newsletter

O assassinato filmado

CÂMERAS FLAGRAM MOMENTO EM QUE UNIVERSITÁRIO É MORTO COM TIRO-SP

Jovem de 24 anos chegava em casa quando três criminosos o abordaram.
Um deles já deixava o imóvel quando voltou e atirou na cabeça do rapaz.

G1 – São Paulo - Luciana Bonadio - Atualizado em 10/03/2011 19h41

Link: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/03/cameras-flagram-momento-em...

Imagens gravadas por câmeras da residência do universitário Carlos Eduardo de Souza Garcia, de 24 anos, mostram o momento em que ele é atingido por um tiro ao chegar em casa. O crime aconteceu nesta terça-feira (8) na Rua Xavier da Rocha, Vila Prudente, Zona Leste de São Paulo. Socorrido pelos pais, ele recebeu atendimento em dois hospitais, mas morreu. 

O caso foi registrado no 56° Distrito Policial, na Vila Alpina, como tentativa de roubo. O estudante de letras chegou ao imóvel por volta das 20h da terça-feira, feriado de carnaval. Ele passou pelo portão e já estava dentro do quintal quando um homem armado entrou e o abordou. Outros dois suspeitos permaneceram na calçada. As imagens mostram que o criminoso que aponta o revólver para Garcia deixa a residência sem levar nada, mas volta e atira contra a cabeça do rapaz. Ele estava agachado, tentando se proteger.

O tio do jovem, o empresário Danilo da Silva Garcia, de 40 anos, conta que o pai de Carlos Eduardo presenciou a tentativa de assalto. "Meu irmão estava em casa e viu a imagem do filho chegando e o rapaz abordando. Ele foi até a janela e disse que o jovem entregaria tudo", diz. Depois, o pai começou a descer a escada que dava acesso à garagem quando ouviu o tiro.

Os pais colocaram o estudante dentro do carro e o levaram ao Hospital São Cristóvão, na Mooca. Depois, o jovem foi transferido para o Hospital Paulistano, onde morreu. O jovem estudava letras em uma universidade da Zona Leste, segundo a família. No feriado, saiu com uma amiga e retornava para casa quando aconteceu o crime. Além de estudar, Carlos Eduardo Garcia trabalhava com o pai no negócio da família.

O tio conta que o irmão está muito abalado com tamanha violência. "A gente vive em pânico. Eu tenho três filhos e todo dia a gente faz recomendações, mas não podemos viver em uma cápsula", desabafa o empresário. O corpo do jovem foi enterrado na manhã desta quinta-feira (10). O caso será investigado pela equipe do 56° DP. Até a noite desta quinta-feira, nenhum suspeito do crime havia sido preso. 

Caro Fuhge, vistes porque os homicidios em SP caem, pra cima?

O caso foi registrado no 56° Distrito Policial, na Vila Alpina, como tentativa de roubo."

Sem votos
35 comentários

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+35 comentários

e  uma  pena que  jovens como Carlos eduardo, sejam brutalmente  assassinados , e que talvez  esses covardes amanha possam ficar  em  pune, so  espero   que  a  justiça  seja  feita, não  so  pele  lei mas  tambem  a  justiça  divina.

 

  Quanto mesmo o estado gasta pra sustentar cada monstro desse nas prisões? Dinheiro nosso pago por nós através de impostos, para que esses caras, incorrigíveis, quando saírem das prisões trucidem nossos filhos.

  Sinceramente, as vezes eu tenho nojo de viver nesse país.

 

  Pena de morte não resolve nada, e menos ainda em nosso contexto. Imagine-se os processos intermináveis, recursos para abrandamento da sentença, e por aí vai. Em geral, quem pensa em pena de morte como solução imagina pouco mais que execuções em série sancionadas pelo Estado. Isso é absurdo por qualquer parâmetro em um Estado de Direito.

  Não há solução definitiva, já que mesmo em sociedades ditas igualitárias ocorrem/ocorreram crimes. Entretanto, há sim o que fazer:

  1) Reformulação da Polícia. Entrar em detalhes sempre levanta críticas, principalmente dos profissionais da área, mas é difícil classificar o trabalho policial no Brasil como efetivo, rápido ou mesmo racional - o modelo de uma Polícia Militar e outra Civil é um entulho de outras épocas, para não falar pré-Getúlio.

  2) Racionalização do Código de Processo Penal. De tempos em tempos arruma-se algo aqui ou ali, mas... este é o ponto onde o maravilhoso trabalho policial encontra a bagunça judiciária e seus recursos e exigências absurdos, formando uma verdadeira pororoca de incompetência, para proveito dos advogados, sérios ou não.

  3) Endurecimento da penalização (não necessariamente aumento de penas). Desnecessário relembrar que absurdos como liberdade condicional com o cumprimento de 1/6 do prazo previsto desmoralizam qualquer pena. Oras, se a pena estabelecida é X, imaginar que com 1/6 da pena o indivíduo está quites é admitir que a pena inicial era absurdamente alta, o que não parece ser o caso.

  4) Reforma dos estabelecimentos prisionais. Para não se falar em Beccaria e em séculos de condenação a torturas e outras penas degradantes, diga-se que a própria Constituição de 1988 proíbem tais medidas. É mais que sabido que a grande maioria das prisões brasileiras são pouco mais que calabouços imundos. A ideia-base da prisão é impedir que o criminoso continue a prejudicar a sociedade que o cerca (se este sofreu violência de qualquer membro da sociedade, seja este outro preso também), seja para ser curado, re-educado, punido, etc. A ideia de uma 2ª punição embutida na primeira não só degrada o criminoso como a própria sociedade, do mesmo modo que ocorre com a escravidão: cria classes de pessoas (não é outro o objetivo da "prisão especial"!), com subumanos potencialmente merecedores de degradação física e emocional e outros não. NÃO HÁ COMO UMA SOCIEDADE SER SAUDÁVEL COM TAL DIVISÃO.

  X) Direitos Humanos & "Humanos Direitos": afinal, quem vigia os vigias? Quem julga quem é merecedor de direitos mínimos? Talvez duas das maiores deturpações do conceito sejam, de um lado, a ideia de que o criminoso é reativo, ou seja, que age unicamente por influência da sociedade, más influências, espíritos malignos etc. É uma forma de se apagar completamente o livre-arbítrio, de modo que assim não haveria jamais alguém culpado por algo. De outro lado, há a deturpação de que criminosos não merecem tratamento como pessoas, sendo alvos desejáveis de medidas "ad hoc", como torturas. Mesmo que se trate de um torturador, a sociedade que elege como legítimo tais castigos se iguala ao criminoso, pois o que se prega é o retorno da Lei de Talião - nem se fale se isso ocorre fora das leis. Sociedade sem leis é de guerra de todos contra todos. Mais desejável que o criminoso seja encarcerado, num caso mais sério, por décadas.  

 

"Mais desejável que o criminoso seja encarcerado, num caso mais sério, por décadas" Prá quê?

 

Luis Nassif,

 

Por favor nos ajude a que este crime não fique impune!

Como amigos do Carlos Eduardo, nosso Cadu, pedimos que nos ajude a manter o crime na Midia até que TODOS os crimonosos sejam presos.

Principalmente o assassino covarde que voltou apenas pra matar nosso querido amigo.

Cadu era bom filho, bom amigo, ele não merecia isso.

 

Agradeço desde já sua atenção e conto com sua colaboração!

 

Cordialmente,

 

Sheilla

 

E eu só assistindo... E pensando quando as ovelhas vão começar a reagir contra a matança. Que os animais, digo, os criminosos, agem com cada vez mais violência porquê eles sabem que não vão ser punidos por isso, então porquê se importarem? Porquê eles deveriam ser "civilizados"? Só vai piorar mais e mais.

 

Não vejo capacidade do governo agir dentro de uma perspectiva sistemática, algo que envolva segurança, educação, transporte, habitação, meio-ambiente e todo o resto.

Haveria necessidade de ampla e profunda orquestração entre cidades, estados e União para avançar sobre as mais diversas dificuldades que possuímos.

É um puta de um desafio e não é coisa onde basta a vontade. É preciso montanhas de recursos e um  ótimo planejamento.

Coisa para unir universidades de ponta a ponta do país, partidos, sindicados, centros de pensamento.

.

Infelizmente, isso não vai acontecer. As lideranças estão amarradas na lógica do curto prazo. A ação é precária e unidimensional.

E - resultado disso - agimos em função dos acontecimentos que nos pegam - na grande maioria das vezes - com as calças na mão. 

O crack avança..? Montemos centros para dependentes.., As metrópoles caminham para o caos..? Façamos um PAC da mobilidade.., A Reforma Agrária não cumpre seu papel..? Reformemos o INCRA.

.

E assim o barco é tocado.

Lembro como se fosse hoje o primeiro assassinato televisionado que vi. Três policiais do Rio levaram um suspeito para detrás de uma combi e o executaram.

Depois desse, vi uma penca.

A crueldade não é se chocar com a cena, é ter se acostumado com ela.

 

Ando deprimido.

A cada semana um novo caso.

No começo do ano , o assassinato do jogador do Corinthians quando saia de uma festa em Minas Gerais. Ninguém lembra mais disso.

Em fevereiro , o árbitro de futebol Oscar Roberto Godoy quase foi assassinado em tentativa de assalto. Coisa que provavelmente ficou para trás, ninguém se lembra mais.

Em seguida , a moça Vanessa Vasconcelos seqüestrada , estuprada e assassinada em Vargem Grande Paulista , São Paulo. Coisa que todos já esqueceram.

Os dois jovens alvejados num bar próximo à FGV , em São Paulo, com a morte de um deles.

Duas pessoas assassinadas numa tentativa de assalto , após sacarem dinheiro numa agência bancária.

E ao ver este POST , pensei que se tratava do caso do jovem assassinado em Vila Mariana, bairro de São Paulo, ao ter seu carro roubado. Mas não, é mais um caso novo que eu ainda não sabia.

O que consegue ser ainda  mais trágico em tudo isso é que não há qualquer reação , movimento, denúncia, pressão por parte da sociedade organizada.  Cada novo caso é tratado como um acontecimento isolado. Apenas mais um caso ........ Enquanto isso, cada um se tranca dentro de sua casa e torce para que não aconteça consigo e sua família. O apartamento social vai se intensificando : a classe média e os ricos se escondem cada vez mais em edifícios , condomínios fechados e shoppings, circulando com seus carros blindados. Morar em uma casa , em uma rua qualquer, tornou-se inviável na Grande São Paulo.

Além dos homicídios , a quantidade de residências invadidas é impressionante. Pessoalmente, conheço três casos ocorridos com pessoas próximas a mim , entre os últimos meses de 2010 e o começo deste ano.

à   e n o r m e   o n d a   d e   v i olência que estamos vivenciando.Minha sensação é que os criminosos investem cada vez com mais violência. Seja por causa da penetração cada vez mais intensa das drogas , seja por predominar um sentimento de impunidade geral. Menores são utilizados por quadrilhas para cometerem assassinatos, as cadeias se transformaram em centrais telefônicas. A todo instante se noticia que bandidos em liberdade condicional cometeram crimes.

Em acontecimentos trágicos, que vitimam muitas pessoas de uma única vez , há uma comoção social. Como nas quedas dos aviões da GOL e da TAM , nas inundações da região serrana do Rio, ou até em outros países como no terremoto haitiano, a sociedade brasileira se manifesta.

Mas na tragédia diária , difusa , dos homicídios cotidianos, não há motivação para uma ação coordenada da sociedade, apesar de o número de vítimas por ano ultrapassar em muito as piores tragédias coletivas.  A tragédia maior é essa : temos um problema que não é reconhecido. Um país em guerra civil , com invasão externa , ou qualquer zona declarada de combate, sabe contra o quê está lutando e o que tem que eliminar para solucionar o problema.  

A hipocrisia maior que se instalou por aqui faz com que permaneçamos sem reagir , tratando cada caso ocorrido como fato isolado, apenas um crime sem ligação com os demais. Não há pressão para adoção de medidas repressivas maiores contra criminosos, reforma do código penal, do sistema penitenciário , do processo penal.

As pessoas gostam da imagem de que o Brasil é um país naturalmente abençoado. Por aqui nunca teremos vítimas similares dos terremotos chileno, haitianoA coisa é tratada como normal. Apenas mais um crime. , japonês.  Mas se esquecem que o saldo de corpos que enterramos por ano devido aos homicídios é muito superior, e só comparável aos piores lugares do mundo declaradamente em zona de combate.

Cada um se tranca dentro de sua casa e torce para que não aconteça consigo.E a semana que vem , quem estará estampado nos noticiários ?

Cada um de nós torce para que não seja si próprio ou sua família.



 

 

 

Pense que temos as condições ideiais para banditismo em massa:

- O povo é gado. Morrem de medo da idéia de terem que se preparar para se virarem por conta própria (e necessário dado que a polícia por melhor que seja não têm como estar em todos os lugares ao mesmo tempo), e ainda ridicularizam quem "ousa" ter a idéia de pensar e agir diferente;

- As autoridades insistem que o povo deve continuar agindo como gado (medo de revolução?), por mais que elas saibam que não podem estar em todos os lugares ao mesmo tempo para defender o povo;

- Quando conseguem prender um marginal, o marginal dificilmente fica preso. E quando é solto, a única coisa que passa pela cabeça do animal é se "vingar" de quem cometeu a "ousadia" de denunciá-lo ou ajudar a colocar ele na cadeia. Isso inibe o povo de denunciar os marginais;

- Quando uma pessoa para se defender de um marginal mata o mesmo, ELA é que é tratada como "perigoso criminoso" e o marginal é tratado como "coitadinho". Isso faz as pessoas continuarem agindo como gado;

- O marginal sabe perfeitamente do comportamento bovino da população, e se aproveita disso. Por esta razão é que assaltam quando querem e onde querem, têm certeza de que a vítima não vai ou não têm como reagir e se por um acaso forem pegos pela polícia não ficarão presos;

- E finalmente, quando você procura a justiça para se defender dos marginais ou dos criminosos de colarinho branco, descobre que os criminosos mais perigosos e mais truculentos estão no comando dela, usando togas e caros ternos Armani.

 

É caso para abandonar o país por medida de sobrevivência, se for pensar friamente em tudo isso. Fico surpreso que não tenhamos ainda "bondes"  (kombis cheias de marginais armados) pelas ruas queimando e saqueando tudo, dado todos os fatores que descrevi acima e que qualquer um aqui pode atestar como verdades.

 

Pena de morte. Um chorume humano desses não merece sequer a cadeia mais porca que possa existir.

 

Mas é exatamente isto que foi mostrado: a pena de morte. Ou, pior ainda, a morte sem pena. Já estamos neste regime, não precisa mais reivindicar.

Que tal, então, começarmos a mudar as coisas com, por exemplo, a revisão da imunidade parlamentar? Seria, talvez, um belo golpe na impunidade, no vantagismo, na ludibriação e nos principais exemplos de como não se relacionar socialmente e policitamente. Será que não é de lá que vêm os exemplos, as inspirações, os encorajamentos para o que tem acontecido nas ruas?...

 

Eu também me manifesto favoravelmente à pena de morte, em casos inequívocos com este.

Não tenho dúvidas que no dia seguinte à execução do primeiro criminoso deste tipo, as ocorrências caem pela metade.

Mas infelizmente por aqui predomina a hipocrisia, e falar em pena de morte ficou taxado como coisa de ignorante e direitista. Enquanto isso vamos assistindo à população ser trucidade nas mão da bandidagem.

 

Nenhum país do mundo onde há pena de morte confirma a sua esperança de uma queda nos índices de criminalidade da ordem que vc imagina ocorrer.

 

Realmente  ..

GENTE, e o que disse o Ministério da Justiça de Tarso Genro sobre isso ?  ..sim pq ele tem culpa  sim ..ele e o Marcio Bastos tb  ..ou os que vieram antes deles, a turma do MASTURBATÓRIO social

..e agora, o que o Zé Eduardo diz ?  ..ele vai tentar fazer pressão, apresentar projeto pra LEGISLALAR sobre o tema ?  .ou será que ele esta preocupado em desarmar gente inocente

é problema social, desemprego, desalento  ..ou será que de há muito já virou cultura ?  ..o país tá bombando caraca !!! ..arruma oputra desculpa CAMBADA

Nosso problema é que sobram leis pra beneficiar, e pouuos e sensatas, CLARAS, pra punir

Sem benefício algum, sem prisão especial, sem redução de pena, sem foro especial, sem perda de validade por tempo ou idade pra quem MATA pra subitrair bens   ..O BRASIL precisa começar  a exigir CADEIA pra crime de morte motivado pra subtração de bem material, como em sequestros de todos os tipos  tb

30 anos tem que ser 30 anos gregorianos, e não pindorâmicos

se bandido que quiser roubar/traficar, ele  precisa voltar ser "isperto"   ..saber que se filmado (com ou sem autorição) ele esta FRITO ..e não serem estes sádicos aloprados que baleiam todo dia MILHARES de vítmas pelo país inteiro

..e pensar que tem tanto bandidinho pé de chinelo preso  ..francamente

E aí DILMINHA, vai mudar isso, ou vai ser mais do mesmo   ..vai continuar ????

 

"E aí DILMINHA, vai mudar isso...?"

Desconfio que cabe ao Congresso (que não se sabe que rumo tomará) e ao Judiciário...


 

Roma, eu concordo com vc mas quero apenas fazer um pequeno comentário....vc já imaginou se não fosse a inclusão social promovida pelo governo Lula, aonde estariamos com a violência?? 

 

Já está mais que na hora de acabarmos com esta falácia. Proporcionalmente ao número de miseráveis, quantos cometem assassinatos deste tipo?

A ìndia possui um sem número de misseráveis, e em número ligeiramente maior que nós. La esses asassinatos não pululam.

 

Excelente pergunta, Evandro!

Mas lembre-se que estamos no Brasil, e as coisas aqui podem ser diferentes da Índia (quem sabe? Eu não sei, e duvido que alguém tenha a clarividência de saber se o fenômeno é ou não idêntico).

Agora me permita desenvolver a sua pergunta:

"Proporcionalmente ao número de miseráveis (ou advindos do contexto de miséria), quantos cometem assassinatos deste tipo, NO BRASIL?"

Agora, façamos outra pergunta que considero indispensável:

"Proporcionalmente ao número de NÃO-MISERÁVEIS (ou advindos do contexto de miséria), quantos cometem assassinatos deste tipo, NO BRASIL?"

Se você tiver esse valor, essa proporção, diga-me: é a mesma? Se for, pode falar, sim, em falácia. Mas acho que ninguém se importa muito em descobrir a proporção, não é? Ou será, por outro lado, que talvez seja até uma proporção ÓBVIA?

Finalmente, se você NÃO tiver esse valor, essa proporção, você não tem condições de dizer que é uma "falácia" a questão da condição social do indivíduo, NO BRASIL, para INFLUENCIAR (eu não disse determinar) desvios para ações criminais violentas.

Eu vi o vídeo, e fiquei revoltado, e emocionalmente minha reação foi: "não merece viver um ser humano que faz isso". Mas é inútil ter uma reação exclusivamente emocional a isso. RACIONALMENTE, eu avalio que é necessário COMPREENDER O CONTEXTO em que esses atos são praticados. Isso é a coisa mais difícil, porque ninguém quer conhecer esses criminosos, todos querem (e emocionalmente eu também) é expurgá-los, seja atrás das grades para mofar a vida inteira (nem pensar em retorná-loà sociedade, já que ressocialização é -- efetivamente -- um mito) ou seja através da pena de morte, institucionalizada como alguns querem ou através de um linchamento ou grupo de extermínio, como tanto acontece.

 

É isso aí Romanelli,

mas acho que se  a gente

não forçar a barra se unir

num movimento grandioso,

seremos em breve dominados

por esses bandidos.

 

parece que o rapaz tirou uma foto com o celular, dai o bandido atirou  e voltou pra pegar o aparelho

 

Caro Fábio,

Assista ao Vídeo todo.

O assasino, simplesmente, já havia ido embora, mas, resolveu voltar para  matar, apenas por matar, e foi-se, definitivamente, embora; não pegou Celular algum, até porque, se houvesse um Celular, os dois que ficaram à porta, de vigias, já o teriam roubado da vítima.

E, trata-se de um profissional do crime, pois ele, o assassino, foi o único que ficou, sempre, com a aba do boné impedindo que cãmeras filmassem seu rosto. Os outros serão identificados. Veja em "Cliping do Dia"; lá tem a foto dos outros dois.

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

Nassif,

Postei em meu blog matéria: "BRASIL ASSASSINO" - que aborta a atuação truculenta e assassina das Polícias Militares, Brasil afora.  Acho que vale a pena, vc abrir um debate aqui, sobre a atuação das PMs, pois embora a ditadura já tenha sido enterrada, os métodos das PMs, continuam iguais, ou piores.

Veja no blog do paulinho:http://bogdopaulinho.blogspot.com

 

 

Enquanto esse país não resolver o problema da impunidade, associada a uma execução penal leniente, isso só vai piorar.

Em NENHUM PAÍS DO MUNDO um sujeito comete estupro e, após condenado, volta às ruas em apenas dois anos e quatro meses (Pena mínima - 6 anos; cumpriu 2/5, rua)

Em NENHUM PAÍS DO MUNDO um sujeito mata outro por motivo fútil e, após condenado, volta às ruas em apenas quatro anos e oito meses (pena mínima homicídio qualificado - 12 anos; cumpriu 2/5, rua)

Não se venha aqui com aquele lero-lero de "só pobre vai para a cadeia no Brasil". É verdade, mas é também meia-verdade. Trabalho com segurança pública e GARANTO que mesmo o sujeito sendo pobre, se tiver qualquer advogadozinho meia-boca cuidando de seus interesses ele sai rapidinho. Tanto é assim que notícias não faltam de assaltantes, estupradores etc que, com longa ficha corrida, continuam nas ruas cometendo atrocidades.

Também não se fale em "desigualdade social". China, India e Indonésia tem população superior à do Brasil, renda per capita inferior à metade da brasileira, e índices de criminalidade substancialmente menores.

O que falta então? Falta o ESTADO BRASILEIRO tomar vergonha na cara, investir em educação e segurança pública, acabar com esse mito cretino de que o bandido é coitadinho, vítima da sociedade etc, mantê-lo encarcerado por tempo decente, em prisões que não sejam masmorras medievais. NÃO É POSSÍVEL um pais que adora arrotar estar a caminho do primeiro mundo permitir a execução em massa de sua população civil, com as dezenas de milhares de homicídios ocorridos todos os anos em território nacional.

 

 

 

Isso mesmo. Todos para o paredão. Principalmente os cretinos, né.

 

Ué ????

 

Pro Fontinatti !

 

Onde foi que eu disse isso acima?

Investir em educação, segurança pública, e dar pena condizente para quem comete crime hediondo é sinônimo de "paredão"? Releia o último parágrafo. Você acha que em algum país da Europa um estuprador condenado ganha liberdade em dois anos e pouco, ou um homicida em menos de cinco?

Seu comentário e as notas baixas atribuídas ao meu post acima demontram que, infelizmente, a esquerda brasileira em boa parte continua com um esquerdismo juvenil, defendendo criminosos comuns em detrimento de todo o restante da sociedade.

Mais triste ainda é o fato de que a fama de leniência da esquerda com a marginalidade dá espaço político a demagogos de direita, que oferecem ao povo o discurso do "prendo e arrebento". O povo, oprimido pela violência, entre o "prendo e arrebento" e o "bandido coitadinho, vítima da sociedade", vai eleger qual político?

 

Independentemente de sermos de esquerda ou direita ou qualquer outra vertente: Qual o sentido de manter um indivíduo desses presos? Se o prenderem.

 

De que lugar do texto vc extraiu a conclusão que o autor do comentário prega execuções em massa?

Acho que vc precisa de um curso de interpretação de textos...

O foco do comentário é a impunidade.

E antes de chamar os outros de cretino tenha pelo menos certeza de que entendeu o que leu.

 

    Assisti a esta matéria na TV. Chamou-me a atenção tanto a frieza do assassino,em matar por matar,como a frieza da própria TV,que exibe uma imagem destas,muito forte,sem o menor pudor,em qualquer horário. Será que isto é jornalismo? Ou será que isto demonstra a falta de valores por parte dos bandidos e de toda a sociedade?

    Não dá mais para assistirmos a cenas como estas com indiferença. É preciso dar uma basta nesta violência a troco de nada.

 

Eu preferi não assistir.

 

Muito forte.

 

Vladimir, só discordo de você que cenas desse tipo não devam ser mostradas na TV. Deveriam não só mostrar essas cenas como cenas das chacinas que acontecem na periferia. É chocante e a gente precisa desse choque. Curioso é que na matéria do g1 o repórter em nenhum momento chama a atenção para o absurdo de se registrar um caso desses como tentativa de roubo. Interessante é que ele escreve na matéria como foi registrada a ocorrência, o que faz crer que o repórter achou estranho, mas não quis se extender nessa questão.

 

Exatamente... É preciso CHOCAR mesmo, esfregar na cara das pessoas a realidade para ver se elas conseguem finalmente tomar uma atitude. Que os animais em duas patas que fizeram isso estão pouco se lixando para a vítima, e os gordos e ricos juízes e advogados estão encastelados em fortalezas cheias de seguranças e por isso não vão se importar também. Então, quem vai se importar?

 

Já tinha lido em algum lugar sobre isto. Homicídios sendo colocados em B.O's  como outra forma de crime, alterando substancialmente os dados sobre a real situação na Grande São Paulo. Foi um reportagem de alguns anos atrás e envolvia corpos achados nas margens da represa Guarapiranga (desova) que eram relatados como vítimas de afogamento ou suicídio,  em um caso tinha suicídio com 20 tiros, rsrsrsrs....Foi o que levou a fazerem a reportagem, mas não progrediu...

 

Difícil até de encontrar palavras.

 

 

Abominável!