Coronavírus: Governo deve reduzir auxílio emergencial para R$ 200 ou R$ 300

A possibilidade de estender os R$ 600 até o final do ano está descartada. O argumento é que não há mais dinheiro em caixa

Jornal GGN – É destaque na coletina de Lauro Jardim, em O Globo desta segunda (1º), que o governo Bolsonaro deve estender o auxílio emergencial pago durante a pandemia de coronavírus.

O valor pago nas três primeiras parcelas, porém, deve cair de R$ 600 para R$ 200 ou R$ 300, segundo o ministro da Economia Paulo Guedes tem dito reservadamente aos seus interlocutores.

A ideia é pagar mais três parcela de R$ 200, ou mais duas parcelas de R$ 300.

A possibilidade de estender os R$ 600 até o final do ano está descartada. O argumento é que não há mais dinheiro em caixa. “Os três meses de R$ 600 significam R$ 59 bilhões, o dobro do que o Bolsa Família custa por ano.”

>>> O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE O PASSADO DE SERGIO MORO. SAIBA COMO AJUDAR AQUI. <<<

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN entrevista hoje, às 14h, o epidemiologista Expedito Luna

4 comentários

  1. O amor do presidente, o Trump está pagando U$ 1.200 por mês. Ele hoje libera (com atraso), U$ 100 mensais e quer passar para U$ 50 ou U$ 33. Pergunto para os militares que recebem 2 salários, pode isto?

  2. Os R$200,00 era o que essa gente que finge governar estava querendo desde o começo e,graças a uma ação bem coordenada pela oposição,vingou os R$500,00 que o próprio sujeito que ocupa a presidência concordou em aumentar para R$600,00,ou seja,a figura que não tem condições nenhuma de dirigir sequer um posto Ipiranga,no sentido estrito da palavra,já usava essa mesma argumentação àquela época.
    A questão não é dinheiro,até porque o governo sequer pagou a primeira parcela para 10 milhões de pessoas e,a segunda parcela,ainda está em fase inicial de pagamento.
    Mesmo assim,podemos dizer que este auxílio tem sido o responsável pela não existência de uma convulsão social,o que não dá para garantir que não venha a ocorrer com uma redução ao nível pretendido pelo desgoverno.
    Pior ficará se,como aparentemente ocorrerá,for necessário um período maior de confinamento da população e com maiores restrições. Teremos aí um cenário perfeito para uma catástrofe sem precedentes na história brasileira,se é que é possível alguma coisa pior do que ter permitido que um sujeito como esse ocupasse a cadeira da presidência da república.

  3. Dinheiro tem, o que não se pode é ficar jogando dinheiro fora com gente pobre e doente.
    Brasil branco e rico, com crianças alouradas e saudáveis não faz parte do outro país de céu verde que vai morro abaixo, caindo sem horizontes. Seus símbolos dizem como o brasil de hoje se vê.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome