Conhecereis a ciência e a ciência vos libertará, por Sr. Semana

A divulgação científica na sociedade é o melhor antídoto contra a disseminação de fake news e projetos totalitários de dominação. A ciência, a arte e a democracia são os principais alvos do neofascismo.

Conhecereis a ciência e a ciência vos libertará

por Sr. Semana

O evento mais relevante da semana ocorreu nesta última quinta-feira: foi a Marcha Virtual pela Ciência, organizada pela SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e dezenas de instituições científicas associadas. As hashtags #paCTopelavida e #MarchaVirtualpelaCiência foram, respectivamente, a segunda e quarta mais comentadas no Twitter no dia. A primeira difundiu o Pacto Pela Vida e Pelo Brasil, em defesa das orientações sanitárias de base científica que defendem a vida e de ações econômicas que garantem a sobrevivência dos mais pobres, assinado pela SBPC, pela Academia Brasileira de Ciências (ABC), pela OAB, pela ABI, pela CNBB e pela Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns. Durante todo o dia foram realizados diversos painéis virtuais sobre a pandemia e assuntos científicos conexos. (Mais informações disponíveis em http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/milhares-de-pessoas-participam-no-pais-inteiro-da-marcha-virtual-pela-ciencia/.) Um indício da importância desta reação da comunidade científica brasileira ao obscurantismo neofascista em vias de implantação no Brasil foi a invasão por hackers neonazistas, provavelmente norte-americanos, da mesa de debate virtual “Divulgação científica em tempos de coronavírus” (www.otempo.com.br/cidades/mesa-virtual-sobre-pandemia-entre-pesquisadores-de-mg-e-invadida-por-neonazistas-1.2334379).

A divulgação científica na sociedade é o melhor antídoto contra a disseminação de fake news e projetos totalitários de dominação. A ciência, a arte e a democracia são os principais alvos do neofascismo. A ciência, tanto quanto a democracia e a arte, ao mesmo tempo pressupõe e exercita a liberdade. Não são nem tanto as afirmações científicas elas mesmas que mais incomodam, mas o modus operandi científico que exige a adequação das afirmações às evidências empíricas disponíveis, que critica opiniões aceitas sem fundamento, impulsionadas por manipulações midiáticas, máquinas de fake news nas redes sociais, intimidações violentas de toda ordem e, principalmente, alegações de chancela religiosa para opiniões injustificáveis racional ou empiricamente. A primeira regra do método científico segundo Descartes é evitar cuidadosamente a prevenção e a precipitação. Estes dois fatores nunca se fizeram tão presentes como nas últimas eleições no Brasil. A prevenção sem base racional construída nos últimos dez anos alimentou o ódio que levou a um voto precipitado do qual tantos milhares já se arrependeram e torcem para terem a oportunidade—cada vez mais ameaçada—de corrigi-lo na próxima eleição presidencial.

Novas manifestações virtuais serão promovidas pela SBPC. A próxima já está marcada para o dia 8 de julho, Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador. Tomara que sejam ainda maiores, com a adesão de outros cidadãos além dos cientistas. Sonhemos com um dia em que o Discurso do Método para Bem Conduzir a Razão de Descartes terá mais leitores que a Bíblia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora