Uma brincadeira com a literatura norte-americana, por Fábio de Oliveira Ribeiro

O presidente baixou o tom. Portanto, resolvi fazer o mesmo. Hoje divulgarei apenas uma brincadeira

Tobey Maguire interpreta Nick Carraway no filme The Great Gatsby. | Imagem: Reprodução

O presidente genocida golpista baixou o tom. Portanto, resolvi fazer o mesmo. Hoje divulgarei apenas uma brincadeira com a literatura norte-americana.

Quer apoiar o jornalismo independente do GGN? Clique aqui e saiba mais

O pequeno Carraway

– Olá Nick, “old sport”. Como está você?

Essas palavras soaram como uma tempestade que arranha a noite como um grito no momento em que o fantasma do natal passado resolve contar uma mentira no ouvido de sua vítima.

– Ninguém me chama de “old sport” há décadas. Quem é você?

– Você realmente não consegue me ver? Eu sou o mesmo Gatsby, um pouco mais velho e menos glamouroso certamente. Mas o mesmo cara que você conheceu em circunstâncias diferentes. 

Nick Carraway realmente não poderia ficar mais espantado. Ele acreditava que o traiçoeiro Tom Buchanan havia matado Gatsby usando as mãos do pobre George Wilson. E no entanto, um trapo humano o havia chamado de “esporte velho” e ninguém fazia isso… desde que Jay tinha morrido. 

– Você está surpreso, “old sport”. Eu entendo isso. Afinal, você me matou no seu livro e no entanto aqui estou eu. Eu estou de volta, mas não da forma que você imaginou que isso seria possível.

– Homem… Eu não sei quem ou o que você é. Você realmente está brincando comigo? Você não deveria fazer isso. Eu sou um cara muito, muito, perturbado. Eu comi o pão que o diabo preparou para me reconciliar com meu passado após a morte de Jay Gatsby e eu realmente não preciso entrar novamente no túnel escuro da culpa por causa de uma piada de mal gosto contada por um mendigo vagabundo que leu o meu livro.

– Relaxe, “old sport”. Eu realmente gosto de você e só estou aqui para lhe dizer duas coisas importantes. A primeira é que eu estou vivo. O pobre coitado que foi enterrado no meu lugar era um ninguém que cometeu o erro de ficar devendo muito dinheiro a alguém. Os caras sábios da máfia aproveitaram o que ocorreu comigo para eliminar dois problemas – um cadáver qualquer e a vida do personagem Jay Gatsby – mas eles salvaram minha vida pois eu não merecia morrer.

Impressionado e incomodado, Nick Carraway era incapaz de acreditar no que estava ouvindo. Mas ele simplesmente não conseguia se afastar daquele mendigo sujo cuja conversa macia restaurava dentro dele os elos de uma ligação agradável entre ele e um grande cara cuja morte abrupta e estúpida havia provocado nele uma profunda depressão. 

Até as pausas feitas entre as frases do seu interlocutor o faziam lembrar Gatsby.

– O que você quer, Jay? Dinheiro? Agora eu tenho muito. Não será um problema dividir com você os lucros do livro. 

– Você sempre foi muito tenso, “old sport” . Eu não quero seu dinheiro. Nem mesmo quando eu era o glamouroso e endinheirado Jay Gatsby eu realmente gostava de dinheiro. Eu admito que gostava de brincar com a paixão das pessoas pelo dinheiro. Mas ele era apenas um brinquedo. Você, mais do que ninguém, deveria saber disso Nick. 

A nova pausa falou algo mais que Nick Carraway não gostaria de ter escutado. E ela – sim “ela”, porque toda pausa é feminina – disse a ele que havia algo falso no livro que ele escreveu. 

– Você sabe, Nick “old sport” (disse o mendigo colocando o braço no ombro do amigo como somente Gatsby costumava fazer) tem algo no livro que você escreveu que eu realmente não consigo suportar. Algo que soa como uma ofensa. Você diz que eu representava o sonho americano de um recomeço. Certamente escrever o livro deu a você esse recomeço. Eu também recomecei quando Jay Gatsby morreu. Mas ninguém pode dizer que o próprio Jay Gatsby era um recomeço.

– Porque você diz isso, meu amigo? O seu amor por Daisy era verdadeiro. E você não estava soterrado por uma vida de decadência proporcionada pelo dinheiro herdado sem mérito algum como Tom Buchanan. 

– Você realmente não entendeu meu ponto na época,”old sport”. E vai ser difícil você entender meu ponto agora. A verdade é que eu gostava menos de amar Daisy do que de estragar o amor falso dela por Tom. E eu simplesmente não conseguia tolerar o amor verdadeiro de Tom por Daisy. Naquele tempo eu poderia ter e de fato tinha qualquer mulher. Mas conquistar Daisy naquele jogo era algo realmente irresistível. E então eu levei um tiro… e homem, eu posso dizer que isso foi a melhor coisa que me aconteceu.

– Porque você diz isso Jay?

Nova pausa.

– Por que o buraco da depressão em que você penetrou não é nada comparado ao buraco de bala que me colocou entre a vida e a morte e me fez perceber que não existe amor, jogo, posição, glamour ou qualquer coisa mais importante do que… a próxima respiração. A próxima respiração que interrompe a morte quando ela está ali ao seu lado esperando você parar de respirar. “Old sport”… estar na beira do precipício, morrendo, e descobrir o valor da vida é a coisa mais importante, o verdadeiro recomeço. E esse não é o recomeço americano que você menciona no livro, porque nós americanos somos tolos que nos agarramos ao amor, a religião, o ódio, a felicidade, o dinheiro e todas essas coisas fúteis que nos deixam obsedados e infelizes e que nos transformam em zumbis. 

Após dizer isso, o mendigo retirou o braço do ombro de Nick Carraway, cumprimentou-o com um aceno e foi embora. Há alguma distância ele se virou e disse como se realmente fosse Jay Gatsby.

– Esqueça tudo isso, “old sport”. Nada do que eu disse é valioso. Seu livro é grandioso. Ninguém que conheceu o Jay Gatsby que você criou vai se interessar pelo homem que ele se tornou. Mas isso é vida, eu suponho. Vida para ser vivida de qualquer maneira. Adeus velho amigo. Aprecie sua viagem pela vida.

Nick ficou ali paralisado. A única coisa que ele pensou foi que realmente precisava beber algo. Mas ele também sabia que se fizesse isso não conseguiria mais parar de beber. Maldito Gatsby, você fodeu minha vida duas vezes. De volta ao trabalho, a próxima edição do livro não pode ser publicada sem uma profunda alteração – foi o que ele provavelmente pensou. Quem sabe o teria ocorrido se o “old sport” não tivesse sido mortalmente atropelado por um carro naquele dia.

Este texto não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador