Brasil dobra casos de coronavírus a cada 2 dias, acima da Itália

Em Cingapura, considerado um dos países que melhor tem enfrentado a doença, os casos de COVID-19 dobram a cada 10 dias

Foto: Reuters

Jornal GGN – A cada dois dias, dobra o número de casos de coronavírus confirmados no Brasil. Na Itália – que registra mais de 2 mil mortes e já começa a discutir quem viverá ou morrerá por falta de leitos em UTI – os números dobraram em um período de tempo maior, de 5 dias.

Em Cingapura, considerado um dos países que melhor tem enfrentado o avanço da doença, os casos de COVID-19 dobram a cada 10 dias. A média é a mesma no Japão. Na Coreia do Sul, os casos dobram a cada 15 dias.

Na Espanha, o número dobra a cada 3 dias. Nos Estados Unidos, a cada 5 dias. Em Portugal, o dobro é atingido diariamente. Na China, onde supostamente começou a epidemia, os casos agora dobram a cada 35 dias.

Os dados sobre o Brasil, embora ainda incipientes, são da Organização Mundial da Saúde e foram atualizados no dia 16 de março. Estão disponíveis neste site aqui, vinculado à Universidade de Oxford.

A instituição de ensino lançou há poucos dias um estudo ainda não verificado que projeta o número de mortes no Brasil por coronavírus. Serão mais de 470 mil óbitos, caso as autoridades não adotem as medidas de segurança necessárias.

De acordo com o Ministério da Saúde, no final desta terça (17), o Brasil registrava 291 casos confirmados de COVID-19, e há mais de 8,8 mil sob suspeita. A pasta trabalha com dado diferente da OMS, com o número de casos dobrando no Brasil a cada 3 dias, segundo informações do UOL.

Em São Paulo, foi confirmada a primeira morte por coronavírus. A vítima tinha mais de 60 anos, estava internada em hospital privado desde o dia 14/3. Cardíaca e diabética, apresentou os primeiros sintomas ainda no dia 10/3. Veio à óbito do dia 16/3.

Leia também:  Covid-19 – Balanço de momento: 10,2 milhões de casos, 502 mil mortes e 5,1 milhões de altas, por Felipe A. P. L. Costa

Leia também: Casos de coronavírus no Brasil podem chegar a 30 mil em duas semanas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Como o clima vai espalhar o coronavírus numa simulação de um investigador português

    Miguel Bastos Araújo, especialista em alterações climáticas, fez uma simulação para perceber como se propagará o Covid-19 mês a mês, segundo o clima. Veja o mapa (gif animado) que mostra a evolução
    A incidência de coronavírus deverá continuar a afetar gravemente o sul da Europa – incluindo Portugal – durante os meses de março e abril, reduzindo-se progressivamente sobretudo a partir de finais de maio e até outubro. Essa é uma das conclusões de um modelo desenvolvido por Miguel Bastos Araújo, biogeógrafo especialista em alterações climáticas (vencedor do Prémio Pessoa 2018), e de Babak Naimi, da Universidade de Helsínquia.
    O trabalho dos dois investigadores aguarda publicação numa revista científica, mas o português divulgou já algumas conclusões no seu site, incluindo um gif que mostra a propagação do vírus de acordo com o clima. “Estes resultados têm tremendas implicações para a gestão do risco pelos setores público e privado”, escreve Miguel Bastos Araújo.

    https://visao.sapo.pt/visaosaude/2020-03-13-investigador-portugues-calculou-a-propagacao-do-coronavirus-de-acordo-com-o-clima/

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome