Temer (PMDB) em julho, praticamente uma reforma administrativa a toque de caixa no setor, é uma “bofetada na cara do Itamaraty”.

Leia mais »

Média: 3.2 (13 votos)

Ivan Marx: "Contra o chefe da organização criminosa (Lula), não esperem provas"

Para procurador que ratificou a denúncia de Janot contra Lula, "Delcídio do Amaral não exercia a chefia do esquema criminoso. E, pelo menos nessa atividade de obstruir as investigações, Delcídio aponta Lula como sendo o chefe. (...) A narrativa de Delcídio se demonstrou clara, plausível"

Jornal GGN - Ao ratificar e aditar a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Lula e mais seis na Lava Jato, o procurador Ivan Marx escreveu que a delação de Delcídio do Amaral é "confiável", e que contra o ex-presidente petista não há de se esperar prova material de que tenha ordenado a compra do silêncio do delator Nestor Cerveró, porque um "chefe de organização criminosa" sempre está na "penumbra".

Leia mais »

Média: 1.7 (24 votos)

Cresce a fatura do impeachment

Jornal GGN – Não para de crescer a lista de concessões que o interino e provisório Michel Temer (PMDB) precisa fazer se quiser permanecer no posto conquistado por Dilma Rousseff (PT) até 2018, com 54 milhões e meio de votos. Nesta terça (8), por exemplo, o mais novo relato de barganha parte de peemedebistas que acham que Temer deve entregar o Ministério do Turismo à influência de Renan Calheiros (PMDB) para acelerar o julgamento de Dilma no Senado. Isso antes que a cassação de Eduardo Cunha saia primeiro e o deputado ameace acionar a metralhadora giratória.

Leia mais »

Média: 3.8 (15 votos)