Bolsonaro disse que estava “trabalhando” contra investigação do STF

O mandatário disse que "cidadãos de bem" tiveram seus lares invadidos e defendeu "liberdade de expressão", ao se referir a Fake News

Foto: Marcos Correa/PR/Divulgação

Jornal GGN – Além do presidente Jair Bolsonaro afirmar que “acabou” e que “não haverá mais outro dia como ontem”, em clara demonstração de que irá atuar contra decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), o mandatário também escreveu em suas redes sociais que estava “trabalhando” contra o que ele considerou ser violação ao direito de expressão.

“Ver cidadãos de bem terem seus lares invadidos, por exercerem seu direito à liberdade de expressão, é um sinal que algo de muito grave está acontecendo com nossa democracia”, escreveu, tergiversando o próprio objetivo de Operação, que foi o de impedir ataques contra a democracia.

“Estamos trabalhando para que se faça valer o direito à livre expressão em nosso país. Nenhuma violação desse princípio deve ser aceita passivamente!”, continuou.

Foi após este twitter de Jair Bolsonaro que o ministro da Justiça e Segurança, André Mendonça, entrou com um pedido de habeas corpus preventivo no STF, impedindo que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, um dos intimados, preste depoimento aos investigadores.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Novo marco do saneamento produzirá "choque tarifário”, diz Haddad

3 comentários

  1. Esse “terrivelmente evangélico”, ora adotado pelos bolsonadas como ministreco-da-injustiça, pode advogar? Pelo que li por aí, como ministro ele estaria impedido de advogar. Então, será que o ministro do STF poderá não receber o pedido em função do referido impedimento legal?

  2. Como nunca trabalhou a favor, entende-se que a melhor parte da Democracia a que ele se refere nunca deixou de ser a pior…
    livre expressão na melhor parte e liberdade total para ameaçar e ofender na pior

  3. Não é só o conteúdo, é o processo farsesco.
    Além das fake-news, há os fake-usuários dos robôs de disparo em massa, falseando uma rede de apoiadores que não existe (para convencer as pessoas que estão em uma maioria).
    Uma coisa é fazer propaganda em massa (broadcast, spam, mala-direta, etc.).
    Outra é falsear que há um mundo de gente compartilhando uma opinião comum,de “consenso” geral.
    E quase sempre “construindo” desinformação.
    E disseminação de ódio.
    Não há debate, há ataque.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome