TV GGN: Eugenia Gonzaga fala sobre o crime de desaparecimento forçado

Entrevista com Eugenia Gonzaga, procuradora e presidente da Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN: a imprensa sabe que Paulo Guedes é blefe, mas esconde

8 comentários

  1. o entulho autoritário permanecceu na época da democracia
    e agora passou a vigorar como estado de exceção….

  2. Nassif, como fã de Timman, Tal e Petrosian, tomo a liberdade de sugerir um tema para um xadrez: e se , supostamente, as mensagens que estariam com a P.F. pudessem ser “manipuladas” de modo a subtrair textos e passagens importantes ou, quem sabe, supostamente comprometedoras? \Só uma hipótese../.Daí que ficaria “fácil” contrapor o intercept :com base nas mensagens manipuladas, alegar que as que seriam as corretas, de posse da turma do Gleen ,é que foram acrescentadas pelos jornalistas do intercept. \o que, obviamente, seria crime….. Pensaste nisto? Explicaria, por exemplo, o clima criado hoje…

  3. Nossa democracia foi PERMISSIVA, omissa, irresponsável ao permitir BOZO como deputado, quiçá como candidato a presidência.

    pra quem tem duvidas, reflita:

    Nepotismo, racismo, homofobia, prevaricação, PECULATO, atentado contra a segurança e interesses da Nação, falta de decoro, crime de responsabilidade, associação com o crime, lavagem de dinheiro, uso de funcionários fantasmas, exaltação e comemoração da ditadura são algumas das barbaridades praticadas cotidianamente por essa criatura

  4. O que eu quero saber é como encaminhar a interdicao. Porque impeachment não passa.
    Será que os barrosos e dodges dos tribunais superiores já estão recebendo ordens dos seus superiores lemmans e setubals para se indignar? Ou Bolsonaro ainda é palatável pra essa gente visto que o Olavo Setubal era homem do regime militar quando o pai de Felipe Santa Cruz foi torturado e assassinado.

    • Ps. Duas pedras do tabuleiro comandado pela banca se moveram: o mea culpa do MBL e a sugestão do Miguel Reale Jr, familia desde sempre empregada e a serviço dos donos do país. O nosso butim será o Mourão.

  5. Um depoimento importante de quem trabalha diretamente com a solução desses crimes, e lida em seu cotidiano com a dor das famílias. Importante essa questão de se tratar de “um crime continuado”. Motivo para Bolsonaro ser enquadrado e intimado a depor….. Fôssemos um país de Justiça séria!
    Ficou mais claro para todos nós como devem ter se sentido os familiares e amigos dos desaparecidos diante da diarreia verbal da criatura abjeta…….

  6. Caríssimo Nassif,
    Meu problema não é com o conteúdo do video. Este, como todos, cumpre o seu papel de defesa da democracia e das suas instituições o que, aliás, reflete a estóica firmeza e a determinação moral e de princípios éticos que orienta o GGN e o seu trabalho em particular. Por isso o Brasil lhe será eterno devedor.
    Mas, vamos ao causo. Cáspide, Nassif, e esse cenário? Põe coisa feia nisso, meu caro.
    Loqueou, hombre? Como se dizia no Rio Grande antigo, politicamente incorreto no charlar, mas bueno de brio, de coragem e de decência, aquele que foi El Continente, Província de São Pedro, terra de Sepé Tiaraju, não o deserto de ideais republicanos onde índios vagos da politica, como esse pelego, piá fedendo a cuero, o tal de Van Hattem se espalham feito carrapato em novilho guacho: Oigale, tá más feio e triste do que mudança de pobre, tchê!
    Do antigo eu só reinava com a simetria dos tais quadros de parede. Era só ajeitá os prumo. Tinha de ser radical? É da dá dó! Nassif, tú não é dessa lida, contrata alguém pra te dá uma mão nisso, paisano.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome