Preocupado com crise do PSL, Bolsonaro suspende indicação de Eduardo para embaixada nos EUA

Família Bolsonaro avalia importância de manter Eduardo no Congresso para ajudar na articulação política em favor do governo; Indicação deve ficar para 2022

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro suspendeu os planos de indicar o filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, ao posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. A informação é da coluna Guilherme Amado, na revista Época.

A decisão foi tomada por causa da crise do PSL e a falta de votos no Senado. Na semana passada, o jornal O Estado de S.Paulo divulgou um levantamento mostrando que apenas 15 dos 81 senadores confirmaram que votariam pela aprovação de Eduardo ao cargo mais importante da diplomacia brasileira.

Para conseguir a aprovação do filho na Casa, Bolsonaro precisa da adesão de 2/3 dos senadores, ou seja, 41 votos.

Segundo a coluna de Amado, interlocutores diretos de Eduardo disseram que há “zero” chances de o presidente enviar a indicação em 2019. “A informação foi confirmada com duas fontes, que avaliam que, se sair, a indicação seria mais próxima do fim do mandato do Zero Três, ou seja, em 2022”, diz a coluna.

Na manhã desta quinta-feira (17), Eduardo se reuniu com o pai para tratar da crise do PSL e a importância da permanência dele no Congresso, independentemente de ele assumir ou não a liderança do governo no lugar do deputado Delegado Waldir (PSL).

Oficialmente, Bolsonaro deve anunciar nos próximos dias a desistência de indicar Eduardo à embaixada dos EUA neste ano para que o filho ajude na articulação política do governo junto ao Congresso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora