Doria chama empresário da construção para secretaria da Habitação

Jornal GGN – João Doria (PSDB), prefeito eleito de São Paulo, convidou Claudio Bernardes para assumir a Secretaria Municipal de Gestão. Bernardes é empresário da construção civil e já foi presidente do Secovi-SP, sindicato do mercado imobiliário. Atualmente, ele comanda a incorporadora Ingaí.

Doria disse que não terá “condescendência” com grupos como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que dialogam com a gestão de Fernando Haddad (PT).

Outro nome que deverá assumir uma pasta no governo do tucano é Julio Serson, amigo de Doria e dono da rede de hotéis Vila Rica. Segundo a Folha de S. Paulo, Serson deve comandar a Secretaria de Relações Internacionais.

Leia mais abaixo:

Da Folha

Nome da construção civil é chamado por Doria para pasta da Habitação

Prefeito eleito de SP, João Doria (PSDB) convidou o empresário do ramo imobiliário Claudio Bernardes para comandar a Secretaria Municipal de Habitação. Ele ainda não informou se assumirá o posto na gestão, que promete ser mais “rigorosa” com movimentos de moradia.

Bernardes foi presidente do Secovi-SP, sindicato do mercado imobiliário, entre 2012 e 2015 e hoje é presidente do conselho consultivo da entidade. À frente da incorporadora Ingaí e colunista da Folha, o empresário defende propostas como locação acessível e melhorias em favelas.

Eleito, Doria afirmou que não terá “a condescendência que houve” com grupos como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), cujo líder, Guilherme Boulos, tem bom trânsito na gestão Fernando Haddad (PT).

Leia também:  ABJD-SP repudia ação da PM-SP que vitimou 9 pessoas em Paraisópolis

O tucano prometeu ainda tirar moradores de áreas de mananciais, especialmente nos entornos das represas Billings e Guarapiranga, na zona sul, ocupadas irregularmente em número crescente.

Como contrapartida, Doria afirmou que ampliará unidades de habitação popular e aderirá ao programa do governo estadual Casa Paulista, que prevê, entre outras iniciativas, PPPs (parcerias público-privadas) na área.

‘SÃO PAULO NO MUNDO’

Outro nome apontado como provável no alto escalão de Doria é o de Julio Serson, amigo do prefeito eleito e dono da rede de hotéis Vila Rica. Ele deve assumir a Secretaria de Relações Internacionais.

O tucano disse a auxiliares que quer projetar internacionalmente a cidade e acelerar a captação de investimento estrangeiro, além de estreitar a relação com outros entes federativos nacionais.

Serson, que já morou nos EUA, é amigo próximo de Doria e se tornou espécie de braço direito durante a campanha e, agora na transição, especialmente nas questões de arrecadação e finanças.

Atual secretária da Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão é tida como certa para a pasta de Finanças. Se confirmados Bernardes e Serson, Doria apresentará uma equipe de secretários egressos do mercado, conforme anunciou ser a sua intenção.

Já o tucano Jorge Damião, diretor de relações institucionais da TV Cultura, deve assumir a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação, como informou a coluna “Painel”, da Folha, nesta sexta (21).

Membro do núcleo duro da transição, Damião teve papel importante na campanha, cuidando do relacionamento com candidatos a vereador da coligação de 13 partidos.

Leia também:  TV GGN: Por trás de cada PM assassino existe um governador genocida, por Luis Nassif

Os últimos estudos da equipe de Doria mostram a redução do número de secretarias das atuais 27 para 22. Ao longo da campanha, Doria prometeu extinguir sete pastas.

Segundo interlocutores, no momento o prefeito eleito se ocupa da definição dos nomes para as prefeituras regionais, as atuais subprefeituras.

Estruturas tradicionalmente cobiçadas por vereadores, Doria reitera que ouvirá as indicações, mas não fará partilha de cargos em troca de apoio na Câmara Municipal.

Vereadores eleitos, contudo, já fazem suas movimentações para emplacar aliados.

Eleito com apoio da Assembleia de Deus, João Jorge (PSDB) tem recolhido cartas de recomendação de comerciantes e líderes locais para que um diretor de centro espírita assuma a estrutura do que hoje é a subprefeitura de Aricanduva, Formosa e Carrão, na zona leste da cidade.

 

Para um auxiliar, Doria não abrirá mão do controle nem mesmo nos detalhes. “Ele vai, no bom sentido, atropelar. Ligar para o segundo e terceiro escalão com cobranças”, previu. Seu vice, Bruno Covas, assumirá a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Povo bobão, compadrio e repressão.

    Entregar a Secretaria de Habitação para a especulação imobiliária é uma “pancada” no direito a moradia na cidade de São Paulo. Ainda mais agora, com a extinção do “Minha Casa, Minha Vida” pelo Inominável Golpista e a drenagem de seus recursos para mansões de 3 milhões de reais.

    Quanto aos que lutam por moradia popular, não haverá piedade!

    O “Riquinho” é a versão 2016 de Washington Luís, para quem a questão social era “caso de polícia”.

    Em todas as indicações, a escolha de amigos. É o neolberalismo de compadrio, este Frankstein típico de republiquetas latino-americanas.

    Isso é que dá a população acreditar que um animador de concurso de beleza de cachorros de madames é, na verdade, o “João trabalhador”.

    Não tenho pena dos paulistanos pois vão colher o que plantaram. 

  2. A raposa é o ser mais indicado para gerir o galinheiro

    O sujeito é do ramo, portanto, entende. Ele também deve morar muito bem.

    Alguém se opõe. Se for o caso, que fale agora ou que se cale para sempre.

    A Marina botaria um banqueiro no Banco Central. Se um tucano fosse dono de uma funerária, ele botaria seu filho prá estudar medicina e trabalhar num açougue humano.

    • Previsibilidade não é virtude

      Ser previsível não é uma virtude, assim fosse, Hitler, Mussolini, Marcola, Dom Agnelo Rossi, e outros seriam virtuoses!

      • Nem Hitler e nem Mussulini

        Nem Hitler e nem Mussulini foram previsiveis, a invasão da URSS pegou  as forças armadas russas e Stalin de surpresaa tampouco foi previsivel, nem para os alemães, a invasão italiana da Grecia, que fracassou e exigiu intervenção alemã.

        Não foi nada previsivel a invasão alemã da Noruega em 1940, nem a da Iguslavia em 1941, tampouco a tomada de Creta por paraquedistas em 1942, nem a absurda resistencia alemã na Italia após a invasão da Sicilia.

  3.  
    Muito interessante. Agora

     

    Muito interessante. Agora com um profissional do “mercado” pilotando a prefeitura da Capital paulista, sua excelência o empreendedor perfeito, digo, o prefeito eleito, está pronto para montar um eficiente secretariado composto por “gerentes” competentes, contratados diretamente do mundo dos negócios e negociatas. Ou seja, a Prefeitura será administrada com espertise empresarial. Finalmente essa merda de prefeitura vai dar lucros. Ao cabo do mandato do bosta do Doria, os paulistas provavelmente não mais pagarão impostos. Quiçá, muito pelo contrário, receberam é parte dos lucros da privada,  prefeitura/empresa.

    Orlando

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome