Cafezá – Catarina e Jarirí, uma paixão sobre-humana.

Paimeu i Xicuta sentaru nas pótrona dinovo, adispois de alimpá as sujera déilas
cum guardanapu, i facaru oianu páquele aranzé, cumu si eiles num tivésse nada
aver cuaquilu tudu. Us ômis marvado são anssim, adispois qui u bichu péga, eiles
si finji di inócentis. Eiles cria us nó qui intéressa, i adispois fala qui num
puséru as manu nas linha. I nósis, além di léva us nó na garganta, ainda pérdi
as linha cos carreté. Maisi ieu num tava dispósta a sélvi di víltima boba, ieu
tava quérenu iscapá dali, lévanu miamãe i Clódiu.
I foi intonces qui ieu bólei uma iscapatória pá sê iguar passarim qui fógi da
gaióla, adispois di abri buracu nas gradi. Ieu já tava préparanu mias asinhas,
as mias peninhas já tava arrupiada. Chéguei piértu di miamãe, qui tava deitada
nu cháo, amparada no brassu di Clódiu, i falei baixinho pá sóeiles orvi:
– Mãe, ucê táboa, cumé cucê tá, mioro?
– Ieu tô mió, fia. Tô cuasi récuperada, ieu sô fuórti, purisso qui ieu tenhu uns
fios fuórtis iguar ucêis doisi. Num fica préocupada queu não. Ieu tô pu qui
dé i vié.
– Entonces, mãe, ucê vai finjí qui tá muito mar, qui pricisa i pá cama discansá.
Ieu vô dá um geitu di i léva ucê pu quartu, i u Clódiu vai juntu ajudanu. Us
capanga tão tudu tortu, machucadu i cansadus. Cuandu a jienti tivé nu quartu,
nósi abri a jinéla i iscapa pu mundu abértu.
– Maisi pauondi ié qui nósi vamo, fia?
– Nósi prócura Jarirí i vamu cuele lá pá tapéra di mestre Bódim. Tenhu célteza
qui eile vai dá um jeito di ajudá nósis.
– Tá bão, fia. Uilsso tá célto. Ieu vo fazê du geitim cucê falô, ieu vô intrá
neissi tiatrim, vo engambéla eiles.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome