Revista GGN

Assine

David Miranda

David Miranda responde aos ataques de João Roberto Marinho

Do The Intercept

João Roberto Marinho me atacou no Guardian e tentou enganar o mundo. Eis minha resposta

por David Miranda

O que o mais poderoso homem do Brasil, o herdeiro bilionário do império das organizações Globo, João Roberto Marinho, estava fazendo nos comentários do Guardian? É verdade, seu comentário recebeu um cobiçado tag de ‘recomendado’ pelos editores do Guardian – parabéns, João! – mas ainda assim, não é o lugar onde se espera encontrar o multi-bilionário plutocrata hereditário brasileiro. 

Na dia 21 de Abril, publiquei um artigo no The Guardian, no qual abordava questões sobre o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e o papel da mídia dominante do Brasil, protagonizado pela Globo. João respondeu com raiva – e com óbvias mentiras. Os editores do Guardian puseram seu texto na seção de comentários. Vejam só, João critica meu artigo e me chama de mentiroso em alguns trechos de sua resposta.

Olha, João, como quase todos os brasileiros, eu tive que lutar bastante para ganhar meu espaço. Não herdei uma grande empresa  e alguns bilhões dos meus pais. As coisas que tive que superar na minha vida foram muito mais duras do que seu esforço para me desqualificar com condescendência, e não é difícil demonstrar que sua resposta está cheia de falsidades.

Leia mais »

Média: 4.7 (35 votos)

Impeachment de Dilma está designado para proteger a corrupção, por Glenn Greenwald e David Miranda

Jornal GGN - Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, os jornalistas Glenn Greenwald e David Miranda apontam para o fato "mais bizarro" da crise política vivida no país: o de que quase todas figuras políticas importantes que defendem o impeachment da presidente Dilma Rousseff enfrentam acusações de corrupção mais sérias do que ela, o que vale também para aqueles que podem assumir o poder no caso de um afastamento.

Eles ressaltam que, de Michel Temer a Eduardo Cunha, passando por Aécio Neves e Geraldo Alckmin, importantes adversários de Dilma estão envolvidos em escândalos que "destruiriam a carreira de qualquer um numa democracia minimamente saudável." Para Greenwald e Miranda, é irônico que a presidente seja um dos poucos atores políticos que não está diretamente envolviod em casos de enriquecimento pessoal. 

Os jornalistas também argumentam que estes fatos, somados ao "tratamento abertamente político de Moro" ao ex-presidente Lula e a cobertura "embaraçosamente sensacionalista" do Jornal Nacional, fizeram como que a mídia estrangeira alterasse radicalmente sua percepção sobre a crise brasileira. Leia mais abaixo:

Da Folha

 
GLENN GREENWALD E DAVID MIRANDA
 
 
O fato mais bizarro sobre a crise política no Brasil é também o mais importante: quase todas as figuras políticas de relevância que defendem o impeachment da presidenta Dilma Rousseff –e aqueles que poderiam assumir o país no caso de um eventual afastamento da mandatária– enfrentam acusações de corrupção bem mais sérias do que as que são dirigidas a ela.
 
De Michel Temer a Eduardo Cunha, passando pelos tucanos Aécio Neves e Geraldo Alckmin, os adversários mais influentes de Dilma estão envolvidos em chocantes escândalos de corrupção que destruiriam a carreira de qualquer um numa democracia minimamente saudável.

Leia mais »

Média: 4.7 (18 votos)

Embaixador britânico diz que relações com Brasil não foram abaladas por detenção de brasileiro

Rio de Janeiro – O novo embaixador britânico no Brasil, Alexander Elis, disse ontem (5) que a detenção do brasileiro David Miranda no Aeroporto de Heathrow, no dia 18 de agosto, não abala a relação entre os dois países. Miranda é companheiro do jornalista Glenn Greenwald, que denunciou em reportagens a espionagem de informações pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês).

“Não abala a relação [entre os dois países]. Ele foi detido dentro da lei britânica, foi libertado menos de nove horas depois. Isso fez parte de uma operação policial. É natural, em relações humanas mais estreitas, que vão haver casos assim. Por isso é importante manter a cooperação e o diálogo”, disse o embaixador, que concedeu uma palestra sobre a relação entre os dois países e as oportunidades de negócios bilaterais na Associação Comercial do Rio de Janeiro. Leia mais »

Sem votos

Primeiro-ministro britânico foi avisado previamente sobre detenção de brasileiro

Jornal GGN - O primeiro-ministro britânico David Cameron havia sido previamente alertado pela Scotland Yard a respeito da detenção do brasileiro David Miranda, parceiro do jornalista Glenn Greenwald, do jornal The Guardian, que revelou, por meio do ex-agente Edward Snowden, o programa de espionagem internacional comandado pelos EUA (Estados Unidos). O conhecimento do primeiro-ministro sobre o caso foi confirmado pela secretária do Interior, Theresa May, em entrevistas recentes.

Assim que a detenção do brasileiro no aeroporto de Heathrow, durante conexão entre Berlim e Rio de Janeiro, ganhou as manchetes internacionais, o gabinete do primeiro-ministro se apressou em responder que não sabia da detenção e que a iniciativa partiu unicamente da polícia britânica. O advogado de Miranda, Gwendolen Morgan, que anunciou que o brasileiro vai processar o governo pela detenção, nega o fato – agora confirmado por autoridades do próprio governo.
Leia mais »

Sem votos

Oficiais britânicos destroem discos rígidos do “Guardian”



Jornal GGN
- Oficiais da inteligência britânica invadiram a redação do jornal The Guardian e destruíram discos rígidos de computadores com o objetivo de barrar a divulgação de novas reportagens a respeito do escândalo de espionagem denunciado pelo ex-agente da CIA, Edward Snowden. O caso foi denunciado pelo editor Alan Rusbridger, que acrescentou ainda que o governo britânico vem fazendo forte pressão sobre os jornalista da publicação a entregar todas as informações que Snowden forneceu ao jornal por meio do repórter que divulgou o caso, Glenn Greenwald.
Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Autoridades insistem em obter explicações sobre espionagem e detenção de brasileiro

Brasília – As autoridades brasileiras vão insistir na exigência de explicações e informações sobre o esquema de espionagem de agências norte-americanas a cidadãos brasileiros. A iniciativa foi agravada com a detenção, por quase nove horas, do brasileiro David Miranda no Aeroporto de Heathrow, em Londres (Reino Unido), no último domingo (18). Miranda é companheiro do jornalista do diário inglês The Guardian, Glenn Greenwald, que divulgou informações sobre o esquema de espionagem do governo norte-americano.

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados promove, ao longo da semana, uma série de audiências públicas sobre os desdobramentos do tema. Hoje (20), às 14h30, haverá a segunda parte da audiência pública conjunta com as comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, Fiscalização Financeira e Controle, Defesa do Consumidor e de Legislação Participativa.

Na sessão conjunta, a discussão será sobre as eventuais fragilidades nos sistemas de guarda e fluxo de conteúdo de informações pessoais, oficiais ou economicamente estratégicas do cidadão brasileiro, do Estado e do setor privado. Leia mais »

Sem votos