GGN – De volta ao blog – tantas cenas, por Rui Daher

Ao cabo, para gáudio dos gabinetes paralelos e do ódio, mais de 530 mil óbitos. Certo, Dra. Mitiko Clorokinaka?

Avenida Paulista, SP, 29 de maio 2021 – Arquivo pessoal

GGN – De volta ao blog – tantas cenas, por Rui Daher

A foto mostra um galo velho, cronista e blogueiro, depois de ficar por mais de dois anos sendo cozido em panela de pressão, temperado em desatinos bolsona(viga)ristas, em momento que retomava coragem para enfrentar RIP, o Regente Insano Primeiro, filhos e acólitos babacas, ministros incompetentes e milícias motorizadas nazifascistas.

Essa manifestação foi a origem para que a indignação democrática e a razoabilidade política, até então restritas às redes sociais, chegassem a segmentos conservadores mais informados e, finalmente, às ruas.

Não que a minha inconformidade se restringisse a esses últimos dois anos. Vinha desde 2016, quando um golpe de Estado derrubou a presidente eleita Dilma Rousseff. Até antes disso. Afinal, quem com mais de dois neurônios poderia acreditar que alguém despreparado pudesse governar País tão grande, complexo, rico em recursos, mas socialmente pobre e desigual?

SEGUNDA CENA

O galo velho, depois da manifestação, voltou para casa exultante. Seria o início da reação ao obscurantismo.

Jantou, contando o ambiente e o feito para a Cléo. Abriu a garrafa de vinho diária, acendeu o eventual “puro”, e se pôs no jardim diante do teclado para dividir a alegria com os poucos, mas amados, leitores do blog.

Daí em diante, pouco lembro. Parodio Lenine sobre namoradas em “Todas elas juntas num só ser”:

“Se me surgisse uma garrafa dessas
Confesso que eu talvez não resistisse
Mas, veja bem, isso seria só por uma vez

Uma vez só em toda a minha vida!
Ou talvez duas …, mas não mais que três”.

Acredito não ter ido a mais que três, mas de madrugada fui acordado por Cléo, deitado no jardim e sem qualquer movimento de corpo.

Levado ao hospital diagnosticaram compressão medular na cervical. Cirurgia, dezoito dias de internação, agora há três semanas com fisioterapia em casa. Não há prognóstico de tempo de recuperação pela ciência. Eu, negacionista, estimo 15 anos.

TERCEIRA CENA        

Hoje em dia, ampliam-se as percepções do kaputt para o tresloucado: queda nas pesquisas de opinião (23%); 14% de desemprego; 55% em pobreza extrema; projeção de PIB incerta (baixa vacinação e falácia calculada sobre base pífia); rumos escabrosos da CPI/COVID que, a cada semana, escancaram aleivosias, quadros despreparados para a Saúde, bocós ge(ne)rais a agirem, aprovarem e negociarem a aquisição de vacinas, na esteira dos soluços, Lula.

Ao cabo, para gáudio dos gabinetes paralelos e do ódio, mais de 530 mil óbitos. Certo, Dra. Mitiko Clorokinaka?

Para completar o Mytho (salve Glauber Rocha) da Anticorrupção, que no Brasil com raras exceções nunca passou de Saci Pererê, agora se vê cercado, junto aos militares que colocou no ministério da Saúde, de fortes indícios de corrupção justamente naquilo que enluta o País.

Ouso repetir e traduzir: kaputt! Acabado, devastado. Livro escrito pelo repórter italiano Curzio Malaparte, entre 1941/1943 (tem na Amazon). Recomendo.

QUARTA CENA

Durante esses dias de dedos, mãos e miolos moles fiz poucas intervenções escritas. Apenas algumas estocadas de Facebook no desgoverno messiânico. Creio que doravante muitas cenas virão. De agradecimentos e particulares rancores. Nada esconderei, como costume. Vivo episódio crucial à beira de meus 76 anos. Tudo virá ao Blog dos estimados Nassif e logo recomeço em CartaCapital, tão generosa foi na pessoa do amigo e redator-chefe, Sérgio Lírio.

Para lutar

Para aprender e divertir

Rui Daher – administrador, consultor em desenvolvimento agrícola e escritor

Este artigo não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador