Revista GGN

Assine

O lançamento do Observatório da Corrupção

Do O Globo

OAB lança o site Observatório da Corrupção

André de Souza ([email protected]) e Joelma Pereira ([email protected])

BRASÍLIA - Já está no ar o site " Observatório da Corrupção ", lançado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) nesta quarta-feira para o acompanhamento de processos no Judiciário. Segundo definição do próprio site, ele "será um instrumento para que a sociedade exerça seu insistente interesse no rápido julgamento de casos de corrupção, acompanhando os andamentos e pleiteando os julgamentos em todas as instâncias". No Observatório da Corrupção é possível, inclusive, a participação dos internautas, enviando suas denúncias. O anúncio do observatório já havia sido feito na semana passada e foi discutido, na terça-feira, em audiência pública da Frente Suprapartidária de Combate à Corrupção , no Senado.

O presidente da entidade, Ophir Cavalcante, afirmou que esse é mais um passo para envolver a sociedade na luta contra a corrupção.

- Será um site à disposição da sociedade brasileira para que ela possa conhecer o que acontece hoje e possa denunciar - disse, complementando:

- Para através de sua capilaridade, fazer essa função de controle e pressão legítima.

A escolha da internet se deu, entre outras razões, por questão de custo.

- Não temos condições de fazer uma campanha física, com cartazes. Por isso o mundo virtual. Sabemos da força dela - disse o presidente da OAB.

Cavalcante diz que todos os poderes têm que cumprir sua parte no combate à corrupção.

- Cada um faça sue papel. O legislativo fiscalizando, o executivo cumprindo a lei e o Judiciário julgando.

O presidente da OAB declarou que não é contra a existência de emendas parlamentares para realocar recursos, mas reclamou dos critérios usados atualmente.

- A questão é o critério. Hoje não há nenhum critério técnico, é político.

O site vai permitir que os internautas, sob sigilo, façam denúncias, que, segundo Cavalcante, passarão por uma triagem pela OAB para tomar as providências necessárias e garantir o direito de defesa, "da qual não podemos abrir mão". Ele também mencionou a luta da entidade contra a ditadura militar.

- A nossa participação, da OAB, da sociedade civil, que combateram a ditadura, sempre se fez em favor do país. Agora, é necessário que, conquistada a liberdade, nós cada vez mais façamos com que essa liberdade. tenha um conteúdo social, ético e moral - disse, em referência à corrupção.

Presidente da AMB defende fim do foro privilegiado

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, elogiou a iniciativa da ordem, mas destacou que isso não é suficiente para resolver o problema da corrupção no Brasil. Segundo ele, é preciso acabar com o foro privilegiado e diminuir a quantidade de recursos possíveis na Justiça.

- Eu tenho certeza que esse Observatório vai sinalizar e fazer toda a diferença no acompanhamento desses casos. Mas isso não vai adiantar se o Brasil não abolir o foro privilegiado para autoridades. O STF não tem condições de acompanhar todos os processos - disse.

Por outro lado, ele discordou da posição da OAB, que é contra a abreviação dos recursos possíveis na Justiça para condenar um réu.

- Se nós continuarmos trabalhando com quatro graus de jurisdição, a vítima pode ser qualquer um de nós - disse, em referência à sensação de impunidade entre os criminosos.

O presidente da Comissão de Combate à Corrupção da OAB, Paulo Brêda, destacou que a corrupção retira recursos de muitos para poucos.

- O enriquecimento de poucos contribuiu para a falta de educação de muitos brasileiros - declarou.

Além de Cavalcante e de Calandra, participam do evento, entre outros, o senador Pedro Simon (PMDB-RS), os deputados federais Chico Alencar (PSOL-RJ) e César Colnago (PSDB-ES), o presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), César Mattar, o ex-presidente da OAB Cezar Britto, representante da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP), e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Carlos Moura.

Sem votos

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de ALGOPI
ALGOPI

OAB e a corrupção

Fala sério, OAB!!!

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+55 comentários

ME PARECE QUE A NOSSA CONSTITUIÇAO BRASILEIRA NÃO ESTA SENDO OBSERVADA NEM RESPEITADA PELA COMARCA DE SEROPÉDICA RJ CARTORIO DA 2ºVARA, POIS A CITADA COMARCA A 6 ANOS VEM VIOLANDO OS DIREITOS HUMANOS, MANTENDO UM INCAPAZ EM CONDIÇAO DE ULTRAGEM, TORTURA, CONSTRANGIMENTO ILEGAL,E PERCEGUIÇAO, COLOCOU NESTE INCAPAZ,CRIME SABENDO NÃO EXISTIR E ACOBERTANDO AS VERDADEIRAS CRIMINOSAS TUDO ISSO ESTA ACONTECENDO PORCONTA DE UM BIZARRO TRAFICO DE INFLUENCIA, JÁ TENHO PROVAS CONCRETAS , TENHO UM CD GRAVADO COM INFOMAÇOES FEITA PELO CHEFE DE CARTORIO DESTA CITADA COMARCA RELATANDO COMO FUNCIONA ESTE TRAFICO ESPÉRO QUE O CNJ TOME CIENCIA DESTES CRIMES TENHO TAMBEM 385 PAGINAS QUE COMPROVAM TUDO O QUE RELATEI.

 

Quero enformar mais uma vez a toda sociedade sobre a violaçao dos Direitos Humanos que a comarca de Seropédica esta cometendo espero que o Observatório da Corrupçao entregue ao CNJ o que ele já ttem siencia pois ja é o soficiente para que estas violaçoes e torturas acabem pois ja não aguentamos mais,e quem cometeram estes crimes sejam punidos,porconta das lesoesgravíssimas que fomos acometidos, eu tenho CD gravado com o chefe de cartório revelndo otrafico de influencia que existe a qui na comarca de seropédica e mis 385paginas provando e comprovando o que narrei.

 

Esta iniciativa do Observatorio da Corrupçao é um bem estar para toda sociedade, e uma maldiçao para todos os corrúptos!!!

 

A violaçao dos Direitos humanos esta acomtecendo no rio de janeiro na Comarca de Seropédica Cartorio da 2º Vara que des-de 2006 vem cometendo contra um Incapais, tortura, ultragem, constrangimento ilegal,colocou neste inocente crime sabendo não existir, e com isso levando este incapais a um estado mental mórbito ja fiz vrias petiçoes para que a citada Comarca, mais o trafico de influencia que impéra nesta Comarca não dexa punir os verdadeiros criminosos, vou relatar alguns nomes que contribuiu, com estes trafico de influencia na comarca de SEROPÉDICA, são eles, Anabal Barbosa es prefeito, Darci dos Anjos es prefeito cassado, o vereaor Valter Valeriote o Valtinho do frigoduto , eu tenho todas provas do que narrei iclusive um CD gravado com o chefe de crtorio LUIZ falando das carnes que este valtinho léva para citada Comarca estou a ddisposiçao para qualquer intrevista.

 

Devo confiar num associação de advogados?

 

É só para obeservar ? E tem espelho ?

Primeiro deveria ser definida corrupção. É o que ? Desvio de dinheiro, ou só público ? Vantagens indevidas, desperdicio, propina, o que é ? Como se mede ? Alguem já mediu ? Há métodos reconhecidos de medição ? Sonegação é corrupção também ?

E a corrupção dos governos estaduais conta ? E das prefeituras ? E dos TCs, dos MPs, do Judiciário, das camaras, das assembleias, do senado, do executivo, das estatais, das empresas privadas, dos advogados ? Todas essas conta ?

 

no caso dos politicos, uma parte cobra propina, varia de 5 a 20%, risco de ser pego, tem que "esquentar" origem, alem do dinheiro ser "rateado" entre todos brasileiros, empresas publicas, privadas etc,,,,

ja ADVUGADUS cobram LEGALMENTE ATE 30% para qualquer acao, heranca familia imposto 0% divogadu 20/30%, acho trabalhista, 30% do seu trabalho pro divugadu, acao poupanca, 30% pro divogadu, etc etc etc,,,, se for um corrupto politico pego entao, coitado, divogadu toma tudo que sujeito roubou e mais um pouco,,,,

E TUDO ISSO LEGALIZADO PELA TAR "AOB" AH OTARIO BOBEOU te pegamos

sem contar que um sujeito faz 5 anos de facu reconhecida pela mec, vale nada, se tar AOB nao autorizar sujeiro num pode trabaia,,,,,,

entao vejamos, entre um politico corrupto e um divogadu,,,,eu acho mais honesto o politico, possivelmente cobrou "corretagem" ou comissao menor, geralmente superfatura mas deixa um legado ao povo, veja exemplo do maluf, JA OS DIVUGADU SO TEM COMISSAO nada de legado

 

Prequiça....

http://youtu.be/m0QfM_IJsBw

 

OAB & AMB, modelo  de    correia de transmissão  da mídia   reacionária(PIG).

Ophir,envergonha a tradição   política  de lutas    que ostenta a Ordem. A OAB  RJ,orgulhou seus associados ao opor-se à ditadura.Sofreu atentados  e  vítimas fatais. Contudo ,teve seu momento Ophir,que   quase a destruiu politica e  financeiramente,por dirigentes  portadores de límpidos princípios  ético e morais.

 

rique

Para isto existe órgãos de fiscalização, deveríamos cobrar mais, destes órgãos. Muitas vezes são politicos.

O presidente da OAB/RS é neto de um senhor, não duvido da sua honestidade e de seu avô, mas nos tempos da ditadura, privilegiava seus apadrinhados , no serviço jurídico do Banco do Brasil S/A. Era uma forma de apadrinhamento /"corrupção".

Ele cita encontro com Senador Simon(ético do Mampituba para cima), nesta caminhada/"cruzada" contra corrupção.

Corrupção seletiva, com certeza.

Não me enganam.

 

A OAB está atrasada, a iniciativa deveria ter começado em 1964, mas a OAB meteu o "rabo entre as pernas" e se acovardou.

 

A mim me parece que acabaram de inventar o CANSEI ELETRÔNICO.

Risível. A UDN se atualizando com as novas tecnologias...

 

Agora podemos esperar indignados pedidos de investigação do patrimônio do Paulo Preto, do Detran-SP, das enchentes de SP, da Yeda Crusius, etc...

 

Acomeçar pelo exame da OAB, um pedagio e tanto.

 

OAB??? Cansei....

 

José Antônio

Só espero que não seja mais uma inicitiava do tipo "CANSEI", cuja indignação era altamente seletiva. Assim como ainda é a Folha, o Estadão, a Veja, o Globo, Época e todos os outros veículos das Organizações Globo e suas afiliadas que, só denunciam,  ou até inventam corrupção, quando trata-se do Governo Federal, porém quando é de governos do PSDB (seja estadual ou municipal), passam batidos e fingem que nada acontece. De hipocrisia já estamos cheios!

 

Será que o senador Pedro Simon foi lá para pedir uma investigação séria da ex governadora Ieda Crusius?

O César Colnago (PSDB-ES), vai pedir para investigar a Rádio Arco-iris do Aécio Neves que tomou umas e caiu do cavalo?

Será que a OAB vai denunciar os 30 milhões (dinheiro público) recebidos pelas organizações globos sem licitação?

Estou levando a maoir fé na OAB.

Agora vai. 

 

vamos estudar e ver a transparencia , e quais ações este observatório tomaria sobre a atuação do ministério puplico de são paulo , e tantas omissões quanto a denuncias do estado de são paulo .

 

"O presidente da entidade, Ophir Cavalcante, afirmou que esse é mais um passo para envolver a sociedade na luta contra a corrupção".

Sr. Ophir,começe a observar pelo seu Estado onde um jornalista é perseguido ha anos pela polícia covarde e submissa onde um sócio dos marinho não gosta que sejam apontados as falcatruas que ele e sua família cometem e que o senhor,ao lavar as mãos,querendo imitar o Pôncio Pilatos, disse que o jornalista fica enfiando o bedelho onde não é chamado,o equivalente na sabedoria popular ao  cutucando a onça com vara curta. É muito fácil  assim, não Sr. Ophir? Aos que vcs da OAB,do PIG  que se associam a politiqueiros como o serra,fgagac,álvaro dias e outros classificam de inimigos,os rigores da lei.Aos apaniguados como o virgílio,o torres e outros da bancada do dantas e o próprio,os favores da lei.

A famosa frase do Mello que se diz isento,mas enxerga com um só olho dizendo em 2002 que o Sr. Alkimin já não poderia ter os votos necessários que o levaria à Presidencia da República ao invés de anunciar que o vencedor do pleito era o Sr. Lula , já nos dizia  tudo desde aqueles idos.

Pois é Sr. Ophir,esperamos que através do  observatório da corrupção, a OAB nos explique porque nunca ficou indignada com a roubalheira paulista.

Finalizando quero dizer que como todo brasileiro que respeita as leis,desde uma simples placa de trânsito,nunca fui e nunca serei a favor de corrutos e corruptores. Só não quero que me classifiquem de alienado,otário e outros nomes que saem da boca dos que se acham espertinhos.

 

Esse é o problema do combate à corrupção:

TEM MUITA GENTE OBSERVANDO ... E NINGUÉM FAZENDO NADA DE CONCRETO!

Tem que sair às ruas, sair na porrada, talvez pegar em armas ... senão não muda nunca o Brasil!

 

Vai chegar em Minas? 

 

OW Gloria, aqui no reino de Muamar Neves não tem nenhuma corrupção, circulando...circulando...

 

Uma humilde pergunta :

Quem será o Observador dos Observadores do Observatório da Corrupção ?

Agora uma Sugestão : 

Os integrantes de tão Egrégio Observatório , não devem se mirar no espelho para evitar

a proximidade com corruptos .

 

Só quero ajudar....

 

 

Quero  ver  o  ophir e  seu  amigo d'urso denunciarem  os  corruptores,  muitos  dos  principais  clientes  de  sua  classe e os  colegas  de  carteirinha  que  passam  informações  para  presidiários...

 

lamentável, lamentável mesmo!

a OAB perdeu toda a credibilidade amealhada em anos de luta, de trabalho sério e politicamente comprometido com a democracia. não tem legitimidade para patrocinar nem este, nem qualquer outro fórum que clame por justiça. sem credibilidade se aproveita da onda de denúncias. até que seria este um trabalho interessante, tivesse ela legitimidade. aliás, porque não encampa, de verdade, a proposta da maria rita kehl, acerca dos carrascos da ditadura? ahhhh, clamar por justiça -campo bem específico e próprio da entidade- é demais prá nossa OAB!

salvam-se membros individuais, mas a instituição tem a imagem arranhada. definitivamente. 

 

luz

 

Quando vejo o ociólogo FHC engajando-se na onda moralista contra a corrupção fico matutando, como pode tanto cinismo para empunhar essa bandeira dos velhos golpistas da UDN. É realmente de lascar. Não duvido, do Paulo Maluf aderir a essa marcha morlizante.

 

Orlando

 

 OAB ? sei não hein. Ultimamente os advogados da ordem andam mais preocupados em liberar seus clientes. Outra coisa do gênero, o "transparência brasil", é dirigido por um defensor ferrenho do gilmar "dantas" mendes, o super-herói dos corruptos.

 

Virou moda, a Dilma fazendo historia, agora todo mundo quer faxinar.

 

Estou de saco cheio por tudo que vem acontecendo no país, e nós democratas, não fazemos nada.

Eu inclusive. Parece que estamos todos anestesiados, que fomos dopados. Mas essa lombra vai passar e vamos acordar.

Eu creio !!!

gAS

 

 Nossa!!!!

 Pela repercussão por aqui essa ideia de combater a corrupção  não está sendo bem recebida.

 Vai que essa coisa de "falso moralismo", "hipocrisia", ou "denuncia seletiva" resolve dar certo mesmo....

 Assim não pode, assim não dá....

 

PS- Fiquemos assim: Eu só combato a "minha" corrupção quando você combater a "sua" corrupção....

 Então, ÔBAAAAAA!!!!!

 

Pernambuco falando para o mundo!

Olha o observatorio é mesmo K-olho. So que voce não entendeu o que se escreve por aqui. Se prestar a atenção voce vai entender que a corrupção vai ser observada da mesma maneira que é denunciada ate hoje, isto é, observada  apenas do ponto da direita para esquerda. O que não não torna ninguem inocente. Deixa alguns apenas K-olho. Experimenta abrir os dois olhos.

 

Não vi nem ouvi do senhor Ophir uma única palavra de indignação nos casos escabrosos de corrupção envolvendo grandes empresas e empresárias famosos e endinheiradas.

Está parecendo que o presidente da OAB, pela sua atuação política até então, deve enveredar o novo site para o âmbito da política.

Gostaria de ouvir desse senhor uma única palavra contra os corruptores. Porque no Brasil ninguém fala dos corruptores, só dos corrompidos.

Aliás, é bom lembrar, que não existem corruptores presos no Brasil. Não existem empresários endinheirados atrás das grades.

Com uma justiça canguru (que pula instâncias) e infindáveis recursos que garantem a prescrição o site do senhor Ophir só tem uma razão: a política. Com alvo e endereço certos.

 

  

 

observar sempre foi a praia da oab. com um Observatório então tornarão-se experts em observar. vai observando aí oab, vai.

 

Preparem bem a base de dados que aqui de Santa Catarina vamos mandar um montão de sujeira de corrupçao que a RBS, afialada à globo e detentora de todos os jornais, abafa.

 

Contanto que essa iniciativa um tanto vale tudo da OAB não sirva para criar ou contribuir para mais um fórum de linchamentos. Concordo até nesse ponto e apenas nesse ponto com a AMB que diz que a OAB não tem estrutura para isso. E será que esse deve ser o papel da OAB, meio que substituir os procediemntos do judiciário em um estado de direito por outros, quais outros? Por outro lado espero que essa iniciativa não acabe por assumir um caráter inquisitorial, com a participação exclusiva de advogados e membros seletos do judiciário e da Igreja. A isso se soma o apoio de Jarbas Vasconcelos, Pedro Simon, o que não contribui para demonstrar que esse possa ser um fórum onde se busque práticas onde prevaleçam os princípios da justiça igual para todos, mas sim só para os inimigos...

 

E desde quando denúncia de corrupção precisa de triagem? Que eu saiba, precisa de provas... Isso tá me cheirando a uma turma "cansada"...

 

O fantasioso não é uma alternativa ao racional, pois baseia-se no delírio de uns e na ingenuidade de muitos.

Pode denunciar o Sergio Bermudes? E a mulher do Gilmar Mendes que trabalha no escritório dele? E os advogados que trabalham na obstrução da Justiça para beneficiar banqueiros e empreiteiras? Pra mim o Judiciário é hoje o poder mais podre do Brasil. O Executivo e o Legislativo estão sempre na linha de tiro, já o Judiciário é uma caixa preta que ninguém abre e que paira acima de todos os cidadãos brasileiros.

 

Se tem uma coisa que a OAB sabe fazer pq faz muito, é OBSERVAR a corrupção. Isso só pode ser piada.

 

É isso aí Assis! Pensei do mesmo jeito que você!

Que tal "Observatório do próprio umbigo"?

 

Na falta de qualquer referência aos desvios de grana da despoluição do Tietê, caso Alstom, cratera do metrô, Paulo Preto e tantos outros casos, suponhos que o dono do museu seja o Zé Serra

 

 

...spin

 

 

O Dr. D'urso, poderia disputar a Eleição vindoura, e , defender suas Idéias em Palanque.

 

Será que haverá lugar p/ denunciar os corruptores tb ? Se não, não vale.

 

 

lenita,muito bem lembrado.O cancro maior está nos corruptores. Mas, ninguém fala, ninguém julga e todos protegem.Sathiagraha, Castelo de Areia, etc.Ranço do colonialismo, da "Casa Grande e Senzala"

 

Que tal este observatório de fuxicaria, retirar do baú esta escandalosa denúncia contra o Gilmar D Mendes ?

Este processo foi aberto em 2002, quando o elemento ainda era Advogado Geral da União demotucana, leiam até o final :

 

(www.conjur.com.br - 13 de março de 2008)

Dentro de casa

Supremo julga nesta quinta ação contra Gilmar Mendes

Por Priscyla Costa

O Supremo Tribunal Federal abre a sessão desta quinta-feira (13/3) com um julgamento polêmico. Os ministros vão analisar a ação de improbidade administrativa movida pelo procurador da República Aldenor Moreira de Souza contra o ministro Gilmar Mendes, quando ele ainda era advogado-geral da União — no ano 2002. O STF vai decidir se membro do Ministério Público de primeira instância pode interpelar ministro de Estado. Outra questão é se a Corte é competente para processar e julgar a ação.

O advogado José Levi Mello do Amaral Júnior diz que não é razoável um procurador da República de primeira instância processar ministro de Estado. “Agir assim é colocar o alicerce em cima do telhado”, afirma. Para o advogado, o pleno do STF deve observar na sessão desta quinta-feira o que já é jurisprudência no tribunal. Se ação criminal ou civil contra autoridade com prerrogativa de foro tem de tramitar no STF, o mesmo deve acontecer com as ações por improbidade.

O constitucionalista André Hermanny Tostes, do escritório Tostes e Advogados Associados, acredita que o STF reconhecerá sua competência para processar e julgar a ação. E também a possibilidade de o procurador de primeira instância ingressar com ação de improbidade contra ministro de Estado.

Segundo Tostes, o Ministério Público e seus membros têm titularidade para promover ação de improbidade contra ministro de Estado de acordo com a Lei 8.429/92 (Lei de Improbidade). Além do MP, quem tem a competência são as pessoas de Direito Público. “É claro que existem mecanismos internos para resolução de conflitos, ainda mais quando tratam de questões de relacionamento pessoal, mas não se pode excluir do MPF ou de qualquer cidadão a competência para interpelar autoridades públicas”, afirma.

O caso

O procurador pediu a Gilmar Mendes uma lista com o nome e endereços de todos os funcionários que exerciam cargo comissionado na AGU. O então advogado-geral da União disse que só a Procuradoria-Geral da República tinha competência para tal solicitação. O próprio Gilmar Mendes perguntou a Geraldo Brindeiro, então procurador-geral da República, se ele queria a lista. A reposta foi negativa. A atitude de Gilmar Mendes desagradou Aldenor Souza, que ingressou com a ação.

No julgamento desta quinta, também são réus no processo o então advogado-geral da União substituto, Walter do Carmo Barletta; a então diretora-geral de Recursos Humanos da AGU, Solange Paiva; e o então coordenador-geral de RH da AGU, Aluísio Guimarães Ferreira. Todos eles foram orientados por Gilmar Mendes a não reconhecer a competência do procurador da República para fazer a solicitação e a encaminhar os dados diretamente à Procuradoria-Geral da União, de acordo com o que determina o artigo 8º, parágrafo 4º, da Lei Complementar 75/93.

A rixa entre Gilmar Mendes e Aldenor Souza começou em 2001, quando o procurador da República requisitou força policial para, sob coerção, levar o então secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, para audiência em que se avaliava o caso de um funcionário afastado do órgão. Como advogado-geral da União, Gilmar Mendes assumiu a defesa de Everardo Maciel.

Gilmar Mendes chegou a entrar com representação contra Aldenor Souza, mas o procedimento acabou arquivado pelo Ministério Público da União em dezembro de 2004. O argumento foi o de que o ato tido como abusivo, propositura da ação de improbidade em maio de 2004, tinha prescrito.

Tática de guerrilha

No final de 2006, uma nova polêmica causou crise entre MP e Judiciário. O ministro Gilmar Mendes aproveitou um voto para dizer que membros do Ministério Público usam a ação de improbidade administrativa com fins políticos e pessoais (veja reportagem aqui).

A crítica do ministro Gilmar foi feita ao julgar recurso da prefeita de Magé (RJ), Núbia Cozzolino, acusada de improbidade administrativa. Ele rejeitou o recurso da prefeita por razões processuais, mas repreendeu o comportamento do MP. Para Mendes, o MP usa a ação para fins pessoais, políticos e corporativistas.

Em outra oportunidade, Gilmar Mendes calculou que, de cada dez denúncias levadas ao Supremo, oito são consideradas ineptas. Em contrapartida, pesquisa feita nos MPs estaduais revelou que mais de 50% dos promotores estão descontentes com a atuação do STF.

Depois de citar situações em que o MP teria usado a ação de improbidade administrativa para fins pessoais, corporativistas ou políticos, o ministro afirmou que o foro privilegiado é a maneira que as autoridades têm para se proteger contra perseguições políticas ou pessoais. Para o ministro, essa proteção se faz mais ainda necessária ao serem observadas as punições para o condenado por improbidade administrativa. A punição, tida como civil, pode muitas vezes ultrapassar a punição penal. Para o ministro, os atos de improbidade descritos na Lei de Improbidade Administrativa são “autênticos crimes de responsabilidade”.

As declarações de Gilmar Mendes acirraram ainda mais a disputa de atenção entre Judiciário e MP. As entidades de cada classe se manifestaram para defender seus interesses. A resposta mais forte veio do próprio MP, que passou meses distribuindo notas à imprensa afirmando que as declarações de Gilmar Mendes estavam desamparadas e que a opinião do ministro tinha caráter pessoal.

 

" A injustiça que se faz a um, é uma ameaça que se faz a todos." - Barão de Montesquieu

 

Enquanto não se posicionar sobre Gilmar Dantas (Royalties para o Noblat) e o escandaloso conflito de interesses entre as atividades de seu IDP e o cargo de ministro do supremo a OAB não tem moral para falar de ninguem.

 

Srªs Senadoras e Srs. Senadores, a Transparência Internacional divulgou, nesta terça-feira, a classificação anual dos países mais corruptos do mundo, e a situação do Brasil, sob o império do “lulismo”, só piorou. Demóstenes Torres 08/10/2003

Putz!!! refilmagem de filme ruim não é grande coisas!

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Só vou acreditar no dia em que a OAB lute pela condenação do maior corruptor, cujo nome começa por D. Dantas.

 

Eu também sou DILMA!

O site vai permitir que os internautas, sob sigilo, façam denúncias, que, segundo Cavalcante, passarão por uma triagem pela OAB para tomar as providências necessárias

Entendi, vai ter uma triagem feita pelo Ophir, um serrista roxo, enfim, o filtro vai ser o mesmo do pig. Se fosse prá valer todas as denúncias seriam levadas em conta e não as que, pelo que já se nota, envolvem apenas o governo federal. Afinal de contas é nos governos municipais e estaduais que a grana desaparece como que num passe de mágica. Se o governo for tucano o filtro do Ophir vai complicar para que a denúncia não venha a público.

O Ophir se dedicou de corpo e alma à campanha do Serra, juntou o Ophir e o Durso então:

Edição do dia 26/08/2010

27/08/2010 00h28 - Atualizado em 27/08/2010 00h34

OAB pede que PF investigue quebra de sigilo de pessoas ligadas ao PSDB A quebra de sigilo fiscal dentro da Receita Federal de pessoas ligadas ao PSDB fez a oposição levar o caso ao Ministério Público.

Vladimir Netto Brasília, DF

O tom era de indignação. A OAB quer que a Polícia Federal faça uma investigação.

"A sociedade não pode ficar refém do Estado. A partir do momento em que o Estado impõe o medo à sociedade, invadindo a sua privacidade, isso precisa ser corrigido", afirma o presidente da OAB, Ophir Cavalcante.

O caso aconteceu em outubro do ano passado. Quatro pessoas ligadas ao PSDB tiveram a declaração de imposto de renda violada.

O vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge; o ex-Ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros; o empresário Gregório Marin Preciado, marido da prima de José Serra, e Ricardo Sérgio Oliveira, ex-caixa de campanha do PSDB.

Os dados foram acessados do computador de uma funcionária, com a senha de uma analista da Receita. O presidente do Sindicato dos Funcionários da Receita Federal, Hélio Bernardes, denuncia que o órgão tem sido usado por entidades de classe.

"Nos últimos anos, houve um aparelhamento sindical de uma categoria, um corporativismo exacerbado", afirma.

Os partidos de oposição consideram o caso parte de uma manobra eleitoral e pediram ao Ministério Público que acompanhe as investigações. Para eles, a Receita Federal foi usada politicamente e as informações sigilosas poderiam ser usadas durante a campanha.

"O PT usa o Estado, usa todos os artifícios, todos os mecanismos para se impor, para ganhar as eleições", disse o presidente do PSDB, Sérgio Guerra.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, nega as acusações. "Nós repelimos essas acusações e por isso, mais uma vez, vamos processar o candidato da oposição por acusações irresponsáveis".

O Ministro Marco Aurélio Melo, do Supremo Tribunal Federal, diz que precisa esclarecer o caso. "Evidentemente o Estado é responsável e ai nós temos que estar a frente, quem tem realmente a guarda do sigilo como responsável".

Em nota, a Receita e a Polícia Federal informaram que as investigações estão sendo feitas em conjunto e que as apurações correm em sigilo, em razão das disposições legais.

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2010/08/oab-pede-que-pf-inve...

 

 

...spin

 

 

Coincidência ou não, foi anunciada também a construção do Museu da Corrupção.

Direto do Piauí Herald:

Base aliada anuncia construção de Museu da Corrupção

 

Base aliada anuncia construção de Museu da Corrupção

Ao lado do Museu será aberta uma pizzaria, onde os visitantes poderão confraternizar com corruptos que estão na ativa. A gerência ficará a cargo de Severino Cavalcanti.

BRASÍLIA - Em mais uma etapa da faxina contra a corrupção, a base aliada convocou a imprensa para mostrar o projeto do MuCOR, o Museu da Corrupção. "Em apenas 45 anos, por uma pechincha que não chegará a 3,5 bilhões de dólares, decoraremos uma sala vazia do Congresso Nacional com itens que lembrem a história das pessoas que passaram por aqui", explicou o tesoureiro Delúbio Soares.

O projeto, desenhado por Santiago Calatrava, e erguido por Sergio Naya, terá espaço expositivo para exibir notas frias, contratos superfaturados e até uma réplica da motosserra de Hildebrando Pascoal.

Cada visitante receberá um áudio-guia narrado por Roberto Jefferson e um cartão corporativo.

Haverá também esculturas de cera dos anões do orçamento, dos aloprados, dos acusados do mensalão e de PC Farias. No centro do salão, uma instalação interativa permitirá que o visitante viole o painel do Senado, como fez ACM. Uma tela sensível ao toque também dará ao visitante a oportunidade de privatizar mineradoras, empresas de telefonia e de petróleo a preços camaradas. "Como o museu é interativo e sensorial, aconselhamos os visitantes a guardarem folders e panfletos na meia ou na cueca para que sintam a experiência na própria pele", explicou José Roberto Arruda, curador do museu.

Pensou-se também nas crianças, que poderão divertir-se simulando voos em jatos de empresários, pilotando modelos de helicópteros maranhenses e brincando de pega-pega numa réplica da Casa da Dinda.

Na saída, os frequentadores darão com um Fiat Elba estacionado. Por uma graninha depositada discretamente na mão do vigilante, poderão sair dirigindo. O carro virá com uma bela modelo selecionada por Jeany Mary Corner escondida no porta mala.

Ao cabo do evento de apresentação do projeto, o orçamento do MuCOR já havia aumentado para 4,3 bilhões.

 

esqueceram do estande de tiro ao alvaro...

 

Bingo,

falou em OAB, descofie.

É PIG, na veia.

 

 

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.