Pesquisa presidencial no Distrito Federal

Por Márcio Xavier 

saiu pesquisa aqui no DF da CB, dando Serra pouco a frente de Dilma. Ou seja, os votos que eram da Dilma e migraram para a Marina, agora estão indo para o Serra. A pesquisa percebeu que o aborto, sempre ele, foi um dos pontos mais importantes:

“A vantagem de José Serra está concentrada nas faixas de eleitores com mais de 60 anos, entre trabalhadores que ganham até um salário mínimo e entre evangélicos, grupo mais sensível à questão do aborto, intensamente debatida na campanha (leia mais na página 4). O concorrente do PSDB tem 49% contra 36% entre pessoas que se definem como evangélicas. No grupo católico, empate técnico: 46% a 44% a favor de Serra. A petista vence entre eleitores que afirmam seguir umbanda e candomblé (50% a 36%), espiritismo (69% a 22%), entre ateus ou agnósticos (46% a 37%) e na faixa de eleitores que afirmam seguir outras religiões (51% a 19%).”

Ou o PT consegue reverter a sangria com esses pactos com a Igreja, ou não sei naõ…vou ter q mudar pro deserto de Atacama. 

Do Correio Braziliense

Com votos de Marina, Serra ultrapassa Dilma no DF 

Pesquisa do CB Data aponta disputa apertada entre os presidenciáveis na capital. O tucano soma 45% das intenções de voto, contra 43% de Dilma Rousseff 

Tiago Pariz

O segundo turno da corrida presidencial está acirrado no Distrito Federal. Pesquisa realizada pelo Instituto CB Data mostra empate técnico entre o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, e a concorrente do PT, Dilma Rousseff. O tucano tem 45% das intenções de votos, contra 43% da petista, de acordo com a consulta estimulada. Em votos válidos, Serra alcança 51% e Dilma, 49%. Esse é o primeiro levantamento do instituto no segundo turno. Os dados mostram haver uma tendência de o eleitor que optou por Marina Silva (PV) no primeiro turno migrar para o tucano. Na votação de 3 de outubro, a candidata verde ganhou na capital com 41,96% dos votos válidos. Dilma ficou em segundo, com 31,74%, e Serra aparecia em seguida: 24,30%. 

Essa aparente migração dos votos “verdes” para o tucanato já transparecia na última pesquisa do CB Data, realizada na véspera do primeiro turno. Naquela sondagem, na simulação de segunda rodada, o tucano aparecia com 42% e Dilma, com 41%. Os dados dos últimos dois levantamentos mostram que o cenário da votação para 31 de outubro pouco se alterou no DF. 

A vantagem de José Serra está concentrada nas faixas de eleitores com mais de 60 anos, entre trabalhadores que ganham até um salário mínimo e entre evangélicos, grupo mais sensível à questão do aborto, intensamente debatida na campanha (leia mais na página 4). O concorrente do PSDB tem 49% contra 36% entre pessoas que se definem como evangélicas. No grupo católico, empate técnico: 46% a 44% a favor de Serra. A petista vence entre eleitores que afirmam seguir umbanda e candomblé (50% a 36%), espiritismo (69% a 22%), entre ateus ou agnósticos (46% a 37%) e na faixa de eleitores que afirmam seguir outras religiões (51% a 19%). 

No DF, a diferenciação por renda é favorável a Serra. No grupo que ganha até um salário mínimo, ele tem 53%, contra 39% que sustentam preferir a petista. Entre eleitores que recebem de um a dois salários mínimos, o tucano é a opção de 48% contra 41% que responderam votar em Dilma. Nos outros cortes, empate técnico, com vantagem para a petista no grupo que recebe de 5 a 10 mínimos (43% a 38%). 

A pesquisa mostrou ainda que caiu o percentual de pessoas que prefere votar nulo, em ninguém ou que não quis responder. Era de 10%, na pesquisa divulgada em 2 de outubro, e chegou a 5% nesta rodada. Os que não sabem, votariam em branco e os indecisos somam 8%, variação positiva de um ponto percentual na comparação com a consulta do fim do primeiro turno. 

Levando em conta as 19 regiões administrativas pesquisadas, Dilma está na frente de Serra em sete: Plano Piloto (55% a 36%), Candangolândia (56% a 44%), Gama (45% a 38%), Planaltina (51% a 37%), Recanto das Emas (54% a 26%), Samambaia (49% a 36%) e Santa Maria (50% 30%). Em Ceilândia, maior colégio eleitoral do DF, Serra alcança 49% e Dilma, 43%. A maior vantagem do tucano é em Brazlândia (75% a 14%), no Paranoá (69% a 15%) e no Riacho Fundo (62% a 29%). 

A classificação por gênero aponta que Dilma tem melhor performance eleitoral entre os homens. Dos entrevistados de sexo masculino, 46% responderam votar na petista e 43%, no tucano. Entre as mulheres, 40% dos votos vão para a ex-chefe da Casa Civil e 46% para o ex-governador de São Paulo. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome