Angola Janga – Uma história de Palmares, por Rogério Faria

Essa obra, que tomou mais de 10 anos da vida do autor, é construída por meio de extensa pesquisa.

Angola Janga – Uma história de Palmares

por Rogério Faria

Na novela gráfica Angola Janga – Uma história de Palmares, Marcelo D’Salete traz, em quadrinhos, a história do maior quilombo brasileiro, que reuniu milhares de pessoas. O quilombo de Pequena Angola, ou Palmares, localizado em Pernambuco a partir do final do século XVI, é, desde então, um símbolo de resistência na luta contra a escravidão.

Essa obra, que tomou mais de 10 anos da vida do autor, é construída por meio de extensa pesquisa. São dados históricos, documentos, que têm como fontes soldados, oficiais, senhores de engenho, padres, governadores e outras autoridades. Para D’Salete, eles servem como pistas para se “caminhar por aquela picada em mata fechada”, pois o autor vai usar essas referências para contar sua história do ponto de vista dos negros fugitivos das escravidão.

Assim, o quadrinho busca analisar a relação do quilombo com seu entorno, criando uma história de resistência na sua luta contra militares holandeses e as forças coloniais portuguesas. A HQ tem como personagem Zumbi, seu maior líder, e símbolo de liberdade para os escravizados. O dia da Consciência Negra é também conhecido como Dia Nacional de Zumbi, data que faz referência à sua morte.

Essa HQ foi ganhadora de diversos prêmios. Entre eles, o Prêmio Jabuti de Quadrinhos de 2018, Prêmio Grampo de Ouro de 2018 e Troféu HQMIX de 2018. Publicada em diversos países, também deve virar série de TV em breve. D’Salete também venceu o prêmio Eisner 2018, o mais importante dos Estados Unidos, mas com Cumbe, outro de seus quadrinhos sobre quilombos e a luta dos negros escravizados.

Angola Janga – Uma História de Palmares, de Marcelo D’Salete, tem 432 páginas e é uma publicação da editora Veneta. Pode ser adquirido aqui, no site da editora.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  As vacinas que precisamos, por Edson Luiz André de Sousa

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome