Fakenews de 2017: emprego e recuperação da economia, por Luis Nassif

Há três fakenews em discussão na economia brasileira:

Fakenews 1 – a reforma trabalhista não afetará o nível do emprego

É evidente que não. O que define o nível de emprego é a demanda e o nível de automação da empresa. Se a empresa precisa de 100 funcionários para manter a produção, irá manter os 100 funcionários com ou sem lei trabalhista.

O que a lei provocará será a precarização do emprego e o aumento da rotatividade. E como haverá pequena reação cíclica da economia, é até possível que o desemprego seja reduzido.

A comparação correta, portanto, será do crescimento da massa de salários x crescimento do PIB.

Fakenews 2 – a recuperação da economia

Está havendo uma celebração indecente da suposta recuperação da economia. É evidente que, após uma queda pesada da economia, haja algum nível de recuperação.

Aliás, a fase mais favorável à do crescimento e após a grande queda, pois existe capacidade ociosa na economia que poderá ser utilizada sem grandes investimentos.

As projeções mais otimistas indicam que levará 23 trimestres para o PIB retornar aos níveis pré-crise. Que rapidez é essa?

Fakenews 3 – a inflação abaixo da meta é uma vitória

Inflação fora da meta é erro, seja acima ou abaixo. Acima, é sinal de descontrole. Abaixo, é sinal de recessão. O próprio Banco Central estima que em 2017 a política monetária tirou 0,8% do PIB.

E taxa de juros que conta é a real, aquela que se situa acima da inflação. A taxa real hoje em dia está em mais de 4% ao ano, contra quase zero de economias maduras.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Carestia leva a saque em supermercado no Rio de Janeiro

25 comentários

  1. Desemprego 100 e contrato 20.

    Desemprego 100 e contrato 20. Aumento de 20% de novos empregos.

    Desemprego 100 e contrato 100. Aumento de 100% de novos empresgos.

    Fato real: Universidade Estácio de Sä desmite 1,2 mil professores e os recontrata de forma intermitente…

    PIB zero passa para PIB zero mais zero,zero, zero um. Aumento do PIB verificado. Qualquer alteração para mais, por mínimo que seja, aumenta o PIB…

    • mais numeros

      Novembro eu e Machiavelli in Santa Croce números na mão ele confirma irônico que a recuperação é um fato com o exemplo de um produtor sueco!!!!!

      No ano 2016 da era Dilma a produção da indústria de transporte de equipamentos leves e pesados era de noventa mil unidades, foi caindo até o fim de 2017 para vinte mil recuperando parte da produção até quarenta mil unidades, denotando apenas a substituição de material obsoleto e antieconômico.

      Dois turnos na produção foram suprimidos no período.

      A produção aumentou e passou de vinte mil para quarenta mil, aumento de 100%.

      Machiavelli democraticamente me encaminhou para a opinião do poeta Foscolo que bastante otimista aconselhou: “Anche la spem ultima dea fugge i sepolcri”.

    • excluidos

      Se para advogado estabelecido aconteceu uma queda de faturamento para 1/3 do período anterior ao golpe,

      Imagine o que aconteceu com os milhares que mudaram a própria residência para debaixo da marquise ou da ponte!

      •  Meu voto foi rasgado, em

         

        Meu voto foi rasgado, em 2017 fui perseguido pela PF por atacar frontalmente o golpe e minhas finanças foram destruídas. Estou com raiva dos advogados que apoiaram o golpe porque presumiram que os votos deles valem mais do que os “outros votos” (dentre os quais o meu). As instituições da minha categoria conspiraram para revogar minha parcela de soberania popular. Aqueles que lucraram com o golpe para arrebentar minha vida econômica não são e nunca serão meus colegas. Eu não vou passar fome, nem deixarei de comprar livros e ir ao cinema. Mas posso imaginar o sofrimento das pessoas que foram lançadas deliberadamente na miséria, na incerteza, que não sabem se vão ter o que comer amanhã, que vem os filhos definhar sem assistência médica, que querem votar em Lula e provavelmente não poderão fazer isso etc…

    • Não consigo atinar com essa

      Não consigo atinar com essa história de que o mau cheiro tende a se esvair. Se nem o Bode que puseram na sala, foi retirado?

      Perai meu caro Roberto, fala com teu amigo, isso ai não é otimismo algum. Convém, ao menos, aconselhar o rapaz a consultar um otorrino.

      Orlando

  2. O Nassif não quer dar o braço

    O Nassif não quer dar o braço a torcer. A situação está melhor, com todos os problemas e pesares. O fato de ter havido uma “queda pesada na economia” não implica em recuperação, a queda poderia ter continuado por mais um ou dois anos. A realidade é que a nova equipe econômica interrompeu o descalabro de Dilma e deu mais ânimo aos brasileiros. A queda da inflação aumentou a capacidade de consumo. Realmente a taxa de juros que importa é a real, mas conseguimos reduzir a taxa nominal a um recorde histórico, algo que não pode ser desprezado, nem pelos antagonistas ideológicos.

      • Prezado Tursi, pare e pense:

        Prezado Tursi, pare e pense: você é mal intencionado ou ganha algo para tecer seus comentários no blog? Em caso negativo, por que não acreditar que outro cidadão tem o mesmo caráter que você? Em caso positivo, bem, então não haveria motivo para queixas, pois seríamos iguais na falsidade.

    • A situação está melhor para

      A situação está melhor para quem? Em que mundo você vive prezado? São 13 milhões de desempregados, você sabe o que isso representa na vida das pessoas? Essa é a “situação melhor” que você defende: para o empresário que exporta, por exemplo, está ótimo. Câmbio favorável, mão de obra abundante por baixo valor, leis trabalhistas que os fortalecem perante os trabalhadores. O maior ânimo foi para os empresários, que representam os 3% que apoiam esse desgoverno maldito. 

    • A situação está melhor para

      A situação está melhor para quem? Para a turma dos Jardins que tem renda alta, a infalção baixa é otima. Para o desempregado e para os ex-donos das 200 lojas fechadas da Rua Augusta a inflação baixa sem compradores

      não resolve, semana passada no coração dos Jardins fashion fecharam duas lojas em plena temporada de Natal.

      O PRIMEIRO SINAL de crescimento de uma economia é PRESSÃO INFLACIONARIA, a inflação tendo a subir e não a cair, isso se aprende na primeira semana de qualquer curso de economia desde o Seculo XIX.

      Inflação abaixo do piso é indicador de FALTA DE PODER DE COMPRA, só a GLOBONEWS não sabe e comemora,

      Oscilações micro no PIB não tem qualquer significado para comemorar, o Brasil tem espaço para crescer 20% em dois anos

      pela capacidade ociosa em tudo, só não cresce pela estupidez da politica monetaria deflacionista.

      • Prezado André, eu não disse

        Prezado André, eu não disse que a situação está boa, disse apenas que melhorou, o que é inequívoco, já que caiu o desemprego. Como você mesmo afirma, há capacidade ociosa na indústria, por conseguinte um aumento de consumo não implica em imediata inflação de demanda. Aliás, acabo de ver uma pesquisa no Rio de Janeiro, que acusou um aumento de mais de 11% no número de turistas na cidade, na passagem de ano, em relação ao ano anterior, sendo 83% brasileiros.

      • Prezado MarFig, não sou

        Prezado MarFig, não sou troll, que imagino ser algo ruim, pelo tom que você deu, e tenho coração. Obviamente a discreta melhora na economia não elimina mendigos e vendedores. Aliás, tenho certeza de que nem uma melhora estrondosa o faria. A existência de mendigos e moradores de rua tem muitas causas, entre as quais baixa instrução, desajuste social ou familiar, alcoolismo, etc., não são só razões econômicas.

        • Meu caro, existe muito mais

          Meu caro, existe muito mais alcoolismo, desajuste social e ignorância nas classes altas do que nas baixas. Se fosse assim então o Belvedere inteiro aqui de BH era pra morar debaixo da ponte. Pelo contrário, a uma hora dessas estão enchendo a cara em algum restaurante caro da zona sul ou até mesmo em casa. 

    • Acabei de comprar um butijão de gás

      R$ 80,00 com promoção. Sem contar todo o resto que sobra para as classes onde o preço de um butijão pesa. Realmente, está melhorando muito, eu que não enxergo.

    •   Seu comentário fede a

        Seu comentário fede a má-fé, meu santo!

        Para toda queda há um limite e, para você que ainda pode acessar a internet, é motivo de celebração que tenhamos atingido o chão sem te levar para baixo da ponte, como fez a recessão criminosamente anabolizada pela oposição a Dilma desde 2014.

        Mas parabéns, você fez seu papel no impulsionamento das fake news ao comemorar o estrago que a “nova equipe econômica” ajudou a aumentar. Agora você pode comprar mais nos estabelecimentos que não fecharam por falta de consumidores e até celebrar a taxa SELIC que caiu pra cima – mas omita os juros bancários, porque o rotativo do cartão de crédito continua na casa dos 400% ao ano.

        Em resumo: se você desse algum sinal de que pode vir a ter vergonha na cara, eu te mandaria fazer eatamente isso. Como ão é o caso, não perderei mais meu tempo, além do que já gastei ao destrinchar seu descaramento.

      • Prezado André élebê, sim,

        Prezado André élebê, sim, mantenho o prezado, apesar de sua falta de educação e respeito. Você tem todo o direito de discordar e dar seus argumentos, sem recorrer a insultos. Por que motivos eu teria má-fé? Não vejo nenhum, por mais que você estranhe.

        Repetindo o que eu disse em comentário anterior, não afirmei que a situação econômica é boa, nem que os estratosféricos juros bancários caíram, apenas disse que melhoramos um pouco, em que pese o destempero político que o atual governo apresenta.

    • Para falar em descalabro de Dilma, tem de se considerar o quanto

      da crise foi inflado pela mídia e seus colonistas, com campanhas diuturnas, basta verificar o que foi comprovado pelo manchetômetro. É esta mesma mídia que está ai. Nada mudou. Uma mídia ativista no que não deve ser e um judiciário inepto onde não pode ser, é ingenuidade demais comemorarmos supostas melhoras financeiras e não ECOnômicas.

    • Cara de Pau
      Não poderia deixar de comentar seu comentário,é o queima e assobra, a inflação baixou mas ninguém compra, a Selic está baixa mas o juros real está nas alturas, é como o Salim que vende Audi por 5 mil mas não tem o produto para entrega

  3. Na mídiia a situação melhorou

    Na mídiia a situação melhorou sim,

     

    ontem mesmo um calunista da tranqueiranews, o canal curva de rio, disse que o brasileiro está otimista, ele disse e eu acredito, mesmo depois do mesmo calunista afirmar que o número de pessoas devendo no cartão e nas lojas aumentou (acho que não devem ser brasileiros, estes, otimistas).  A coisa deve estar boa para o comércio, aqui onde moro está tudo fechado, todos na praia comemorando o novo salário miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinimo e aguradando ansiosos pela reforma da previdencia, como bem disse, o futuro presidente, móia………

  4. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome