D’Artagnan D’Ourinol Episódio 3, por Rui Daher

Visconde, nenhum. Do título, sobra-lhe a cartola. De todas as suas traições e ganâncias, perdeu os saborosos grãos de milho e sobrou-lhe o sabugo

D’Artagnan D’Ourinol Episódio 3, por Rui Daher

Façam chuva e sol, estejam minhas botinas enlameadas ou pisando em terras estorricadas do agrário brasileiro, esta série, por sugestão de minha afável editora, será publicada duas vezes por semana. Terças-feiras e sábados.

De: @BRDjornalismo-everaldo; Para: @D’ArtagnanD’Ourinol;

“Reverendíssimo Visconde D’Ourinol. Se assim o trato é, primeiro, por lembrar-me como antigo patrão, industrial pioneiro, de quem por muito tempo fui motorista e segurança, se referia a seus diretores almofadinhas, “X cheira a sacristia”. Depois, por afilado, cumprido, certinho de araque, me remete ao Visconde de Sabugosa, personagem de Monteiro Lobato, no “Sítio do Pica-Pau Amarelo”.

Visconde, nenhum. Do título, sobra-lhe a cartola. De todas as suas traições e ganâncias, perdeu os saborosos grãos de milho e sobrou-lhe o sabugo, bom para chupar e retirar-lhe os derradeiros sabores, até jogarmos-lhe fora, no máximo para servir como adubo residual.

Nos livros de Lobato, era descrito pela cega obediência à boneca Emília. Não deixa de ser o que, hoje em dia, o reverendo nutre por certo juiz de piso nomeado ministro que deveria vazar. A certa altura, Lobato pensou desenvolver o texto mostrando uma paixão recôndita do Visconde por Emília. Mudou o enredo, pois aí poderia “moroar” o perigo.

De qualquer forma, como sabugo, a eminência é um ser vegetal, o que justificaria abafar as cagadas feitas pelo governo que o senhor ajudou a instalar, inclusive os energúmenos ministros do Meio Ambiente e das Relações Exteriores, ambos a arrasarem a imagem do Brasil no exterior.

Sei que vegetal não pensa, nem instinto animal tem, mas a eminência sacristã sabe construir PowerPoint que aponta um só culpado. Já basta para ser um Visconde-só-cartola-puxa-saco-de-emílias-bonecas.

Sacou.

Se não topar a entrevista, Harmônica o visitará. Hoje, também nós, fechamos colaboração com The Intercept Brasil. Temos tudo em detalhes.

A propósito, minhas medidas: altura, 2,03 m; peso, 126 kg; bíceps, 39 cm ida sem inserção de cocaína; potencial de murro, 30 vezes a aceleração da gravidade.

Propósito adicional: sou neto do Luiz Rosa, segurança de “O Pasquim”, quando a barra era muito mais pesada do que enfrentar sabugos como você. Escolha:

  1. a) Concede a entrevista;
  2. b) Receba-me;
  3. c) Escolha o Harmônica, na carótida é tudo mais rápido.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora