Internet, Golpe de Estado e Rede Globo: o que eles têm em comum?

Por Alexandre Tambelli

Internet, Golpe de Estado e Rede Globo o que eles têm em comum?

Precisamos compreender que com o advento da Internet, e posteriormente, o surgimento das redes sociais, do Google, do Youtube, do ZAP ZAP, mais recentemente do Netflix e assemelhados a TV convencional aberta foi perdendo gradativamente audiência e publicidade; sem contar que o seu público envelheceu e que as horas do dia que uma pessoa assiste TV aberta estão diminuindo progressivamente.

Com o avanço e barateamento da tecnologia ligada à Internet: banda-larga, 3G, 4G, notebooks, tablets, smartphones, etc. foram adentrando no cotidiano das famílias brasileiras e a Internet se difundiu no seio da grande maioria da sociedade brasileira.

A partir da era Lula a sociedade de consumo, como todos sabemos, se ampliou sobremaneira e a grande maioria da população brasileira de alguma forma se conectou à Internet.

Nos tempos de FHC a Internet ainda era restrita e cara. A informática tinha nos PCs a sua porta de entrada para a Internet. Lembro que em 1997 comprei um PC por quase 3 mil reais. 10 anos depois era menos da metade do preço.  Só a Elite utilizava a Internet 20 anos atrás. E, não havia um programa nacional de inclusão digital nem a grande maioria da sociedade possuía condições financeiras de comprar um Micro.

Quando eu, uma pessoa que fazia parte da sociedade dos no máximo 30% de incluídos dos tempos de FHC para trás e morador de bairro de elite da Cidade de São Paulo, onde toda tecnologia a ser oferecida à população chega antes, estava plugado na Internet, o povo brasileiro estava ainda na TV aberta e nem TV à cabo possuía. Em 1997 eu era o 1% dos brasileiros que tinha acesso a Internet e discada.

Internet e TV à cabo eram serviços oferecidos nos bairros de elite e, geralmente, de cidades maiores.

Passaram-se pelo menos 10 anos após a Internet entrar em funcionamento no Brasil para que o povão começasse a ter um contato inicial com à Internet via barateamento dos computadores pessoais + cartão de crédito e sua venda parcelada em 10 vezes sem juros e crescimento da banda-larga.

E foi com o smartphone (2011/2012 para frente) que a Internet se popularizou e adentraram brasileiros de todas as classes sociais na Era digital.

Só com a junção, a partir do segundo Governo Lula, da 1) inclusão e ascensão social de milhões de brasileiros; da 2) criação de uma sociedade de consumo universalizada; do 3) aumento real do salário mínimo e da renda do trabalhador; do 4) avanço, acesso facilitado e barateamento da tecnologia digital; pudemos criar um Brasil conectado à Internet, um Brasil digital.

Na Internet você vê o que quer na hora que quer. No Netflix você assiste a um filme a hora que quer e dá pause se precisar atender ao telefone, se precisar sair, continua assistindo quando der e todo o filme é sem intervalos comerciais.

Por ter audiência crescente: a INTERNET está roubando audiência e publicidade da TV convencional. E esta é uma realidade inexorável. Em países centrais do Capitalismo a Internet já supera a TV em publicidade (dinheiro que as empresas destinam para fazer propaganda de seus produtos). No Brasil em breve poderemos ter situação idêntica.

Pensemos, agora.

Um elefante branco que é a TV aberta e sua grade de programação todo dia igual e sempre com horário e dia exatos para assistirmos um programa que gostamos e sem interatividade alguma e com comerciais não consegue ser mais agradável que a interatividade da Internet, do Netflix, certo?

Ficar 6 meses seguidos de segunda à sábado ligado às 21 horas na TV Globo para ver um capítulo da novela?

Como a novela pode competir com a Internet e o Netflix? Não compete.

Quem quer ver um filme, uma série inteira em poucos dias vai preferir o Netflix ou a TV aberta sem pause, com intervalos comerciais, com hora exata para o filme ou a série começar e acabar?

Vai preferir o Netflix, certo?

Sem contar que a tecnologia de gravação e pause dos programas é restrita aos pacotes mais avançados de TV à cabo e TVs mais caras. Aqui em casa esta benesse custa 250 reais/mês.

Na loucura de preservar os direitos autorais e não se plagiar e/ou utilizar imagens da TV em locais públicos, sem pagar royalties dos conteúdos televisivos, a gravação, assistência e disseminação de conteúdos da TV aberta ficaram restritos ao próprio aparelho de TV da sala de casa ou do quarto, no máximo ao smartphone com TV, não é verdade?

Vocês lembram que quando inventaram o DVD e o Blue-Ray acabaram com o sistema de gravação da programação da TV que havia nos vídeos-cassetes?

E, se você viaja?

O que você gravou no pacote top da TV à cabo não vai dar para assistir.

Ai você liga o seu tablet, o seu notebook, o seu smartphone no Netflix e pronto. A novela gravada vai estar na sua casa, perdida por lá. E, o Netflix acompanha você em qualquer lugar do mundo. Não tem competição.

Além do que a TV aberta perde público, também, numa sociedade com poder aquisitivo crescente, para a turma da balada, para quem viaja, para quem assiste TV à cabo e/ou Netflix e assemelhados, para quem gosta de ler (existe uma alfabetização crescente e tendendo a ser universal no País).

Li, que hoje os vídeos do Youtube tem mais tempo de visualização/acesso entre jovens do que a TV aberta. Até à TV a cabo está com os dias contados se não se reciclar e abolir os famigerados comerciais. Pagamos para adquirir um pacote de canais, mas não para levar os comerciais de contrapeso.

E tem a propaganda da Internet que vai até você. Na TV aberta não dá para segmentar com clareza o público alvo da propaganda, certo? Quem já não se acostumou com os banners que lhe lembram do tênis que você procurou na semana passada e teima em aparecer na sua tela e no seu e-mail uma semana depois?

Com o aumento dos meios de entretenimento da população se tornou impossível resgatar a audiência da TV aberta que chegava à casa dos 60, 70% num único capítulo de novela ou no Jornal Nacional. Muito menos a audiência de 100% no final de uma novela como Roque Santeiro. As audiências e a publicidade, hoje, se diluem através dos diferentes meios de entretenimento. Muitos jovens sequer assistem TV aberta e nem sequer assistem um capítulo da novela das nove na Rede Globo de Televisão.

Hoje a audiência da Rede Globo é menos de 1/3 da audiência da era Pré-Internet.

Este elefante branco chamado Televisão está desesperado e com os dias contados.

A Rede Globo de Televisão é o maior elefante branco do País e por isto podemos dizer, por analogia, que está desesperada e em processo de diminuição gradativa de receitas e de tamanho, também.

Na Ditadura Militar ela expandiu seu elefante branco de hoje.

Trocou apoio irrestrito à Ditadura Militar em troca de receber do Estado concessões de TVs Brasil afora. Todo canal de TV é uma concessão pública. Precisa-se da cessão de um espaço no espectro eletromagnético, que é restrito, para ela operar.

No apoio irrestrito à Ditadura Militar a Rede Globo ia recebendo dos generais o seu quinhão de TV em cada canto do Brasil e a publicidade governamental.

Noticiava um Brasil maravilhoso, enquanto muitos dos nossos irmãos brasileiros eram presos, torturados, mortos, exilados (convidados a se retirarem do País); enquanto a censura, a repressão à divergência política e a violência policial contra quem contestasse o Regime Militar corriam soltas.

Porém, do noticiário totalmente favorável ao Regime Militar cresciam os seus recursos financeiros e os acordos com os militares, até a emissora conseguir levar a programação global a todo território nacional.  

Hoje, a Rede Globo sonha uma sobrevida ao inexorável fato de que a TV aberta está com seus dias contados.

E por isto apoia o Golpe de Estado contra a Presidenta Dilma.

O Golpe de Estado é para colocar no Poder algum Político, que em troca de apoio irrestrito da TV Globo, idêntico como foi na Ditadura Militar, lhe traga todas as benesses possíveis e prorrogue ao máximo a sua debacle.

Quais benesses seriam desejáveis à Globo?

1) A garantia que o governante aliado não deixe de priorizar a publicidade governamental em sua TV aberta e demais meios de comunicação da emissora: rádios, revista, jornais, portais, etc. Governante não dando prioridade à Internet e outros meios de comunicação alternativos.

Quanto mais publicidade receber do Governante que ela estiver aliada mais ela o apoiaria, mesmo que ele seja um mal Governante, mesmo que venda as grandes empresas estatais do país a preço de banana e sem motivos, mesmo que seja corrupto e ele produza mecanismos para parar as investigações contra políticos aliados do Governo Golpista, mesmo que entregue nossos recursos naturais e a nossa biodiversidade para o usufruto e pesquisas dos países centrais do Capitalismo, mesmo que vivamos um surto novo de pobreza, e assim por diante.

2) O Governante aliado lhe daria até o direito de não pagar os impostos devidos ao fisco e até o direito de conseguir empréstimos à juros perdidos do BNDES. BNDES que voltaria a ser um Banco respeitado pela Rede Globo.

3) E até se teria uma singela troca de favores: a Rede Globo apoiaria o Governante golpista irrestritamente e ele em troca assinaria suas revistas, seus jornais, compraria seus títulos do telecurso, e qualquer produto que ela venha ofertar através do dinheiro de nossos impostos (a propaganda governamental em excesso por lá) e o Governante colocaria as publicações globais nas repartições públicas, nos hospitais públicos, nas escolas públicas, etc.

E aconteceria assim.

O Governante golpista faz o que a Rede Globo quer:

a) Ideologicamente (implementando o modelo de sociedade desejado pela Rede Globo e em benefício de seus interesses privados e dos seus aliados dentro do Capitalismo mundial: mercado financeiro e Império Norte-Americano) e

b) Financeiramente (aplicando dinheiro público sem restrições na emissora em detrimento de outros canais com audiência, seja na TV aberta, nas mídias impressas ou na Internet).

Em troca de fazer o que a Rede Globo quer aconteceria assim:

Toda capa de jornal e revista, todo telejornal ou rádio jornal ligado às Organizações Globo elogiaria o Governo Golpista, esconderia suas corrupções, as privatizações descabidas e seu enriquecimento indevido a partir delas, o desmonte do Estado, o reaparecimento de bolsões de pobreza Brasil afora, esconderia todos os erros e os malefícios de suas ações governamentais para a população brasileira em geral.
Tudo no Brasil se tornaria um mar de rosas! O Governante seria elogiado 24 horas do dia, mesmo que estivéssemos no caos, mesmo que a corrupção campeasse (esta será escondida do noticiário), mesmo que a violência e a fome cresçam e, assim por diante. E, dá-lhe continuar a atacar e a assassinar reputações dos oposicionistas ao Governo Golpista.

E nenhum pio sobre censura/ violência (repressão policial) contra/ busca de aniquilamento dos adversários ao Regime Golpista.

Igual aconteceu no Regime Militar.

Sem contar que a emissora privilegiaria a defesa de um modelo de sociedade com menos dinheiro no bolso e menos recursos para acesso diário à Internet via smartphone, com menos recursos para ter uma banda-larga em casa, sem grana para pagar uma assinatura do Netflix, com menos recursos para baladas e viagens e, assim por diante.

Este retrocesso nos acessos a diferentes formas de entretenimento faria com que mais gente retornasse para frente da televisão e, principalmente, para a TV aberta. E, mais gente, sonha, assim a Rede Globo de Televisão, estaria à-mercê da sua grade de programação e de seus telejornais.

E, assim, o noticiário outro, e que está na Internet e contradiz o telejornalismo parcial e até irresponsável da Rede Globo teria menos penetração na sociedade. Se fosse possível seria calado.

Uma sociedade sem acesso à Internet, ao Netflix, aos Blogs progressistas, às redes sociais, sem grana no bolso para consumir estes produtos, sem grana para balada e viagens presas à TV aberta é tudo o que a Rede Globo mais sonha!

E o modelo de sociedade antinacionalista e ligado ao Imperialismo Norte-Americano e ao mercado financeiro, que a Rede Globo apoia e é uma das engrenagens, a engrenagem comunicacional, vingaria no País com maior facilidade.

Loucura tudo o que escrevi? Não! Creio eu ser a mais pura realidade.

Seríamos reféns do “mundo global”! Consumidores de TV aberta!

E como se pode afirmar que este intento de, a partir, de um Golpe de Estado, se realizar a blindagem do Governante golpista em troca de se retroceder socialmente para a TV aberta daria certo?

É só pensar no tamanho deste Império da Comunicação. E a sua influência na formação da opinião pública brasileira.

Quantas emissoras, afiliadas e retransmissoras da TV Globo existem, quantas rádios espalhadas pelo País com audiência pertencem à Globo. Sem contar jornais, revista semanal, o audiovisual (a Globo Filmes), a música (a Som Livre), a indústria gráfica, etc. e ver o poder de penetração de todas estas formas de informação e comunicação no território brasileiro.

É ou não é um monopólio da informação?

Monopólio das notícias do cotidiano do Brasil e do Mundo e até a busca de monopolizar o entretenimento fora de casa dos brasileiros via artistas globais, através da música, do cinema, do teatro e das publicações em livros.

Imaginemos o Estado patrocinando, via publicidade e compra das  publicações, o reaquecimento deste monopólio e saberemos o que pode acontecer no Brasil a partir de um Golpe de Estado apoiado pela Rede Globo.

Sem contar que temos um conjunto de poucas famílias ligadas à mídia brasileira (Band, SBT, Rede TV, RBS, Abril, Folha, Estadão e algumas mais) que apoiam este retrocesso e formam o Cartel das comunicações no Brasil, penetrando seus noticiários com exclusividade na maioria dos lares brasileiros.

Sem a força da TV aberta, com um Governo não aliado no Poder, a Rede Globo tende a diminuir o seu Império das comunicações mais rápido do que deseja. E pode perder de vez a hegemonia na formação cultural e ideológica de milhões e milhões de brasileiros para a Internet, para as redes sociais, para o Google, o Youtube, o Zap Zap, o Netflix, para outros canais de informação mais democráticos e progressistas, etc. e perder, ainda, audiência para as baladas e viagens!

Derrubar o PT, tirar Dilma do Poder e impedir Lula de ser um candidato forte em 2018 é nada mais nada menos, para a Rede Globo de Televisão, que uma chance de sobrevivência da TV Globo por mais tempo e para menos contestação/consciência da população brasileira (via informações plurais) dos seus interesses escusos e antinacionais, ligados à sociedade do 1%, da qual faz parte e não quer perder a majestade de ser a protagonista principal em terras brasileiras, a partir de um Governo Golpista aliado.

Por isto ela apoia incondicionalmente o Golpe de Estado via Impeachment e sem crime de responsabilidade, liderado por Eduardo Cunha no Legislativo, contra a Presidenta Dilma Rousseff.

Os donos do dinheiro e os interesses particulares da Rede Globo de Televisão comandando as ações governamentais no Brasil. Jamais a Ética e a Constituição. Jamais o respeito para com a Democracia e com o voto da maioria do povo brasileiro, que vota e elege faz 4 legislaturas o candidato de oposição aos interesses dos donos do Império Global.

O desejo do povo? Para quê?

Agora, perguntas nos cabem fazer:

Como é possível uma Família como a dos marinhos, com um patrimônio de mais de 26 bilhões de reais, maior fortuna do País, se sujeitar a patrocinar/apoiar, novamente, um Golpe de Estado?

Destruir toda uma marca que possui padrão de qualidade televisiva inegável pregando na testa a marca de Golpista, novamente?

Para quê?

Entrar neste jogo sujo da perseguição política sem limites éticos, sem se escudar nos fatos concretos e verdadeiros e aceitando como apoio da sua insanidade de derrubar o Governo Dilma qualquer maluco de extrema-direita, colocado como porta-voz da sociedade brasileira?

Provocar esta divisão social em vias de levar a um confronto nas ruas entre democratas e golpistas/ alienados midiáticos?

Jogar na lata do lixo 26 bilhões de reais?

Quem pode ser louco a este ponto?

Por que este descontrole mental do Jornalismo Global?

Há algo de errado nesta equação. Não faz parte do mundo da sanidade assistir este tipo de suicídio.

É inacreditável.

Golpistas não Passarão!

Não vai ter Golpe!

PS:. Os últimos acontecimentos desde quinta-feira com as manifestações Pró-Democracia, com os artistas da Rede Globo se manifestando via Internet em vídeo/Twitter contrários ao Golpe de Estado, com os anunciantes da Globo preocupados em associar suas marcas à Rede Globo e por tabela serem taxados de golpistas, também, parece ter freado um pouco a sede da Rede Globo em ser a porta-voz midiática da tentativa de derrubada da Presidenta Dilma via Golpe do Impeachment liderado por Eduardo Cunha.

Ontem, a Dama do Teatro brasileiro: Bibi Ferreira e seus 93 anos de idade se manifestou pela Democracia e contrária ao Golpe!

Fatos como estes podem ter acendido o farol vermelho na Rede Globo e ela parece ter dado, por hora, uma freada no carro, tanto é que os manifestantes a favor do impeachment, e, geralmente, alimentados pelo noticiário do JN para terem ódio ao PT, Lula e Dilma estão calados.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora