Tucano tenta atingir PT convocando filho de Lula e ex-ministros para CPI do Carf

Jornal GGN – O presidente da CPI do Carf, senador Ataídes Oliveira (PSDB), tenta atingir o governo Dilma Rousseff (PT) e a imagem do ex-presidente Lula apresentando pedidos para colher depoimentos dos ex-ministros Gilberto Carvalho e Erenice Guerra, e de Luís Cláudio Lula da Silva – este último, alvo da Polícia Federal desde a última fase da Operação Zelotes.

Segundo informações do Estadão deste quarta-feira (4), Ataídes prometeu colher assinaturas para reforçar seu requerimento, mas até agora não conversou com outros opositores ao governo. Aliados que compõem a CPI apontaram que a intensão do tucano é apenas a de constranger Lula e Dilma com os pedidos de convocação, pois Ataídes sabe que, dificilmente, os requerimentos serão aprovados.

Mais da metade da CPI do Carf, além de governista, não pretende desviar o foco das investigações, que teve início do desbaratamento de um esquema de pagamento de propina em troca de abatimento de dívidas bilionárias de grandes grupos econômicos junto à Receita Federal.

A nova fase da Zelotes, porém, decidiu mudar de rumo e investigar a suposta compra de Medidas Provisórias nos governos Lula e Dilma, seguindo os rastros da consultoria SGR, que supostamente atuou em favor de montadores de veículos.

A SGR também teria firmado contratos de prestação de serviços (com pagamentos efetuados cinco anos após a edição da Medida Provisória 471) para a LFT Marketing Esportivo, empresa de Luis Cláudio. O Ministério Público Federal desconfiou da relação das duas empresas e conseguiu um mandado de busca e apreensão de documentos na sede da LFT, no mês passado.

Essa semana, em entrevista à Rede Brasil Atual, a relatora da CPI do Carf, senadora Vanessa Grazziotin (PC do B), garantiu que a comissão não vai sair do encalço dos grupos econômicos acusados de fraude fiscal para perseguir as empresas do filho de Lula, como fez o MPF e a Polícia Federal na Zelotes.

Para o senador e líder do PT no Senado, Humberto Costa , Ataídes também não terá sucesso nos requerimentos contra Erenice, Carvalho e Luís Cláudio porque a CPI do Carf não desviou o foco. “Ele tem duas alternativas. Ou colhe assinaturas para abrir uma nova CPI de medidas provisórias, ou garante um aditivo para investigar esses temas que ele quer”, justificou.

Segunda tentativa

Não é a primeira vez que membros da CPI do Carf tentam colher depoimentos de Erenice, Gilberto Carvalho e Luís Cláudio. Em outubro, outros requerimentos de convocação foram apresentados, mas derrubados pelos governistas, que usaram justamente o argumento de que a suposta compra de medidas provisórias não está relacionada com a investigação sobre golpes na Receita Federal.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora