A economia do carnaval

Por Pedro Migão

Nassif, sei que não é muito a sua praia, mas queria falar um pouquinho da “goela cada vez mais larga” dos presidentes das escolas de samba do Rio.

Ao invés de profissionalizar a gestão, ficam pedindo mais grana ao governo. Sem contar as suspeitas de mau uso da verba e de lavagem financeira.

Não exploram as possibilidades de recursos que as escolas podem buscar, tais como programas de sócio torcedor, patrocínios institucionais e outros. Por outro lado, há muita eficiência a se ganhar na gestão de custos.

Ressalva: estou falando das escolas do Grupo Especial. As escolas dos Grupos de Acesso, estas sim, dependem do governo, porque a possibilidade de buscar outras fontes de recursos é ínfima. E ignoram estas escolas…

Ressalva 2: desfilo todo ano e sou diretor em uma escola do Grupo de Acesso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora