O Símbolo do mal global, por Gilberto Maringoni

Bolsonaro é o execrável mundializado, o troglodita 4.0, o ignorante internacional metido a valente com os fracos e sabujo dos fortes.

O Símbolo do mal global

por Gilberto Maringoni

O Brasil não tem Nobel, o Brasil não tem vulcões e, o Brasil não tem terremotos. Mas o Brasil tem, pela primeira vez na História, um vilão global.

A Alemanha produziu um vilão global, o Führer do Reich de mil anos, a Itália produziu um vilão global, o Duce e até o Chile cravou seu tento nesse quesito, com o general Pinochet.

Quer ver o simbolo da perversão? Pinte o bigodinho curto sob o nariz de alguém. Quer ofender alguém? Chame-o de Mussolini de fanfarra. Deseja expressar todo o mal que se esconde nos corações humanos? Chame-o de Pinochet de várzea.

[O GGN prepara uma série no YouTube que vai mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto pelo interesse público? Clique aqui]

Bolsonaro agora nos redime. Há o conjunto da obra – defesa da ditadura, da tortura, do genocídio, da homofobia, do machismo etc. – e agora entra em cena um plus a mais definitivo. Ele queima a Amazônia. Ele ataca indígenas. Ele agride sem terras. Ele mata os animaizinhos da floresta. Como resultado, merece a repulsa generalizada de gentes de variados tipos em toda parte.

Bolsonaro é o execrável mundializado, o troglodita 4.0, o ignorante internacional metido a valente com os fracos e sabujo dos fortes.

Está prestes a virar marca, logotipo, símbolo de nossas misérias. O modelo acabado do rebotalho humano. O lúmpen número 1 da espécie.

O lamentável é que Bolsonaro não é apenas Bolsonaro pessoa física. Ele é a síntese de séculos de patriarcalismo, desprezo pelo outro e sadismo social acumulado pelo país mais desigual do mundo. Bolsonaro é um amálgama social.

Leia também:  Reinaldo Guimarães: ‘Está em curso uma destruição institucional sem precedentes’

Mas Bolsonaro segue sendo mito e objeto de adoração por quem aplaude chacinas nas periferias e nos ermos brasileiros. Por quem bate panelas pelo golpe. Bolsonaro é ídolo de uma malta sedenta de sangue.

Tirar o mito global de cena é importante. Mas pouco muda sem uma ferrenha disputa política, social e cultural na sociedade.

Há mais de 70 anos ficou claro que não bastava arrancar Adolf Hitler de seu bunker. Era preciso esmagar o nazi-fascismo.

Isso deu à Humanidade algum tempo de respiro. É preciso voltar à carga.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. O governo bolsonaro esta encurralado.
    Chegou a este ponto por sua próprias ações, principalmente por ter nomeado uma pessoa totalmente despreparada para o ministério das relações exteriores.
    Aqueles que conhecem a diplomacia internacional, sabem que chefes de governos não se manifestam publicamente sem antes tentar todos os canais da diplomacia.
    Certamente estes chefes de estados que estão se manifestando sobre a questão ambiental, encontraram as portas fechadas, para um diálogo internacional. em alguns se quer foram atendidas os pedidos de audiência, como ficou claro no caso do corte de cabelo do presidente.

    Esse mesmos canais diplomáticos já devem ter revelado ao governo bolsonaro, que nem mesmo governo de
    dos EUA, está disposto a avalizar as queimadas na Amazônia, pelo menos publicamente.

    As recentes ações desesperadas do governo bolsonaro, demonstram além da pressão externa, principalmente a pressão interna dos principais exportadores brasileiros, que neste momento estão correndo um sério risco de sofrer um grande boicote internacional.

    A depressão econômica se anuncia.
    Os recentes ataques aos direitos dos trabalhadores, reduziram significativamente o mercado interno, que não terá mínima condição de absorver a oferta de produtos no mercado interno, em função da significativa queda da demanda externa.

    No primeiro momento será festa, com queda dos preços dos produtos que deixaram de ser exportados, como a carne, o café, a soja e o milho. Mas depois vem o desespero, com o aumento exponencial do desemprego e a queda do real no mercado de câmbio.

    Lembrando que este governo já se distanciou da China, Rússia, e da Argentina(caso se confirme a vitória de Alberto Fernandez nas próximas eleições presidenciais),

    O fato é que o governo bolsonaro já está se curvando diante da pressão internacional, e dos exportadores brasileiros, não vai demorar muito, e vai ficar de quatro, pronto para ser chutado e escurraçado.

    5
    1
  2. Tudo indica que Bolsonaro odeia o Brasil…
    parece que foi colocado lá também para criar inimigos externos, talvez por já ter percebido que só ele e os seus ministros não conseguirão destruir completamente o país

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome