Brumadinho: 157 mortos e 182 desaparecidos

Dos mortos resgatados, 134 foram identificados. As equipes buscam, ainda, 182 desaparecidos

Brumadinho - Foto de Washington Alves - Reuters/Agência Brasil

Jornal GGN – O número de mortos em consequência do crime da Vale no rompimento da sua barragem, em Brumadinho, subiu para 157. A informação foi dada pela Defesa Civil de Minas Gerais. O rompimento se deu há duas semanas.

Dos mortos resgatados, 134 foram identificados. As equipes buscam, ainda, 182 desaparecidos. Deste contingente de vítimas, 55 são funcionários da Vale e 127 são moradores e turistas que estavam nos arredores da barragem de propriedade da mineradora.

Foram localizadas 393 pessoas, sendo 294 da lista da mineradora e 169 moradores da comunidade. A Defesa Civil registra 133 desabrigados, que foram retirados de suas casas por riscos apresentados ou por terem sido completamente destruídas.

Três pessoas estão ainda hospitalizadas.

O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo, em coletiva ontem, informou estar negociando com a Vale e um fundo internacional, de origem canadense, um aporte de recursos para reconstrução da cidade. Mas não informou quem são os integrantes do fundo em questão e nem os valores da ajuda.

No entanto, reiterou que continua em negociações diretas com a Vale para o apoio às vítimas do rompimento de sua barragem e o custeio das despesas de atendimento aos atingidos e da reconstrução da cidade e das estruturas devastadas ou sucateadas pela lama.

2 comentários

  1. Olá Dona Lourdes,tudo bem com a senhora?Sabe da minha admiração por você,certo.Gostaria de lhe sugerir,sem,em nenhum momento,interferir na pauta do jornal GGN,espaço esse que pulsa a democracia, se posicionasse sobre as agressões de Ciro Gomes contra Lula.Acredito que já passou da hora Blog emitir sua opinião,seja ela qual for.

  2. TUV SUD, DNV, ABS, BV, SGS, LR, etc., todas empresas certificadoras que operam no Brasil sem nenhuma fiscalização séria. O INMETRO não tem pessoal nem capacidade para isso.
    Essas empresa terceirizam, precarizam, PJ seus funcionários, pouco investem, sonegam, remetem polpudos lucros às suas matrizes na Europa e EUA.
    Vendem seus certificados com “canetinhas de ouro”, pois o lucro é mais importante e precisam manter os seus clientes especiais, como no caso a Vale.
    Já passou da hora de abrir esta caixa preta das Certificadoras no Brasil.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome