O duelo entre PT e os herdeiros políticos de Eduardo Campos

Jornal GGN – Se há um lugar onde a campanha de Marina Silva colheu resultados expressivos no primeiro turno da eleição presidencial de 2014, este é Pernambuco. Sétimo maior colégio eleitoral do País – com pouco mais de 6 milhões de eleitores – o Estado foi o único do Nordeste onde a presidente Dilma Rousseff (PT) foi derrotada.

Ali, Marina garantiu o apoio maciço da região metropolitana e saiu com 48% dos votos válidos (2,3 milhões de eleitores), ante 44% (2,1 milhões) de Dilma. Em 2010, a então presidenciável do PV teve desempenho inferior, na casa dos 20%, contra 61% da atual presidente e 17% de José Serra (PSDB).

A evolução pessoal de Marina fica em segundo plano, este ano, em função de um nome: Eduardo Campos. Embora Marina tenha declarado apoio a Aécio Neves (PSDB) no segundo turno, é a influência de Campos – reeleito governador de Pernambuco em 2010 pelo PSB, com 82% dos votos válidos (3,4 milhões) – que estará à prova no próximo dia 26.

Essa é a avaliação do cientista político da Universidade Católica de Pernambuco, Juliano Domingues. Em entrevista ao GGN, Domingues avaliou que os fatores determinantes à leitura do atual cenário em Pernambuco são dois: primeiro, a comoção com a morte de Campos, em 13 de agosto, e a herança política deixada a seus sucessores. O segundo é a derrocada do PT no Estado natal de Lula, já visível em processos eleitorais passados.

Leia também:  "Quem detém a vacina, tem hoje muito poder", analisa Jamil Chade à TV GGN

Ascensão e queda

Traçando um breve histórico, Domingues lembrou que, em 2006, Campos era o terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto para o governo de Pernambuco. “À frente dele estavam Humberto Costa, hoje senador pelo PT, e Mendonça Filho (DEM), que tentava a reeleição. Naquele ano, a disputa foi polarizada entre Mendonça e Costa, e o principal argumento para enfraquecer o PT, à época, foi o suposto envolvimento de Costa na máfia dos vampiros. Depois provou-se que ele era inocente, mas Campos correu por fora e levou a eleição. Em 2010, foi reeleito com apoio do próprio PT”, frisou.

Na eleição municipal de 2012, a força do neto de Miguel Arraes se consolidou diante do petismo local. “Ele lançou Geraldo Júlio para a Prefeitura do Recife. Este, até então, era um sujeito que nunca havia disputado uma eleição, mas era um técnico bastante conceituado dentro da gestão estadual. Ao mesmo tempo, o PT enfrentava uma crise interna para escolher o seu candidato, e isso rachou o partido”, destacou. Na época, o então prefeito de Recife, João da Costa, tentava a reeleição, caminho natural. Sem sucesso, pois Júlio foi eleito e o candidato de Campos ao governo estadual, Paulo Câmara (PSB), repetiu o enredo este ano.

O senador e coordenador da campanha de Dilma em Pernambuco, Humberto Costa, admitiu à reportagem que o PT vem enfrentando dificuldades internas nos últimos anos, mas ressaltou que a morte de Campos “desequilibrou a eleição” em favor de Marina. A vitória da ex-presidenciável, na visão do petista, é apenas um atestado disso. “Acho que a derrota de Dilma no Estado serve de base para uma auto-crítica profunda. Esperamos que o PT nacional e o governo federal nos ajude no processo do reerguimento da esquerda, e que o PT volte a fazer o que não faz desde o governo Arraes: oposição aos governos locais”, comentou.

Leia também:  Brasileiro comeu mais carne no governo Lula, enquanto consumo sob Bolsonaro voltou aos anos 1990

As chances de Aécio Neves

Filho de Eduardo Campos ao lado de Aécio Neves (PSDB). A família do ex-governador declarou apoio ao projeto tucano

A despeito do diagnóstico, a campanha petista avalia que as chances de Aécio Neves vencer a eleição em Pernambuco são pequenas. Isso porque, segundo Humberto Costa, o poderio local do PSB precisa ser “relativizado” em função da disputa nacional. “Quando não há segundo turno para governador, os eleitores tendem a se comportar de maneira autônoma em relação às lideranças locais. Dilma, Lula e o PT têm uma liga com Pernambuco que Aécio não tem. Mesmo que ele tenha apoio da máquina do governo do Estado, das prefeituras, do PSB [que tem 20 partidos em seu arco de alianças] e de Marina, o tucano não consegue se viabilizar como vitorioso aqui”, ponderou Costa.

Na visão do senador, não seria realista, porém, acreditar que Dilma vai vencer no segundo turno no Estado com mais de 70% dos votos válidos, como fez em 2010. “Em 2010, nós ganhamos com diferença de 2,4 milhões entre Dilma e Serra. Naquele momento, nós tínhamos a Prefeitura de Recife e Campos como governador aliado. Não acredito que chegaremos nisso novamente. Acredito que até 65% dos votos válidos é um resultado possível este ano”, projetou. No tracking petista do último dia 21, Dilma liderava em Pernambuco com 60% contra 30% de Aécio.

Para Juliano Domingues, com ou sem a ajuda de Marina, o PSB e a família de Eduardo Campos dariam apoio a Aécio contra Dilma, e isso pesa bastante na votação do tucano. A dúvida é se será o suficiente para garantir vitória em terras nordestinas, onde a popularidade dos governo Lula e Dilma é grande.

Leia também:  Antologia da ignorância institucional brasileira: os cabeças de planilha

“Nessas eleições, se não tivesse existido a figura de Eduardo Campos, Dilma ganharia aqui no primeiro e segundo turno facilmente. Mas quando o governador do Estado é eleito com 68% dos votos [Paulo Câmara] e declara apoio a Aécio, o cenário muda um pouco. Se Aécio ganhar, vai ser uma prova da capacidade política do legado de Eduardo Campos por meio de Paulo Câmara e de Geraldo Júlio, que são os dois líderes emergentes após a tragédia.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

29 comentários

  1. depois da campanha suja

    depois da campanha suja contra Marina dificil a situação do PT querer voto de MArinista.

      • Anti petista não vota no PT

        Anti petista não vota no PT lógico, talvez não vote em Aécio mas a maioria vai votar em Aécio.

        • Os anti-petistas se dividem

          Os anti-petistas se dividem em dois grupos: os convictos e os que foram tapeados. Dos convictos, realmente não se espera coisa alguma (engraçado que até a portuguesa da ONU usou a dupla negação), entretanto, a enorme legião de tapeados começa a virar e isto está visível nas ruas!

      • não necessariamente, entre os

        não necessariamente, entre os marinistas há antipetistas e anti-tucanos tambem, quem votou em marina Não votou em aecio tambem 

    • Campanha suja do PT contra

      Campanha suja do PT contra Marina? Em Pernambuco?

      Se pronuncia sobre o que não conhece.

      Qua tal acusar, de forma torpe e sorrateira, o PT e a Dilma pela morte do Eduardo Campos no momento de maior comoção com a tragédia?

      Foi o que fizeram.

      Mas, o tempo passa e, jumto com ele, a comoção. A visão desembaça e a razão volta. Os excessos são percebidos.

      Ai começa a funcionar o velho ditado “esperteza demais engole o esperto”.

      É impossível beatificar quem não primou pela santidade.

      E os malfeitos começam a aparecer.

      Muitos pernambucanos  estranharam o apoio da dinastia ao Aécio Neves. Vão acabar descobrindo a razão dessa parceria.

      Parceria que, diga-se de passagem, é antiga. Em PE “esqueletos” dos dois partidos estão no mesmo armário. E não é um armário qualquer. É da Justiça.

       

       

       

  2. Qual mané herança!

    Qual herança política? Uma viúva louca, uns filhos alienados, correligionários corruptos. Dilma ganha lá.

  3. IBOPE – DILMA……….53%
     

    IBOPE – DILMA……….53%

                  AÓCIO………47%

     

    Já fora da margem de erro de 2%.

     

  4. Muito inocente essa análise.

    Muito inocente essa análise. Paulo Câmara ganhou ainda sob a influência da morte de Eduardo Campos, mas nós, pernambucanos, não somos ingratos, recebemos bilhões e bilhões em obras e serviços públicos, Dilma terá uma vitória tão arrasadora quanto a de 2010.
    A militância está nas ruas para garantir isso, em cada esquina que você passa por aqui tem militantes conversando, adesivando carros, empunhando bandeiras, e isso só vai parar quando da eleição.

  5. Socialista ? Onde ?

    Eh, a viuva de Campos parece ser mais liberal que socialista, e os filhos, dando apoio a essa velharia da oligarquia brasileira, também estão indo para esse caminho. Eu queria encontrar um unico socialista no PSB…

  6. O legado do Eduardo se

    O legado do Eduardo se esgotou no primeiro turno: fez governador, deputados e deu vitória à Marina; agora, a viúva e os filhos, mais o governador eleito e seus deputados, não conseguem segurar os pernambucanos: votarão na Dilma, creio, cerca de 65%, como bem acentuou o professor. Por consequência, a votação da Marina será mais da Dilma do que do Aécio. E, daqui a 2 anos, na eleição para a prefeitura do Recife, o PSB começará a sua derrocada.

  7. #MarinaCensura não cresceu entre 2010 e 2014

    Não vi nenhuma campanha suja contra a #MarinaCensura. Até a própria mídia golpista, percebendo a ascensão dela e a queda vertiginosa de Aócio Bafômetro Never, estampou várias notícias negativas.

    #MarinaCensura não cresceu entre 2010 e 2014. E, ao apoiar a direita, móóóóórreu para a política. Quem viver, verá em 2018. A não ser que os plumosos paulistas privatas Alckimin, Serra e FHC apoiem ela em detrimento de suas aspirações pessoais. Acho difícil dado o caráter da elite separatista de 32 da terra do apagão e da falta de água potável.

     

  8. Eu só queria saber…

    Até entendo o apoio da família de Campos à Marina, apesar de todo o luto. Mas me instiga, e muito, o apoio inflamado da família ao candidato do PSDB. Há algo de estranho e oculto nesse comportamento. Eu só gostaria de saber o PORQUÊ  !!! 

    • Campos

      Concordo Marly, 

      é contraditório. O pai se fez na esquerda e no governo LULA e após a morte, a família migra para a direita. Acho que começaram a carreira escolhendo o lado errado. Se não cuidarem, perderão o respeito do povo pernambucano que tinha muito carinho pelo EC.

      Na minha opinião, fariam melhor se alinhando ao LULA que ajudou o pai e tinha afinidade ideológica com o partido.

    • Tambem acho tudo muito

      Tambem acho tudo muito estranho , a comecar pelo acidente que matou o chefe do clan.A familia age com uma desenboltura como se o Eduardo tivesse ido ali na esquina e volta jah! Tem coelho neste mato.

    • O PSB CORRUPTO DE PERNAMBUCO APOIA O PSDB POR PROTEÇÃO

      O PSB corrupto de Pernambuco (e não só a família de Eduardo Campos) apoiou o PSDB e Aécio para pagar o acordo pelo qual foi agregado ao poderoso esquema de proteção da corrupção tucana, na mídia, na polícia, no ministério público e na justiça. Eles sabem o tamanho do rabo que têm no Porto de Suape, na Refinaria Abreu e Lima, e em tantos outros objetos, locais e eventos, inclusive o avião, uma das pontas do gigantesco rabo que apareceu de forma fatídica em 13 de agosto.

  9. Análise Fraca

    Poucas vezes li algo tão sem substancia ou peso quanto essa análise…e ela ainda fala na possibilidade de Aécio vencer npo Nordeste …se ainda estivesse se referindo a Pernambuco vá lá, embora não vencerá lá também…LULA  é de lá e Recife mostrou de que lado ficará…e se Marina venceu, por margem pequena diga-se, foi porque sua votação em Recife, Olinda e cidades próximas nela votaram…no resto do Estado foi uma surra da Dilma.

     

  10. Dúvidas sobre se Dilma terá a

    Dúvidas sobre se Dilma terá a maioria dos votos em Pernambuco, não tenho. A questão é: de quanto será a diferença? Aposto 60% para Dilma. 

  11. Espero que ganhe no Brasil

    Espero que ganhe no Brasil todo e morro de curiosidade pra saber o resultado de minas que as pesquisas nao falam.

  12. Os vídeos mostrando a ida de

    Os vídeos mostrando a ida de Dilma e Lula a Pernambuco nos últimos dias parecem ter feito outra leitura do que foi o primeiro turno. Fiquei impressionada com a movimentação dos manifestantes. Era muita gente gritando e cantando para Dilma e Lula. Marina, com certeza, não teve nenhuma influência no primeiro turno nessa capital. A morte de Eduardo Campos foi o mote que precisava para embalar os discursos do PSB. Pernambuco será uma surpresa grata para Dilma nesse segundo turno. É só aguardar o domingo. 

  13. Humberto passou números um pouco diferentes

    Ele falou no comício essa semana que o tracking estava 63 x 25,. em votos válidos daria 70 x 30 ou não?

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome