Jarbas é o único do PMDB a assinar manifesto pelo afastamento de Cunha

Jornal GGN – Jarbas Vasconcelos foi o único deputado federal do PMDB a assinar um manifesto pedindo o afastamento do correligionário, Eduardo Cunha, da presidência da Câmara, em função das denúncias feitas no âmbito da Operação Lava Jato. Segundo informações do portal Congresso em Foco, 35 deputados lançaram nesta quinta-feira (27) a lista de nomes que apoiam a saída de Cunha da Mesa Diretora. Ele é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pela Procuradoria Geral da República.

Em entrevista ao Estado de Minas no último dia 10, Jarbas disse que Cunha “não tem mais condições éticas, morais, políticas, sobretudo, políticas, de negociar coisa nenhuma. Nem a pauta da Casa, quanto mais o impeachment” da presidente Dilma Rousseff (PT). Para o deputado, a petista também perdeu as condições de governar o País, dada a popularidade em baixa histórica.

O manifesto usa o argumento de que Cunha pode virar réu do Supremo Tribunal Federal nos próximos dias para pedir seu afastamento imediato da presidência da Câmara – terceiro posto na linha de sucessão da presidente da República. Intitulado “Em defesa da representação popular”, o documento lembra, de acordo com delatores da Lava Jato, Cunha recebeu US$ 5 milhões em propina, e teria usado a igreja Assembleia de Deus como intermediária em uma das transações.

O presidente nacional do maior partido de oposição, Aécio Neves (PSDB), disse que a posição da bancada tucana será a de permitir que Eduardo Cunha apresente sua defesa perante o Supremo Tribunal Federal, caso a denúncia seja aceita.

Em entrevista ao GGN, o jurista Luiz Flávio Gomes levantou a tese de que Cunha, se investigado pelo STF, deve ser afastado automaticamente, pois a Constituição não permite que as figuras que estão na linha de sucessão presidencial (vice-presidente, presidentes da Câmara, Senado e STF) sejam réus.

Leia também:  Deputados avaliam que não é o momento de discutir obrigatoriedade de vacina

Eduardo Cunha nega as acusações e diz que tem sido vítima de um ataque do governo, que usa o Ministério Público Federal para atingir sua imagem e poder na Câmara.

Confira a lista:

Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)

Alessandro Molon (PT-RJ)

Arnaldo Jordy (PPS-PA)

Chico Alencar (PSol-RJ)

Chico D’Angelo (PT-RJ)

Clarissa Garotinho (PR-RJ)

Edmilson Rodrigues (Psol-PA)

Eliziane Gama (PPS-MA)

Érika Kokay (PT-DF)

Givaldo Vieira (PT-ES)

Glauber Braga (PSB-RJ)

Heitor Schuch (PSB-RS)

Hélder Salomão (PT-ES)

Henrique Fontana (PT-RS)

Ivan Valente (Psol-SP)

Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)

Jean Wyllys (Psol-RJ)

João Daniel (PT-SE)

Jorge Solla (PT-BA)

José Stédile (PSB-RS)

Júlio Delgado (PSB-MG)

Leonardo Monteiro (PT-MG)

Leônidas Cristino (Pros-CE)

Leopoldo Meyer (PSB-PR)

Luiz Couto (PT-PB)

Luiza Erundina (PSB-SP)

Marcon (PT-RS)

Margarida Salomão (PT-MG)

Moema Gramacho (PT-BA)

Padre João (PT-MG)

Pedro Uczai (PT-SC)

Sérgio Moraes (PTB-RS)

Silvio Costa (PSC-PE)

Valmir Assunção (PT-BA)

Waldenor Pereira (PT-BA)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Lamentável

    APENAS 35 dentre mais de 500 deputados têm a coragem de assinar a lista ! Triste Congresso brasileiro. Mais deprimente ainda é a postura ridícula do próprio denunciado agarrado a seu cargo, onde  em qualquer país com um mínimo de civilidade, ele próprio já teria renunciado.

  2. Jarbas é o único do PMDB a assinar manifesto contra CUNHA.

    Então os outros DEPUTADOS FEDERAIS do PMDB DERAM-ME o DIREITO de PENSAR, que eles são a FAVOR da CORRUPÇÃO e de usar os PODERES da PRESIDÊNCIA da CÂMERA FEDERAL em bem PRÓPRIO.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome