Revista GGN

Assine

As complicações deixadas pelo Golpe

Da Unesp

 
Marcos Del Roio, especialista em ciências políticas da Unesp em Marília, aponta as complicações deixadas pelo Golpe Militar.
 
Especial elaborado por Amanda Fernandes, Mayara Oliveira e Renato Coelho.
 

 

Média: 5 (2 votos)
6 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Severino Januário
Severino Januário

Para mim o maior problema

Para mim o maior problema deixado pela ditadura foi o comprometimento ético e moral das Forças Armadas brasileiras. Para nós é este um problema terrível que persiste justo agora que precisamoos mais que nunca dos nossos profissionais da defesa, dado a que somos um pais de riquezas imensas e quase desarmado, em um mundo cada vez mais hostil e violento.  Foi cavado uma espécie de fosso social entre as Forças Armadas e resto do país, muito embora em outras nações mais vellhas os exércitos tenham listas infindáveis de comprometimento moral e ético bem pior do que o nosso.

Seu voto: Nenhum
imagem de Motta Araujo
Motta Araujo

As Forças Armadas Brasileiras

As Forças Armadas Brasileiras são a instituição do Pais com a mais alta avaliação junto à população,  76%. segundo pesquisa bi-a nual da Fundação Getulio Vargas. Pesquisa semelhante é feita pelo instituto chileno Latinobarometro e dá o mesmo resultado. A avaliação é superior a da Igreja Catolica, que está sem segundo lugar.

Aonde as F.A. estão mal é na esquerda radical, na esquerda caviar, na esquerda do dendê e na esquerda trotskysta.

Seu voto: Nenhum

"Uma revolução não é um

"Uma revolução não é um jantar de gala, não é um ensaio literário, não é uma pintura, não é um bordado; não pode avançar de modo suave, gradual, solícito, respeitoso, moderado, linear e modesto." Mao Tse-Tung

 

Em janeiro de 1978,

[...]

O sol levantou-se vermelho no horizonte, os dois lados da estrada estavam cobertos de branco, podia ser neve ou geada, mas também podia ser solo alcalino. Com o motor falhando, chegamos a Shouguang e procuramos um lugar para comer. Era um vilarejo ermo e decadente com apenas uma rua, e nessa rua apenas um restaurante, que, segundo o aviso na porta de vidro, abriria às oito. Começaram a atender às nove, mas não tinham nada a não ser pão dormido. Como estávamos fardados, o atendente até que foi educado e se prontificou a requentar uns pãezinhos para nós. Ofereceu, de cortesia, uma garrafa de água quente e uma porção de picles. Na época, na compra de cada pãozinho ainda era preciso dar - além do dinheiro - um cupom de racionamento de grãos no valor de cem gramas. Mas eu só tinha cupons nacionais de valor alto, para os quais o atendente não tinha troco. Depois de consultar o chefe, ele decidiu aceitar trinta centavos em lugar de cada cupom de quinhentos gramas.

Em 2003, fui convidado a participar da Feira de Horticultura em Shouguang, que tinha se transformado numa cidade moderna, com uma floresta de arranha-céus e avenidas largas. Nas terras outrora desertas, agora enfileiravam-se estufas de plástico. Essas estufas modificaram o cardápio dos chineses, subverteram o ciclo de crescimento das plantas e alteraram os locais de cultivo. Dentro delas, os agricultores locais produzem frutas e legumes jamais vistos ou mencionados, arrancando exclamações de visitantes nacionais e estrangeiros."

Mudança, de Mo Yan. Tradução Amilton Reis. Editora Cosac Naify, 2013. Mo Yan ganhou o Prêmio Nobel de 2012.

Seu voto: Nenhum

"Não há segredo que o tempo não revele, Jean Racine - Britânico (1669)" - citação na abertura do livro Legado de Cinzas: Uma História da Cia, de Tim Weiner. 

Retrocesso

Um Brasil promissor, com reformas de base em andamento, com o presidente Jango tendo acima de 70 de aprovação popular, foi abortado, o pior de tudo é que a mesma mídia que colaborou e apoiou o golpe não mudou, o entulho autoritário permanece no STF, na mídia, ..

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Motta Araujo
Motta Araujo

As Policias Militares existem

As Policias Militares existem há mais de um século, não foram criadas pelo regime militar, a Força Publica de São Paulo, fundada pelo Brigadeiro Tobias de Aguiar, chegou a ter aviação e artilharia, a Brigada Militar do Rio Grande do Sul já era centenaria em 1964, o regime militar sequer mudou as estruturas dessas corporações, formação, patentes, etc.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Mas

Deixou que a PMMG mantivesse os organogramas e funcionalidades mas recolheu TODAS as armas modernas, à época, deixando-a só com os tais F.O. 1908 e COLT 45. Incluindo os TG's. A nossa unidade na cidade chamava-se XY Batalhão de Infantaria e passou a chamar-se XY Batalhão da PMMG. Por volta de 66 ou 67.

Seu voto: Nenhum

É, a precisão do fato é

inversamente proporcional à distância entre o local de narração e o local do evento, ou  pelo tempo entre a data da narração e a data do evento, ou ainda, fortemente dependente da seriedade de quem a narra! 

Certamente um destes casos se aplica aqui.

Algumas das tais Polícias Militares já existiam einda na época colonial, com é o caso da PM de Minas Gerais, se não me falha a memória. 

O que tornou ruim a fama de diversas PMs, especialmente as de São Paulo e a do Rio de Janeiro, é que as ditas PMs foram consideradas forças auxiliares das forças armadas, e na maioria das PMs estaduais, exceto na PM de Minas Gerais, o governo militar impôs algum coronel do exército para ser chefe das mesmas. 

Esses coronéis estavam apenas de passagem pela PM, para assumirem outros postos no exército; assim, a maioria de atuação dos mesmos perante a PM era mais do tipo "não me criem caso, e eu não crio caso com vocês". Daí é que essas PMs, que sofreram a intervenção do exército acabaram se desencaminhando de suas atividades, o que gerou a situação atual.

Já na PM de Minas Gerais, que sempre foi comandada por oficiais da própria PM, o soldado sabe perfeitamente como agir perante estes oficiais, os quais não dão muita trela para irregularidades. 

Nas PMS desandadas, vários soldados chegam nos quartéis à paisana; na PM citada é bastante comum o soldado chegar fardado. Aliás, isto é um sinal claro de como a PM se insere na comunidade em que atua, como também como o soldado se sente perante seu empregador. 

Vale dizer que existe uma grande diferença nas atuações da PM e do exército. Por exemplo, se a ambas é atribuída a missão de tomar uma área habitada, por exemplo, um bairro pobre, a PM entra pelas trilhas, se posiciona nos cruzamentos e procura pelos criminosos. Já o exército simplesmente cerca a área, destrói todas as construções, chegando inclusive a dispersar eventuais moradores. 

 

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.