SP não está pronto para fim do isolamento, por Luis Nassif

Mas a análise dos novos casos mostra ainda uma curva em ascensão.

Ao contrário do que apregoa o governador João Dória Jr, no Plano São Paulo de relaxamento do isolamento social, a situação de São Paulo, em relação ao Covid-19, está longe de ser tranquila.

Vou apresentar uma série de gráficos, retirados do balanço diário do Ministério da Saúde.

Aqui, um gráfico analisando o crescimento dos óbitos em São Paulo a cada 10 dias. O último dado mostra um crescimento de 32% em relação a 10 dias atrás. O que comprova que a pandemia está longe do pico.

A lógica é que, quanto maior o número de eventos, menor o índice de crescimento, porque em cima de uma base maior. Não é o que está ocorrendo em São Paulo.

Também não confere a informação de que está havendo uma desaceleração em São Paulo em relação ao restante do país. Na média móvel de 7 dias, São Paulo responde por 42% dos óbitos registrados no país. Mantém esse ritmo nos últimos dez dias.

Pode-se argumentar que os óbitos representam o passado – já que há uma defasagem entre o aparecimento do Covid-19 e o momento do óbito. Mas a análise dos novos casos mostra ainda uma curva em ascensão.

O gráfico abaixo mede a variação semanal da média semanal dos casos acumulados. Ou seja, calcula-se a média de casos dos últimos 7 dias e compara-se com o mesmo período de 7 dias atrás. No caso de São Paulo, há um crescimento contínuo acima de 30%.

O crescimento diário das notificações tem sido superior a 3%, chegando às vezes a 4%.

Leia também:  Após alertas de bancários da Caixa, DPU recomenda ações para suspensão de prestações da Faixa 1 do Minha Casa Minha Vida

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Considerando a hipersuperSUBnotificação dos infectados de covid,poderemos ter uma taxa de letalidade(mortes)de 5% ou pode ser uns 2%?VAMOS PARAR A ECONOMIA ENTÃO!?VAI MORRER MAIS GENTE!
    Obs:Aqui(eu) não vai na modinha da mídia metendo o pânico nas pessoas com interesses escusos!!!!

    1
    6
    • J.Marcelo, não seja um cretino. 30 mil irmãos nossos perderam a vida, muitos mais perderão. Isso não é “modinha da mídia”.

      A questão é clara: querem trocar vidas por lucro. Daria para parar por um tempão se esses bilionários pagassem a conta por viver em sociedade. Mas não, acumulam todas as riquezas de forma totalmente imoral e estúpida e ainda exigem que o povo morra para manter o capitalismo funcionando.

      É exemplar que as melhores respostas à Covid tenham vindo de países socialistas. E que país tem os melhores indicadores da América do Sul? A Venezuela.

    • J.Marcelo, não seja um cretino. 30 mil irmãos nossos perderam a vida, muitos mais perderão. Isso não é “modinha da mídia”.

      A questão é clara: querem trocar vidas por lucro. Daria para parar por um tempão se esses bilionários pagassem a conta por viver em sociedade. Mas não, acumulam todas as riquezas de forma totalmente imoral e estúpida e ainda exigem que o povo morra para manter o capitalismo funcionando.

      É exemplar que as melhores respostas à Covid tenham vindo de países socialistas. E que país tem os melhores indicadores da América do Sul? A Venezuela.

    • Como não tem argumentos, diz que são interesses escusos da mídia. Quais? São sócios de funerárias e cemitérios? Leva teu argumento lá no cercadinho do Alvorada.

  2. O Poder do Estado Ditatorial e Absolutista inflando a Histeria e o Caos: Semana passada na Imprensa de Sorocaba/SP: ‘Aumento de mais 62% nos óbitos dentro das residências. E não são casos ligados ao Covid 19’. Então na minha vizinhança, Pessoa Idosa há 4 dias com dores abdominais. E nada confessa, sofrendo calada. Ir ao Pronto Socorro? Mas e a contaminação de doença tão mortífera? E se obrigado a ficar internado devido à tal doença? Com muito custo foi ao Médico. Medicado volta para casa. Morreu hoje às 5 hs da manhã, na sua cama. Histeria, caos promovendo o pânico. Milhares e milhares de mortes no meio de insana guerra política usando farsa, histeria, doença como arma para conseguirem seus objetivos. Até onde poder descer a NecroPolítica Brasileira?! Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação. (P.S. Dória e Imprensa provavelmente colocará na conta de Covid)

    • Censurar ZÉ SÉRGIO é quase tão descabido quanto censurar a matéria. Valeria a homenagem apenas por ser primo de RIVELINO. Mas além desta coincidência familiar, ainda foi o melhor ponta esquerda do Futebol Mundial. Mas se for o nome que tanto incomoda, posso homenagear Pedro Rocha ou Murici Ramalho ou Roberto Dias ou Diego Lugano ou Pablo Forlan ou Dario Pereira ou Valdir Peres ou Rogério Ceni ou Telê Santana ou Raí Souza Vieira de Oliveira ou qualquer outro excepcional Jogador do Futebol Brasileiro. Sem Clubismo é claro !! abs.

  3. Pronto ou não, há de se equilibrar o movimento da epidemia e o movimento da economia. Não dá pra esperar indefinidamente que a chegada do momento ideal, que após dois meses de isolamento ninguem sabe quando virá, até porque não adianta ficar empurrando o problema para cima da população sob a acusação de que as pessoas não ficam em casa, enquanto o governo não faz a sua parte que é possibilitar os testes em massa.
    Ao menos a rede privada poderia estar aplicando os testes o que possiblitaria a classe media fazer. Mas nem isso. Continuar o isolamente sem os testes é inócuo.

  4. O estado de SP se estivesse na lista de MUNDO, estaria em 13° em CASOS e em 10° em MORTES.
    O ciclo da doença (ex.14 dias) na verdade “subnotifica” as mortes, pois (por ex.) em 100 casos notificados no dia 1, seis mortes ocorrerão até o dia 14, somando-se às já existentes no dia 1 (usando letalidade de 6%).
    Enquanto o R0 (taxa de contaminação) não estiver menor que 1, o isolamento precisa ser mantido, lembrando que ele nao é “total” e não chega a 50%.
    Principalmente porque nenhuma outra tática de combate é viabilizada, como testagem, detecção e monitoração geopessoal de infectados, convencimento de uma população dividida, condições sociais e socorro pífio do gov. federal às pessoas físicas e jurídicas.
    Aí, infelizmente só resta, ainda, o isolamento. Ou mais doença.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome