Caminhoneiros deixam as estradas e vão a Brasília pressionar o governo

Foto: RS NORTE

Da RBA

“Os caminhoneiros autônomos estão chegando em Brasília. Não sei porque a mídia não está divulgando, mas já temos cerca de 300 caminhões chegando lá”. A informação é do motorista autônomo Moisés Oliveira. O movimento agora sai das estradas e vai para a capital federal.

Segundo o profissional, a liderança da categoria que esteve negociando com o governo “não soube se expressar” em relação às reivindicações do setor. Para Moisés, o fato de a movimentação dos caminhoneiros envolver muitos grupos diferentes dificulta a identificação de uma liderança em seu segmento e proporciona a ação de aproveitadores tentando impingir um caráter diferente dos reais objetivos da categoria.

“Depois da greve, muita gente começou a tirar proveito, porque sabe que a nossa classe não tem um discurso de direita ou de esquerda. A nossa classe é de chegar lá e fazer, não quer envolvimento político. A gente está levantando líderes para tentar conversar como governo de maneira mais adequada”, diz o caminhoneiro em entrevista a Marilu Cabañas, na Rádio Brasil Atual.

Segundo Moisés, a categoria dos autônomos é unida, porém tem dificuldade de articulação em função das distâncias e da logística. “Cada um está cada hora em um lugar, então fica difícil”, admite. Ele criticou ainda o assédio por parte de “gente de extrema direita” tentando emplacar o discurso da intervenção militar aproveitando-se da falta de informação de boa parte de seus companheiros. Nesse aspecto, diz o motorista, é que faltou a presença de movimentos sociais e esquerda, para fazer esse contraponto ante a desinformação.

Mas depois de 11 dias de paralisações e polêmica, o caminhoneiro considera que hoje a maioria não concorda com intervenção e tem até “raiva” do assunto. “Nosso desafio agora é estabelecer uma liderança com capacidade de negociar suas reivindicações.”

Nesta entrevista, Moisés fala também do dia a dia dos profissionais, os sofrimentos e dificuldades da vida de caminhoneiro. Descreve as diferenças de jornada e condições de trabalho em relação aos empregados celetistas de transportadoras. Menciona os perigos da estrada e a importância do trabalho para as economias locais. “Tem muitas cidades (no trajeto dos grandes percursos) que vivem da presença do caminhoneiro.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

17 comentários

  1. O movimento dos caminhoneiros

    O movimento dos caminhoneiros autônomos perdeu o seu momento. Ao não se definir do ponto de vista político como um segmento específico dentro do setor, com demandas próprias foi facilmento isolado como foi o setor dos assalariados, Quem liderou todos foram os empresários. Suas demandas foram atendidas. Agora talvez entendam que devem ter uma agenda própria e que sua atuação sempre será política.

  2. O movimento dos caminhoneiros

    O movimento dos caminhoneiros autônomos perdeu o seu momento. Ao não se definir do ponto de vista político como um segmento específico dentro do setor, com demandas próprias foi facilmento isolado como foi o setor dos assalariados, Quem liderou todos foram os empresários. Suas demandas foram atendidas. Agora talvez entendam que devem ter uma agenda própria e que sua atuação sempre será política.

  3. Ainda é tempo

    Um dia de paralisação geral em apoio aos motoristas autônomos.

    Pode ser meio dia também, duas horas, três horas, uma horinha que seja.

    PÔ!!!!

  4. A lição que todos os brasileiros, terá que ter aprendido.

    Passados os piores 11 dias da história republicana brasileira, nos quais uma categoria, que nem é assim tão organizada, tanto que nem tem um representante legítimo, mas que praticamente deixou o governo federal de joelhos, e que indireta e despretenciosamente afetarm o cotidiano de 90% dos brasileiros “simples mortais” fica a pergunta, à sociedade civil: Esta lição dos caminhoneiros, teria tido o efeito, de mostrar às demais categorias profissionais(algumas paradoxalmente organizadas e bem-representadas) que é perfeitamente possível, conseguir o atendimento de suas justas reinvindicações, sem tumultos, sem violencia, sem vandalismos, e sem muita influência política ?

    Eu particularmente acho, que após terem conseguido praticamente “tudo” o que reinvindicavam, eles bem que poderiam, ter voltado às suas funções, e obrigações para com seus contratantes( CLTistas ou não) porém sem que ninguém pedisse, eles resolveram assumir a responsabilidade social, de “brigar” pelos demais brasileiros(99% da população) pois sabiam que esses seriam penalisados,para que suas exigências fossem atendidas, com o repasse integral isenções e benefícios/descontos no díesel) nos preços dos demais combustíveis(gasolina, etanol e gáz de cozinha) e/ou aumento de outros impostos.

    Mas ninguém entendeu … e cêrca de 300 caminhoneiros autônomos, que ouzaram ir “peitar” o governo federal, em Brasília, é que vão pagar o pato.

    Tivemos uma aula, mas parece, que não aprendemos a lição .

    • eis que de onde menos se esperava…

      surgiu uma causa nacional digna desse nome e que poucos entenderam

      e nunca entenderão, se continuarem acreditando que para se conseguir uma coisa é preciso sacrificar uma outra, porque é assim que se faz de qualquer sociedade, não só a brasileira, uma multidão em processo de seleção brutal

      mas não é culpa do povo não; maior culpado pelo processo de seleção que se avizinha

      é o Judiciário Brucutu que temos, muito mais que decadente, fragmentado em interesses

      ou ainda do tempo das cavernas………………………………….e como ganham bem estes brucutus

  5. Volta à ativa, no Blog.

    Fui um dos precursores entre os comentaristas deste blog, desde que o Nassif migrou do antigo provedor, para o GGN, e faltou-me tempo, para continuar a fazer uma das coisas mais prazerosa da minha vida: participar dos debates democráticos, deste fórum, e isso foi devido àsminhas atividades durante os anos de 2014 até este ano, nos quais voltei aos “bancos escolares” num mestrado de sociologia na USP, que só agora finda, e aí, tô de volta … 

    • Com todo respeito amigo,
      Com todo respeito amigo, comece dissertando sobre como você demorou tanto tempo para concluir seu mestrado. Todo esse tempo gerou publicações, retornando todo o recurso investido em seu desenvolvimento profissional para a nossa sociedade? Se não, sugiro que o faça, afinal é nosso dever retribuir esse ingestimento.

      Att.,

      Mestre e Doutorando na Unesp

  6. é isso aí, nem de direita nem de esquerda…

    cujas atividades sempre se mostraram impotentes, porque nada melhorou, só piorou

    num país de canalhas, o que faz a hora é o corpo a corpo com a sobrevivência,

    não com a esperança e com as promessas vãs

  7. Orfãos dos partidos de

    Orfãos dos partidos de “esquerda” e das centrais sindicais, os caminhoneiros que se dirigem a Brasília em luta pela sobrevivẽncia poderão ser sacrificados no altar do Vampiro e de seu acólito, o demõnio Parente. Será que as “esquerdas” vão continuar assistindo da janelinha?

  8. Desde o inicio, consegui me

    Desde o inicio, consegui me infiltrar num grupo de ” grevistas” caminhoneiros, que se chamava intervenção militar.

    Como participo de um grupo de esquerda petista, avisei posso ser agente duplo, vamos aproveitar a oportunidade para disseminar a nossa pauta contra a Privatização, explicar a pilantragem da politica de preços…Ficaram com medinho, “não por que video que expulsaram sindicalistas, Cut, intervenção militar”. Quando os caminhoneiros rejeitaram o primeiro acordo que só beneficiava transportadoras, alertei tem caminhoneiro que se reconhece como trabalhador, o fato de ser reacionário não lhes tira essa condição. Continuaram com o mimimi… resumindo hoje no grupo me chamam de companheira, apoiaram a greve da FUP, inclusive foi eles que postaram um dos videos mais históricos, o petroleiro junto com o camisa amarela, fui falar com o grupo de esquerda quase me expulsaram, coisa que os intervencionistas não fizeram, agora mudaram o nome do grupo, não são mais intervencionistas, colocaram guerreiros pelo Brasil, até video do PHA, petroleiros e sobre o Pre-sal está rolando.

    Cheguei a conclusão que muitos da esquerda não querem um mundo melhor para todos, querem que todos pensem igual a eles, isso é errado, são um bando de frouxos , com um debate academico que não atinge a população. E se Lula fosse de direita São Bernado tinha pegado fogo, por que coragem os cara tem, não foi atoa que tomamos um golpe, e fomos chorar nas rede sociais.

  9. Que os caminhoneiros não sejam hipócritas e corporativistas

    Se os caminhoneiros estão indo a Brasíia reivindicar seus direitos, que pensem na saúde, na educação, na ciência e tecnologia, e na seguridade social. Se aceitarem essa solução assassina da ditadura, estarão sendo hipócritas e só pensando no rendimento imediato. Estarão sendo cúmplices de um regime que tem como propósito eliminar física e simbolicamente pelo menos 2/3 da população. 

  10. Nova campanha da CIA..

    …Traia  seu  país conosco,  ganhe  30  moedas e  uma viagem pra Disneylândia com  toda  a  família !!!

     

  11. Sei que a esquerda brasileira

    Sei que a esquerda brasileira (sempre amadora, atrasada e ingênua), perdeu uma grande oportunidade para capturar o movimento e botar pra quebrar.

    Quanto aos caminhoneiros, pararam o país por 10 dias, ganharam uma esmola e não resolveram o problema porque o Pedro Parente continua firme e forte f**** o país. Aliás, pelo que vi eles pararam apenas por causa do preço do diesel, mas foram incapazes de identificar onde estava o problema.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome