Duo Foz lança Interseção dos Mundos

Após serem premiados no XX BDMG Instrumental, os mineiros Natália Mitre e PC Guimarães apresentam disco autoral de vibrafone e guitarra

Foto de Lucca Mezzacappa

Jornal GGN – Um trabalho inédito de música instrumental mineira contemporânea, baseado na diversidade que vibrafone e guitarra podem abarcar. Assim é o Interseção dos Mundos, disco autoral do Duo Foz, formado pela percussionista Natália Mitre e o guitarrista PC Guimarães, que será lançado em 16 de setembro, quinta-feira, nas plataformas digitais. Com a produção de Alexandre Andrés, o álbum  é o primeiro projeto do selo Grão Discos, que ainda em 2021, apresentará projetos de André Mehmari, Artur Andrés (Uakti), Toca de Tatu, entre outros.

Em julho de 2021, o duo foi premiado no 20º BDMG Instrumental, com o melhor arranjo com a música Drão (Gilberto Gil) e Natália também foi premiada como melhor instrumentista dessa edição. Além dessa música, o repertório do disco incluí Amálgama (Natália Mitre/PC Guimarães), Montanha (PC Guimarães), Deságua (Natália Mitre), Iandé (Alexandre Andrés), Lançar da Âncora (PC Guimarães), Interseção dos Mundos (PC Guimarães) e Onírica (Rafael Dutra). Para todas as faixas, foi gravado também um vídeo. 

Parceiros musicais desde 2014, Natália e PC experimentaram a formação de duo de guitarra e vibrafone em 2020 para o webfestival Uno|Duo da Veredas Produções. Esta apresentação chegou aos olhos e ouvidos do compositor e produtor musical Alexandre Andrés que então, os convidou para gravar um disco no Estúdio Macieiras, numa fazenda no interior de MG, em clima de imersão. O disco foi finalizado com recursos da Lei Aldir Blanc de Minas Gerais.

Natália e PC atuam juntos em diversos grupos de BH. Foram premiados pelo Savassi Festival como “Novos Talentos do Jazz” com o grupo Jazzcorde-on e Quarteto Dois a Dois. Integram o quinteto Semreceita, que lançou disco em 2017, foram finalistas do “XVII Prêmio BDMG Instrumental” e realizaram uma turnê em Portugal em 2019.  

Natália Mitre é mestre em performance musical e graduada em Percussão pela Universidade Federal de Minas Gerais e já se apresentou pelo Brasil, EUA, Cuba, África do Sul e Portugal. Foi premiada “Melhor Instrumentista” do XVIII prêmio BDMG Instrumental de 2018, tendo sido a primeira mulher a receber tal prêmio. Integra o grupo de berimbaus Arcomusical Brasil, o grupo de música instrumental Semreceita e o Duo Mitre. Atua na cena musical mineira desde 2010, gravou e tocou com Zé Miguel Wisnik e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Ouro Preto e Alceu Valença, Luísa Mitre Quinteto, Davi Fonseca Sexteto, Trio Amaranto, Coletivo ANA, Artur Andrés Ensemble, Toca de Tatu, André Mehmari e Alexandre Andrés, Trio Bola Preta entre outros.

PC Guimarães é bacharel em Música Popular pela UFMG e estudou na New School for Jazz and Contemporary Music (Nova York). Estudou com Wilson Lopes, Juarez Moreira e Toninho Horta na UFMG e com Gilad Hekselman e Julian Lage em NY. Foi premiado “Melhor arranjador” do XVII prêmio BDMG Instrumental (2017) e foi finalista do prêmio de composição com “PC Guimarães Quinteto” (2019) e com o grupo Semreceita (2017), com o qual se apresentou pelo Brasil, Portugal e França. Gravou seu primeiro disco solo em 2021, que será lançado no próximo ano. Foi arranjador e diretor musical dos discos “Âmago” e “Tá todo mundo mal” de Octávio Cardozzo e gravou e tocou com Dibigode, Graveola, Orquestra Ouro Preto, Irene Bertachini, Pereira da Viola, Chicó do Céu, Rafael Dutra, José Luis Braga e Jhê Delacroix. 

Para conhecer, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=JwEI6m2fZrU

SOBRE O SELO

Grão Discos é um selo mineiro que surge em 2021 com a proposta de lançar discos artesanais, feitos por compositores, compositoras e instrumentistas atentos ao seu tempo, mas que também carregam a tradição de fazer músicas para a eternidade. Feito por artistas, o objetivo é elevar o potencial musical de Minas ampliando o seu raio de alcance, entendendo que o trabalho de comunicação e distribuição deve ter a mesma atenção e cuidado que o fazer musical, e a qualidade do som e da imagem, sempre prezando pela liberdade criativa e a busca por novidade.  Além do Duo Foz, o selo já tem lançamentos planejados para este ano com trabalhos de André Mehmari, Alexandre Andrés, Cristian Budu, Artur Andrés (Uakti), Toca de Tatu, Semreceita, Gabriel Bruce, Arcomusical Brasil, dentre outros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome