Rede de supermercados da Suécia decide boicotar produtos brasileiros

Do total de 197 agrotóxicos já autorizados neste ano pelo Ministério da Agricultura, 26% são proibidos na União Europeia, em razão dos riscos à saúde humana e ao meio ambiente.

Supermercado da rede sueca Paradiset. Divulgação

da RFI

Rede de supermercados da Suécia decide boicotar produtos brasileiros

A rede sueca de supermercados Paradiset anunciou nesta quarta-feira (5) um boicote a todos os produtos do Brasil, em consequência da liberação recorde de novos agrotóxicos pelo governo brasileiro. Do total de 197 agrotóxicos já autorizados neste ano pelo Ministério da Agricultura, 26% são proibidos na União Europeia, em razão dos riscos à saúde humana e ao meio ambiente.

Claudia Wallin, correspondente da RFI em Estocolmo

“Precisamos parar (o presidente) Bolsonaro, ele é um maníaco”, disse à RFI o presidente do grupo Paradiset, Johannes Cullberg.

“Quando li na imprensa a notícia da liberação de tamanha quantidade de agrotóxicos pelo presidente Bolsonaro e a ministra (da Agricultura) Tereza Cristina, fiquei tão enfurecido que enviei um email a toda a minha equipe, com a ordem ‘boicote já ao Brasil’”, acrescentou Cullberg.

A Paradiset é a maior rede de produtos orgânicos da Escandinávia. Ela já retirou de suas prateleiras os seguintes produtos brasileiros: quatro diferentes tipos de melão, melancia, papaya, limão, manga, água de coco e duas marcas de café, além de uma barra de chocolate que contém 76% de cacau brasileiro em sua composição.

Apelo por apoio de outros supermercados

Presidente do grupo Paradiset, Johannes Cullberg.Kate Gabor

“Não podemos em sã consciência continuar a oferecer alimentos do Brasil a nossos consumidores, num momento em que tanto a quantidade como o ritmo da aprovação de novos agrotóxicos aumenta drasticamente no país. Decidimos portanto retirar os produtos de nossas prateleiras”, disse Johannes Cullberg em comunicado divulgado à imprensa sueca e publicado com destaque pelo Dagens Nyheter, um dos maiores jornais do país.

Leia também:  Projeto para acabar com ensino integral é atraente só para as piores faculdades, por Luis Felipe Miguel

“Não temos carne brasileira em nossas lojas, e certamente não iremos comprar”, acrescentou Alexander Elling, assessor de comunicação da Paradiset.

Cullberg espera que sua ação possa levar outros fornecedores a aderir ao boicote. “Não podemos aceitar este tipo de atitude insana em relação ao nosso planeta, ao nosso povo e à nossa saúde”, destacou o presidente.

Glifosato

Três dos 31 agrotóxicos liberados mais recentemente no Brasil são de produtos que usam como base o glifosato, substância classificada pela OMS como potencialmente cancerígena e que é alvo de milhares de ações judiciais no Estados Unidos. Estudos recentes também comprovaram a relação entre o glifosato e o linfoma Não-Hodgkin, um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) alertou que, mesmo que alguns dos efeitos de intoxicação por agrotóxicos sejam classificados como medianos ou pouco tóxicos, não se deve perder de vista os “efeitos crônicos que podem ocorrer meses, anos ou até décadas após a exposição, manifestando-se em doenças congênitas” como câncer, malformação congênita, distúrbios endócrinos, neurológicos e mentais.

Segundo o sueco Johannes Cullberg, o Brasil já teve uma das mais progressistas estratégias de alimentação do mundo, mas agora os consumidores do país estão expostos a produtos extremamente perigosos. “Isto é uma loucura”, destacou Cullberg.

“Não posso escolher o presidente do Brasil, mas posso escolher o que vou comer.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Após acordo com Mercosul, empresário sueco promete cruzada contra produtos brasileiros

12 comentários

  1. Vao se catar .A autirizacao foi agora ai vcs vem retirar produtos brasileiros das prateleiras deem um tempo.

    3
    4
  2. E a rede trabalha com produtos orgânicos, que teoricamente não usam agrotóxicos em seu processo produtivo. Faz bem pela campanha em si. O problema é que não toca este povo insensato e insensível. Amanhã na sua live semanal, Bolsonaro se gaba pelo país estar enviando mais três caminhonetes, agora carregadas de abacaxis para o Chile.

  3. é o brasil “representado” pelo decrépito bozo fazendo “bonito” lá fora. ñ se preocupem “bozonança” os produtos serão vendidos no brasil mesmo, afinal já que produz então consome! lá fora ñ são otarios mas aqui… haja visto o perdulário que colocaram no planalto!

  4. Sou totalmente a favor do controle dos agrotóxicos, mas essa rede de supermercados foi Irresponsável e com intenção de se alto promover. Antes deveria advertir e não sair boicotando, acho que é uma atitude arrogante e egoísta que prejudica toda uma cadeia de produção de um país ainda pobre como o nosso. Não temos sempre que abaixar a cabeça para o que dizem os europeus, afinal não tem tanta moral assim, é só ver toda a destruição que fizeram no passada recente do planeta. O Brasil se tornar cada vez mais o celeiro do mundo e bom que eles tenham isso na cabeça quando os alimentos por lá ficarem escassos.

    1
    3
  5. Caramba, será que esse presidente não acerta uma, uminha que seja?

    Bem… na verdade não é Bolsonaro. Esse é apenas um palhaço a fazer macaquices para distrair o povo, por ódio ou idolatria. (Bolsonaro está se tornando o vilão que a gente adora odiar, e isso é um perigo!)

    O que mata são as empresas privadas do dólar sem o menor escrúpulo, o menor cuidado com a coletividade. Aliás como são – e devem ser mesmo – as empresas privadas. Por isso é que o estado tem que ser pelo menos mais forte que a mais forte das empresas privadas, não para conter o ímpeto privatista por lucro – esse é o atributo essencial dessas empresas – e sim para regular o que essas empresas colocam à venda.

    Na prática a tal “mão invisível” do mercado não é democrática, não é invisível – sabemos seus nomes e, como diz o poeta, os “nomes dos seus sócios” – e menos ainda controlada compartilhadamente pelas empresas e consumidores. Na verdade, uma ditadura. Como a que mantém e controla os palhaços, Bolsonaro, Moro e demais políticos pop.

  6. Pode ter havido pitada de oportunismo, mas é isso aí. País autoritário, dos mais desiguais do mundo, dominado por evangélicos que pregam e fazem o oposto do que disse o tal messias deles… q elegeu um cara q só baba ódio. ESse país tem que sofrer, sofrer, sofrer, até q as pessoas aprendam algo. Se não aprenderam nada com o governo do PT (acham q foi Deus e seu mérito q as fez melhorar naquele período), se caíram na ladainha do estado mínimo, que aprendam pela dor….

  7. SUÉCIA não é aquele país cuja Empresa Mineradora Hydro Alunorte envenenou Água e Solo em Barcarena / PA no meio da Amazônia, adoecendo gravemente o Povo Brasileiro? Não, este país é a NORUEGA. SUÉCIA não é aquele país cuja Empresa Rhodya aterrou e envenenou o solo de Cubatão/SP com o produto mais cancerígeno que é conhecido (pentaclorofenol/pó da china)? Não este país é a FRANÇA. SUÉCIA não é aquele país cujas empresas Shell e Basf, envenenaram Solo e Águas do Rio Atibaia, em Atibaia/SP, causando graves doenças e aumento no índice de câncer em toda a região? Não?!!!! Estes países são HOLANDA E ALEMANHA. Entendi, so querem preservar e defender a Humanidade !!! A sua Humanidade !!! De onde sao as MultiNacionais que fabricam estes Agrotoxicos CENSURA NAO !!!!!!!!!!!!!!!

    • concordo, mas isso anula o uso de venenos? inclusive de brasileiros para consumos dos próprios brasileiros? se os suecos podem envenenar o mundo e nao comer veneno, isso nos autoriza a usar veneno tambem?

    • Esses países citados por você fizeram o que fizeram porque o nosso país deixou.
      Já que nós não prezamos a nossa humanidade, deixem que eles preservem a deles.

  8. Minha proposta é que este boicote se amplie e que todo produto ao se tornar excedente de produção seja imediatamente encaminhado para consumo dos que compõem este (des)governo, principalmente a senhora veneno.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome