Investigado em 5 inquéritos no STF, relator da reforma trabalhista é cotado para governo Bolsonaro

Foto Agência Câmara

Da agência Saiba Mais 

Investigado em 5 inquéritos no STF, relator da reforma trabalhista é cotado para governo Bolsonaro

O relator da reforma trabalhista Rogério Marinho (PSDB/RN) é o favorito para ocupar o cargo de secretário adjunto na secretaria de Trabalho e Previdência, pasta que substituirá o Ministério do Trabalho e que ficará anexada ao superministério de Economia. Ele é o preferido para o posto pelo futuro ministro Paulo Guedes.

A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Rogério Marinho é investigado em cinco inquéritos no Supremo Tribunal Federal e Tribunal de Justiça por diversos crimes, entre eles corrupção passiva e ativa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e crime contra a ordem tributária.

Apesar do financiamento pesado na campanha a partir da doação de grandes empresários beneficiados com a reforma trabalhista, Marinho não conseguiu se eleger, ficando na 12º colocação, e ocupando a segunda suplência da coligação.

O mandato dele como deputado federal termina em 31 de dezembro. Além da reforma trabalhista, que mudou mais de 100 artigos da CLT e retirou direitos dos trabalhadores conquistados desde a era Vagas, Rogério Marinho também tentou enquadrar os movimentos sociais na lei Antiterror.

Leia matéria completa aqui

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  STF pode barrar indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada

3 comentários

  1. Secretário

    Com a escolha de Rogério Marinho, a pasta da Economia terá 7 secretarias especiais:

    6. Previdência e Emprego
    Titular: Rogério Marinho

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome