Revista GGN

Assine

senado

AO VIVO: Senado discute a admissibilidade de Impeachment da presidente Dilma

Jornal GGN - Comissão discute admissibilidade do impeachment. Após votação, caso aprovado, a presidente deverá ser informada e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, deverá assumir este processo. São mais de 60 senadores inscritos para falar. Os debates deverão seguir por todo o dia e também a noite com duas pausas de 1 hora: 12h e 18h. O GGN vai acompanhar os discursos. Os manifestantes serão divididos na Esplanada dos Ministérios, como ocorreu na votação da Câmara. A votação é por maioria simples, ou seja, terá que ter 40 votos mais 1.

Leia mais »

Média: 3 (6 votos)

Serra volta ao Senado em meio a negociações de petrolíferas

Serra e o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry
 
Jornal GGN - O então ministro de Relações Exteriores José Serra (PSDB-SP) pediu demissão, nesta quarta-feira (22), em carta ao presidente Michel Temer. Alegando problemas de saúde, Serra disse estar impedido "de manter o ritmo de viagens internacionais inerentes à função de Chanceler".
 
Justificou ao Planalto que "segundo os médicos, o tempo para restabelecimento adequado é de pelo menos quatro meses". No fim de dezembro, Serra foi submetido a uma cirurgia de descompressão e artrodese da coluna cervical.
 
Apesar da recuperação, boletim médico do Sírio Libanês, hospital em São Paulo onde foi realizada a cirurgia, não destacava gravidade no procedimento. Ao contrário, a nota divulgada no dia 19 de dezembro informava que a cirurgia era, na verdade, uma "técnica minimamente invasiva".
 
Média: 3.9 (7 votos)

Jucá tem razão: Isso aqui é suruba. Mas você não foi convidado, por Leonardo Sakamoto

Jucá tem razão: Isso aqui é suruba. Mas você não foi convidado

por Leonardo Sakamoto

Quem teve estômago para assistir à sabatina de Alexandre de Moraes, indicado a ocupar a vaga de Teori Zavascki como ministro do Supremo Tribunal Federal, saiu com mais uma prova de que uma parte considerável da classe política despirocou e desistiu de manter as aparências.

Mesmo com seu polêmico currículo – que inclui desde uma gestão violenta da segurança pública em São Paulo, passando pela inabilidade em gerenciar uma crise nacional do sistema penitenciário até chegar a denúncias de plágio acadêmico – destacado desde que seu nome foi confirmado por Michel Temer, em nenhum momento ele passou real sufoco. A oposição sumiu, literalmente. Para terem ideia do que foi a sabatina, as cervejas que temos com amigos, no final de semana, contam com mais momentos de treta do que a ovação, desta terça (21), em Brasília.

Leia mais »

Média: 4.4 (18 votos)

Senado aprova Alexandre de Moraes para o STF

 
Jornal GGN - O Senado Federal aprovou por 55 votos a favor e 13 contrários, sem abstenções, a indicação de Alexandre de Moraes para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). 
 
Após a sabatina de mais de 11 horas, e a aprovação de 19 membros de um total de 26 senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o Plenário votou nesta manhã a indicação de Michel Temer para a Corte Maior do Judiciário.
 
O novo ministro ocupará, oficialmente, a vaga deixada por Teori Zavascki, morto em janeiro deste ano. A votação secreta foi concluída às 12h05 desta quarta-feira (22).
Média: 1.5 (8 votos)

CCJ do Senado aprova a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo

Sabatina de Alexandre de Moraes na CCJ do Senado durou mais de 11 horas (Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil)

da Agência Brasil

CCJ do Senado aprova a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo

Ivan Richard Esposito e Mariana Jungmann - Repórteres da Agência Brasil

Após mais de 11 horas de sabatina, com perguntas de 40 senadores, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, por 19 votos a favor e 7 contrários, a indicação de Alexandre de Moraes, 48 anos, para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). A indicação ainda precisa ser votada pelo plenário da Casa, em sessão marcada para esta quarta-feira (22).

Leia mais »

Média: 1.7 (6 votos)

Alexandre de Moraes e as respostas polêmicas: "a imprensa inventa"

Sabatina deve terminar por volta das 20h30 desta terça, seguida de votação. Presidente do Senado, Eunício Oliveira, também pretende concluir votação do plenário imediatamente depois
CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
 
Jornal GGN - Em sabatina, o indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por Michel Temer, Alexandre de Moraes, negou ter trabalhado para a facção criminosa PCC, sobre as acusações de ter recebido R$ 4 milhões de empresa alvo da Operação Acrônimo disse ser "invenção da imprensa" e disse não existir "desmonte" da Lava Jato pelo governo.
 
Até o momento, foram quase seis horas de sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Sobre a Operação Lava Jato, tema recorrente e de interesse dos senadores, sobretudo os aliados e a cúpula peemedebista, Moraes minimizou as críticas contra o governo e sua atuação frente ao Ministério da Justiça.
 
Questionado sobre as mudanças que ocorreram na Polícia Federal desde a sua entrada, disse: "Não há desmonte [da Lava Jato]. Todos os delegados que saíram foram motivados por pedidos. Temos que lembrar que eles têm uma carreira", disse.
Média: 3.2 (5 votos)

AO VIVO: Alexandre de Moraes é sabatinado pelo Senado

 
Jornal GGN - Alexandre de Moraes será sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, nesta terça-feira (21), em sessão prevista para às 10h. Apesar de contar com ampla maioria de apoio, por ser o nome indicado por Michel Temer e com grande trânsito entre políticos do PSDB, a oposição e partidos interessados em pressionar o governo deverão dificultar a aprovação de Moraes.
 
Já se sabe, contudo, que é praticamente impossível impedir que o nome de Temer assuma o Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga que antes era do ministro Teori Zavascki. Apegando-se a um histórico de vida pública e política, a oposição deverá chamar a atenção a trechos polêmicos de seu currículo.
 
Entre as perguntas, senadores da oposição - que se encontraram nesta segunda-feira (20) para definir as questões - devem abordar desde supostas irregularidades, como envolvimento do ministro na Operação Acrônimo, acusado de receber R$ 4 milhões entre 2010 e 2014, até a própria legitimidade de Edison Lobão (PMDB) de presidir a CCJ nesta sessão.
Média: 2 (4 votos)

Após Carnaval, Congresso planeja "condições" para cassação de mandato

Câmara e Senado devem receber os pedidos após a liberação das acusações da Odebrecht, que podem atingir centenas de parlamentares
 
 
Jornal GGN - Diante do avanço das delações premiadas dos 77 executivos e ex-funcionários da Odebrecht, parlamentares da base aliada de Michel Temer preparam medidas de resistência na Câmara e no Senado.
 
Tratam-se de ações para evitar ou restringir os processos de cassações nos Conselhos de Ética do Congresso, responsáveis por apontar ao plenário a quebra de decoro parlamentar e, consequentemente, o fim dos mandatos de deputados e senadores. 
 
Se as delações que já transitam entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Supremo Tribunal Federal (STF) dão conta de centenas de políticos mencionados e mais de 10 partidos, incluindo, ainda, os próprios presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), as duas Casas preparam blindagens.
Média: 3 (2 votos)

Romero Jucá recua de PEC que blindava linha sucessória presidencial

romero-juca_0.jpg
 
Jornal GGN - Após repercussão negativa até entre os próprios parlamentares, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), presidente nacional de seu partido e líder do governo no Senado, decidiu retirar a tramitação de Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tentava blindar os membros da linha sucessória presidencial.
 
A PEC foi protocolada na última quarta-feira (17) e dizia que os presidente da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF) teriam o direito de não serem investigados por eventuais crimes ocorridos antes do mandato, enquanto ocuparem o cargo.
 
A regra já vale atualmente para o presidente da República. Jucá disse que desistiu da PEC atendendo a pedido de Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado. Antes da retirada da tramitação, José Aníbal (PSDB-SP), disse que iria encaminharia um pedido para a Mesa Diretora do Senado para tirar sua assinatura da lista de apoios.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Ação contra Aníbal obriga respostas à denúncia contra Renan Calheiros

 
Jornal GGN - Aproximam-se de julgamentos os caciques do PMDB já denunciados pela Operação Lava Jato. Isso porque o ministro relator Edson Fachin decidiu manter Aníbal Gomes (PMDB-CE) réu de ação penal, nesta terça-feira (14). A medida abrirá para decisões do Supremo contra os políticos já denunciados, sobretudo Renan Calheiros (AL).
 
Isso porque, por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) seguiu o entendimento de Fachin de que a ação penal contra o deputado está clara e não apresenta nenhum impedimento para o investigar.
 
Por outro lado, o deputado federal pelo PMDB é acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. No andamento da denúncia contra Aníbal, a atuação do peemedebista foi associada a supostos crimes cometidos por nada menos que o ex-presidente do Senado, Renan Calheiros.
Média: 5 (6 votos)

Após tentativa de manobra, Alexandre de Moraes será sabatinado em uma semana

 
Jornal GGN - A sabatina do indicado por Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, ocorrerá na próxima terça-feira (21). Após parlamentares governistas prepararem o nomeado por Temer, senadores do PMDB tentaram uma manobra para antecipar a entrevista para esta quarta-feira (15).
 
O líder do governo no Congresso e um dos braços direitos de Temer, Romero Jucá (PMDB-RR), comandou a tentativa de manobra, ao lado do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL). Ambos são alvos da Operação Lava Jato e apoiam Moraes no Supremo, onde o indicado assumirá o posto de revisor da investigação.
 
O regimento interno do Senado determina que a apresentação do relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a indicação do presidente da República deve ocorrer cinco dias antes da realização da sabatina.
Média: 3.1 (7 votos)

Parlamentares preparam Alexandre de Moraes para sabatina, em barco de deputado

 
Jornal GGN - O ministro de Temer licenciado, Alexandre de Moraes, está se preparando para a sabatina no Supremo Tribunal Federal (STF). Para isso, contou com a ajuda de parlamentares, na noite de terça-feira (07), que o anteciparam de possíveis perguntas, em um tipo de sabatina "informal", no barco do senador Wilder Morais (PP-GO), em Brasília.
 
Nesta terça-feira (07), parlamentares fizeram perguntas a Alexandre de Moraes sobre posições do ministro em relação às prisões desde a segunda instância, à Operação Lava Jato, legalização das drogas e suas relações com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).
 
O encontro ocorreu na casa flutuante do parlamentar do PP. Acompanhado do assessor especial do presidente Michel Temer, Sandro Mabel, Moraes foi preparado pelos senadores Benedito de Lira (PP-AL), Cidinho Santos (PR-MT), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Ivo Cassol (PP-RO), José Medeiros (PSD-MT), Sérgio Petecão (PSD-AC) e Zezé Perrella (PMDB-MG). 
Média: 2.8 (5 votos)

Senado aprova MP do Ensino Médio sem alterações

Jornal GGN - Na contramão de tantos protestos e manifestações, o Senado aprovou neste dia 8 de fevereiro, a Medida Provisória da Reforma do Ensino Médio.  O texto do MP foi aprovado por 43 votos a 13, e agora vai para sanção do presidente. O texto final que saiu da Câmara dos Deputados continua, não sofreu alterações no Senado.

Nas principais mudanças que esta MP carrega estão a ampliação de 50% para 60% a composição do ensino na Base Nacional Comum. Os outros 40% pertencem aos chamados intinerários formativos, onde o estudante poderá escolher entre cinco áreas de estudo: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. A MP ainda prevê que os estudantes poderão escolher a área que pretendem abraçar no início do ensino médio.

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

Sabatina de Alexandre de Moraes deve ocorrer dia 22 de fevereiro

 
Jornal GGN - A sabatina do indicado de Michel Temer para ocupar o Supremo Tribunal Federal, seu ministro da Justiça Alexandre de Moraes, deve ocorrer em "no máximo três semanas". Cálculos do PMDB dão conta para a última quarta-feira do mês.
 
A manifestação é do novo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). O parlamentar prometeu nesta terça-feira (07) a data limite e celeridade para a Casa Legislativa sabatinar Alexandre de Moraes na cadeira que substitui Teori Zavascki.  "[A intenção é que] em no máximo três semanas o ministro esteja sabatinado e pronto para ser votado no plenário desta Casa", disse Eunício.
 
A sabatina é feita pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Entretanto, a Comissão ainda não está formada pelo colegiado. Pensando nisso, também nesta terça (07), Eunício pediu rapidez para a indicação das lideranças que vão comandar os trabalhos legislativos.
Média: 2 (4 votos)

Barroso suspende sanção da nova Lei das Telecomunicações

 
Jornal GGN - O projeto de lei que altera a Lei Geral das Telecomunicações voltou ao Senado e teve suspendida a sua sanção pelo presidente Michel Temer. A decisão foi do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendendo parcialmente a um pedido de senadores da oposição.
 
Foram 12 parlamentares do PT, PC do B, PSB, PDT e PMDB que questionaram o projeto, alegando que ele fere a Constituição, gerando "uma mudança radical na prestação de serviços de telecomunicação, com a conversão de contratos de concessão para autorização, perdão de multas, transferência de patrimônio público para empresas privadas".
 
Diante da polêmica do projeto, três recursos contra o texto aprovado em dezembro do último ano foram apresentados para que fosse analisado pelo Plenário do Senado, e não apenas nas comissões especiais.
Média: 5 (1 voto)