TV GGN: O caso do menino Guilherme e a ação da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP

Guilherme Silva Guedes estava em frente à sua casa, na madrugada de sábado para domingo, quando sumiu. Foi encontrado uns dias depois pela família, no IML

Jornal GGN – O menino Guilherme sumiu na madrugada. Um policial militar, que estava fazendo bico na região, foi apontado como o responsável. As investigações prosseguem. Arnóbio Rocha, advogado e integrante da Comissão de Direitos Humanos da OAB, acompanha o caso do menino, que foi encontrado morto dias depois, relata a situação atual e as pressões que a família está sofrendo.

O histórico não é desconhecido para as populações periféricas das grandes cidades. É uma tragédia recorrente. E a OAB procura dar o suporte necessário para que o país alcance um grau civilizatório decente.

O caso Guilherme não é um caso único, nem fácil. Guilherme Silva Guedes estava em frente à sua casa, na madrugada de sábado para domingo, quando sumiu. Foi encontrado uns dias depois pela família, no IML, e a notícia de que seu assassinato pudesse ter ligação com um policial militar que fazia bico na região.

A OAB entrou no circuito para garantir uma manifestação por Guilherme, e continuou dando suporte para a família, sem entrar no caso, pois que sua função é observação, garantia de que as coisas não se percam.

Veja a entrevista concedida por Arnóbio Rocha, advogado e integrante da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A Advocacia Pública e os 500 dias de governo Bolsonaro

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome