Lula é ovacionado em entrega de Minha Casa, Minha Vida por Temer em Guaratinguetá

Temer discursa em menos de 5 minutos sobre a entrega – atrasada em um ano – das moradias
 
 
Jornal GGN – O presidente Michel Temer (MDB) entregou com atraso de um ano os 528 apartamentos do programa “Minha Casa, Minha Vida”, em Guaratinguetá, interior de São Paulo, e recebeu do público o reconhecimento ovacionado ao ex-presidente Lula.
 
O discurso do atual mandatário durou menos de 5 minutos. Mas a cada menção que Temer fazia ao nome do programa, moradores gritavam “Lula”. Questionado pela imprensa sobre o constrangimento, Michel Temer disse que era normal e que fazia parte do processo eleitoral, mas que achava “estranho” outros candidatos não terem sido mencionados pela população.
 
“É natural, estamos em período eleitoral. É natural que as pessoas torçam por seus candidatos. Embora o Lula não seja candidato, o candidato é o Haddad”, disse o mandatário, sobre a situação.
 
Temer também tentou se esquivar das perguntas da imprensa sobre as denúncias que tramitam contra ele, como o inquérito dos Portos e as acusações da Odebrecht, e tampouco respondeu sobre o atraso na entrega das obras.
 
As moradias populares em Guaratinguetá, na região do Vale do Paraíba, em parceria do governo federal, municipal e Caixa Econômica Federal, deveriam ser concluídas em 2017. Mas as chaves das 528 unidades foram entregues no período pré-eleitoral.
 
Mesmo tentando abafar a situação, outras perguntas foram feitas ao presidente, como, por exemplo, se a emenda que congela os gastos públicos por 20 anos decretada por ele prejudicaria o lançamento de novas moradias. Respondeu apenas que a chance de isso ocorrer é “zero” e que outras 30 mil ainda vão ser entregues.
 
Por outro lado, explicou a redução nas construções dizendo que o Brasil é como “nossa casa”. “Na sua casa você gasta mais do que aquilo que ganha? Se você gastar mais do que ganha, em dois, três, quatro meses, terá grandes problemas. O Brasil é a ‘nossa casa'”, tentou comparar.
 
Em meio aos questionamentos constrangedores, não deixou de defender a reforma da Previdência, afirmando que com ela as contas públicas poderão ser equilibradas em 10 anos. 
 
E sobre os planos para o ano que vem, disse que quer exercer a atuação profissional de advogado. Mas negou comentar o inquérito que investiga os repasses de R$ 14 milhões da Odebrecht a sua cúpula do MDB e tampouco sobre o inquérito dos Portos, relacionado a um decreto assinado por ele.
 
Os conjuntos residenciais hoje entregues em Guaratinguetá foram assinados no primeiro ano do governo de Dilma Rousseff, em continuidade ao programa criado por Lula.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O investigado Moro não gostaria de ser julgado pelo Moro juiz

5 comentários

  1. vejam o vídeo e as entrevistas de Chico de Oliveira

    estão no Fora de Pauta e um vídeo no Multimidia do Dia. Linguagem coloquial, gostosa.

    Pode ser perda de tempo a sugestão por aqui (apesar de não apontar uma salvação, um salvador, tem até contradições, intelectuais estão em permanentes autoquestiomentos), mas pode ser um esforço pra acompanhar o entrevistado. Pode ser um exercício de olhar as coisas por vários outros ângulos (não quer dizer concordar: isso fica pros convictos que seguem uma linha de pensamento único, se é que conseguiram ler mais de 2 linhas). Ah, Chico de Oliveira não usa do artifício de ficar fazendo citações e longos trechos pra animar e impressionar platéias predispostas. Isso é coisa de charlatão.

  2. Corrente para Haddad Lula

    Vamos todos fazer uma corrente, invadir as redes sociais para mostrar que Haddad é o único que pode resgatar a sociedade rumos ao desenvolvimento econômico, à igualdade social, ao reconhecimento da igualdade de gênero, o fortalecimento da luta contra o racismo e contra o preconceito contra a diversidade sexual. É preciso dar um passo além do já conquistado pelo povo. Vamos colocar um educador no poder, já que não podemos colocar de volta o operário líder no poder. Haddad vai agraciar Lula e ele será o próximo candidato a presidente em 2022. 

    A chama Lula continua acesa com Haddad e todos os apoiadores da democracia com igualdade social. Ciro… desista e apoie o Haddad. É a única forma de barrar já no primeiro turno o fascismo no Brasil. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome