Xadrez de Sérgio Etchgoyen, o comandante de fato do governo Temer, por Luis Nassif

Peça 1 – a volta previsível do poder militar

A saída pela via militar estava prevista desde o início do impeachment. E a peça central sempre foi o general Sérgio Etchgoyen, nomeado para Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Em 07/05/2016, o “Xadrez do governo Temer e o fator militar

(…) Com o vale-tudo corporativo instituído, começam a aparecer os planos de devolver algum protagonismo político às Forças Armadas, a exemplo do ativismo atual do MPF, do TCU e das demais corporações de estado. Com a diferença que se trata de uma corporação armada.

(…) Consumado o golpe, Michel Temer assumiria a presidência em um quadro de ampla instabilidade política, agravado pela perda de seu mais eficiente operador, Eduardo Cunha.

Não haverá como se apresentar à opinião pública com um ministério de notáveis. Por outro lado, para dar conta dos compromissos firmados com o mercado, terá que recorrer a medidas fiscais drásticas, ampliando a reação dos movimentos sociais e o mal-estar geral. E não terá recursos para manter os programas de renovação das Forças Armadas.

É aí que se junta a Peça 3 com a Peça 2: identificação de um novo inimigo interno e externo que justificasse a volta do protagonismo político.

(…) Quem está à frente dessas articulações é o general Sérgio Etchegoyen, chefe do Estado Maior do Exercito Brasileiro e de uma família que faz parte da própria história do Exército.

O meio campo com o governo Temer está sendo articulado pelo filósofo Denis Rosenfield, articulista do Estadão e colaborador do Instituto Milenium. Denis é amigo de Etchegoyen, provavelmente devido à mesma origem gaúcha, foi indicado assessor de Temer e há indícios de que mantem contatos com governos estrangeiros.

No dia 22 de abril, por exemplo, encontrou-se com Etchegoyen no Centro Brasil 21, em Brasília. Dois dias antes, a pedido de Etchegoyen, agendou jantar na residência do general com os comandantes da Marinha e da Aeronáutica. A intenção era montar uma frente que forçasse Temer a assumir compromisso de nomear um militar para o Ministério da Defesa. O indicado seria o general Joaquim Silva e Luna, Secretário Geral do Ministério do Exército.

Além disso, se tentaria arrancar de Temer o compromisso de assegurar a permanência dos comandantes em seus postos, recriar o Gabinete de Segurança Nacional, sob a chefia do general Etchegoyen, e colocar Denis na Secretaria de Comunicação da Presidência. Para o lugar de Etchegoyen iria o General Mourão, de pensamento similar.

Em 01/07/2016,  “O Xadrez da volta da doutrina de segurança nacional

O decreto no. 8.793, de 29 de junho passado, que fixa a Política Nacional de Inteligência é o passo mais ousado nessa direção (http://migre.me/ufH0w).

Assinado pelo interino Michel Temer e pelo Chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Sergio Westphalen Etchegoyen, o decreto visa criar uma política para armar o país contra ameaças trazidas por esses tempos cibernéticos e de terrorismo.

Contempla a proteção de forças de conhecimento nacional, medidas contraespionagem cibernética, contraterrorismo etc. Mas confere poderes e atribuições que podem facilmente resvalar para o autoritarismo e para o desrespeito aos direitos humanos. E isso, em uma etapa da vida nacional de radicalização e de instrumentalização política dos instrumentos de investigação.

Confere ao GSI e à Política Nacional de Inteligência o poder de monitorar movimentos, manifestações, cooptar funcionários públicos para a função de segurança e até monitorar cientistas brasileiros no exterior.

Em 05/09/2016, o “Xadrez da volta das vivandeiras dos quartéis

(…) Nas Olimpíadas, Temer nomeou o GSI responsável pela segurança, atropelando os responsáveis naturais, Ministro da Defesa ou da Justiça. O Chefe do Estado Maior conjunto sequer foi convidado para a abertura das Olimpíadas.

A segurança foi organizada pela burocracia das Forças Armadas – acantonada em Brasília – não pelas tropas de combate.

(…) A criação de Unidades Militares de Combate, seja na Amazônia, Haiti ou África, deixa claro o verdadeiro papel das Forças Armadas e os malefícios advindos de sua transformação em polícia. Há levantamentos internacionais mostrando que, nos países em que se tornaram polícia, foram sucateadas, com os equipamentos tecnológicos de ponta – para a defesa nacional – substituídos por investimentos em tanques, brucutus, algemas, granadas e revólveres.

A diluição desse modelo começou com as UPPs (Unidades de Policias Pacificadoras). No início, pareceu dar certo no Rio, devido ao fato do Secretário de Segurança José Mariano Beltrame ser da PF e respeitado por ela. Ainda no governo Dilma, houve financiamento do governo federal e a parceria com o Exército.

O Exército burocrático gostou, porque dá visibilidade, nome e prestígio à força. O Exército de combatentes – inteligência, ciência e tecnologia – sabia que seria o início do sucateamento, com a burocracia voltando a tomar conta.

Em 17/10/2016, “Xadrez das vivandeiras dos quartéis

Os fatos apontam para uma tendência cada vez maior de intervenção dos militares na vida nacional e, ao mesmo tempo, um desprestígio cada vez maior do poder civil.

Sinais recentes:

·      A entrega do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) a um militar da ativa, que passa a frequentar o coração do governo.

·      A tentativa do Ministro da Justiça de criar a figura do inimigo interno nas manifestações e em factoides sobre o Islã e colocar as FFAAs na repressão interna.

·      O convite da presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Carmen Lúcia, para que as Forças Armadas ampliem sua participação na segurança nacional.

·      A criação e utilização da Força Nacional de Segurança para outros propósitos.

(…) Por tudo isso, as perspectivas atuais são as seguintes:

1.     Permanece o risco da prisão de Lula, visando promover agitações populares que justifiquem o endurecimento do regime.

2.     Continua baixa a probabilidade de recuperação da economia, ainda mais com a combinação de ajuste fiscal rigoroso e ritmo lento de queda dos juros.

3.     Há uma probabilidade não desprezível de Temer ser despojado do cargo por conta dos julgamentos do TSE e pela desmoralização contínua de seu governo.

4.     Persistirá a tendência de ampliação da presença dos militares no governo, ao mesmo tempo em que se aprofunda a desmoralização do poder civil.

5.     Mesmo assim, qualquer ampliação da intervenção militar viria como retaguarda para um governo civil.

Peça 2 – o pacto com as Forças Armadas

Passado o impacto inicial com o anúncio da intervenção no Rio, começaram questionamentos fortes por toda parte. Não há um especialista sério, em matérias de segurança, capaz de endossar essa aventura.

Nem as pessoas de bom senso nas Forças Armadas, conforme se conferiu no depoimento ao Senador do General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, comandante das Forças Armadas, sobre a ocupação da Maré pelo Exército.

Além das cenas chocantes, que ele afirmou ter testemunhado, de soldados armados circulando entre crianças e senhoras, Vilas Boas enfatizou a falta de eficácia dessas ocupações. Foi só o Exército abandonar o local, para tudo voltar ao quadro anterior em poucos dias.

Por tudo isso, o que está em jogo provavelmente é o seguinte.

  1. As Forças Armadas entraram como álibi nessa história. Houve uma intervenção civil, que o governo Temer revestiu de militar no próprio decreto de criação. Além de nomear um general para comandá-la.
  2. Houve um acordo formal com as Forças Armadas, para não as envolver no policiamento de rua, ocupação de territórios ou combate frontal aos criminosos.
  3.  O papel das FFAAs será o de ajudar a fortalecer a ideia das ameaças internas e externas, permitindo ao governo avançar cada vez mais nas medidas arbitrárias.
  4. Em troca, haverá reforço em seu orçamento.

Peça 3 – as medidas de exceção injustificáveis

O jogo tornou-se totalmente claro com o anúncio de que o Ministro da Defesa – um mero coadjuvante de Sérgio Echtgoyen – iria requerer mandados coletivos de busca e apreensão no Rio, um claro ensaio à decretação do estado de sítio.

Mal saiu a notícia de que Michel Temer pretendia aplicar mandados coletivos de busca e apreensão no Rio de Janeiro, pelo Twitter procuradores – em geral críticos contra os “garantistas” – levantaram três pontos relevantes:

  • A ineficácia dessa estratégia de segurança;
  • Os riscos para os direitos humanos;
  • A existência de uma série de dispositivos na Constituição e no Código Penal, que poderiam ser utilizados pela segurança, sem a radicalização dos tais mandados coletivos.

De Luiz Lessa, procurador da República no Rio:

Intervenção militar não é licença de extermínio, se tal licença, por mais absurda que seja essa hipótese, fosse possível, a PMRJ já tinha acabado com a criminalidade do Rio, era só autorizar a matança, entregar a munição, a gasolina e os coletes à prova de bala.

De Vladimir Aras, responsável pela cooperação internacional da Procuradoria Geral da República:

Constituição, art. 5º, inciso XI: “a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, SALVO EM CASO DE FLAGRANTE DELITO ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial;”

A intervenção federal não suspende garantias individuais. Entre essas garantias está o direito à inviolabilidade domiciliar. Se houvesse sido declarado o estado de sítio, seria possível fazer buscas coletivas, inclusive sem mandado judicial, como autoriza o art. 139, V, da Const.

Na jurisprudência, há casos de mandados individualizados contra Fulano, Beltrano ou Sicrano que foram invalidados por tribunais superiores por não terem especificado precisamente o local alvo da diligência, lembra @WSarai

Não apenas isso. Conforme explicava Aras,

Criminosos que ataquem as Forças Armadas ou que estejam na iminência de fazê-lo podem ser reprimidos com força letal, se preciso. Isto não depende de leis especiais nem decorre da intervenção federal. São mantos legais previstos no Código Penal e no CP Militar, como legítima defesa.

Por outro lado, se as Forças Armadas e a Polícia tiverem dados de inteligência de que em certo local (casa, igreja, escola, empresa etc) há armas, criminosos foragidos ou drogas (um crime em curso), não é necessário mandado judicial para entrada e busca, para prisão ou apreensão.

O que o STF (Supremo Tribunal Federal) fará em relação às medidas anunciadas?

Valendo a regra atual, nada.

A estratégia de Sérgio Etchgoyen será essa: à medida que se avance a tal operação, ousar mais medidas de arbítrio, testando a resistência das instituições nacionais.

Se não houver resistência, meterá a bota na jaca da Constituição. E não venham esses débeis civis do Supremo, da PGR e do Congresso reclamarem mais tarde.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

98 comentários

  1. Prezado Mouro
    Boa tarde
    E

    Prezado Mouro

    Boa tarde

    E desde quando a CF-88 é cumprida se convivemos com mais de 60 mil mortes por ano ?

    A maior vergonha dessa intervenção é seu custo, sendo que nem dinheiro para saúde e educação alegam que não tem !!!

    Haja distração! 

    O Tukanistão agradece!!! 

     

    • Ainda vai demorar um

      Ainda vai demorar um tantinho, Maestri. A não ser que bata uma loucura no general Etchegoyen e ele resolva dar um golpe ainda mais atabalhoado que a decisão do minúsculo de brincar de general no Rio… com o grande risco de fracassar.

    • Xadrez da segunda etapa do golpe político

      esboço de cronologia: a guerra do anglo-sionismo contra o Brasil

      17/05/2010: Irã assina acordo nuclear proposto por Brasil e Turquia;

      05/06/2013: vazamento dos documentos de Edward Snowden;

      01/09/2013: revelado que Dilma Roussef foi alvo de espionagem da NSA;

      11/09/2013: revelado que NSA concedeu acesso a Israel de metadados e dados, inclusive de cidadãos norte-americanos;

      24/09/2013: em discurso de abertura da  68ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, Dilma Roussef  condena as ações de espionagem dos EUA no Brasil;

      17/06/2013: Dilma Roussef anuncia adiamento da visita de Estado que faria em outubro a Washington, em razão das denúncias de espionagem reveladas por Snowden;

      23/07/2014: governo Dilma Roussef chama de volta ao Brasil o embaixador em Tel Aviv. emite nota “condenando energicamente o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza”;

      24/07/2014: porta-voz do Ministério de Relações de Israel afirma que o Brasil é “parceiro diplomático irrelevante” , “continua sendo um anão diplomático” e que desproporcional “é 7 a 1” (referindo-se a goleada sofrida pela equipe brasileira no jogo contra a o time alemão na Copa de 2014);

      28/07/2014: mesmo contradizendo seu assessor especial para assuntos internacionais, que afirmara que Israel promove um genocídio na Faixa de Gaza, Dilma Roussef classifica a ofensiva militar israelense como um massacre;

      03/06/2015: Eduardo Cunha é recebido com honras de Chefe de Estado no Knesset;

      28/07/2015: no contexto da operação Lava Jato, é preso o vice-almirante Othon:

      20/09/2015: Dilma Roussef rejeita nomeação de Embaixador de Israel (ex presidente do conselho de assentamentos judaicos na Cisjordânia – entre 2007 e 2013);

      11/05/2016: enquanto acontecia a votação do impeachment no Senado brasileiro, Bolsonaro é batizado em Israel nas águas do rio Jordão;

      09/06/2016: Itamaraty de José Serra revisa voto dado na Unesco, em abril de 2016, sobre os territórios ocupados por Israel;

      20/06/2016: INB anuncia primeira exportação brasileira de urânio enriquecido;

      03/08/2016: em desdobramento da operação Lava Jato, vice-almirante Othon é condenado a 43 anos de prisão;

      .

      • Saberia me responder em que
        Saberia me responder em que regime estamos meu caro arkx,você que é versado em Caserna?DEMOCRADURA.Aquela que só inglês veem.A ACCEBLON vai entrar em pânico por que nem as estrelas eles vão poder trocar.O tapa boca e o engessa os dedos vieram para ficar.Espere a volta delas em 20 anos.Talvez em 2038.

          • Presciso de mais uma favor
            Presciso de mais uma favor seu.Trata-se da entrevista que o General Eduardo Villas Boas concedeu a Pedro Bial no programa que substituiu o de Jo Soares.Nassif,me parece,fez um artigo sobre a entrevista do General e a conduta exemplar de Pedro Bial como entrevistador.Contestei ele na lata e disse que a partir daquela entrevista o General estava no jogo e era o mais novo candidato a Presidente da República.Se puder atender meu pedido,fico-lhe agradecido mais uma vez.

  2. Xadrez da segunda etapa do golpe político

    apareceu a margarida!

    o elo perdido de ligação com o Império do Caos. o General Comandante das forças Anglo-SioNazi devastando o Brasil sob o paradigma da Faixa de Gaza, dos check-points, dos campos de concentração, da Guerra Sem Fim – contra o Povo de uma Terra Sem Povo.

    em seu delírio definitivo, os Proprietários da Humanidade vão deflagrar o holocausto nuclear, do qual pretendem sobreviver fazendo o upload de suas consciências para a Web of Life, ou se abrigando nos luxuosao condomínios dos bunkers subterrâneos.

    estamos buscando racionalidade onde já não há alguma! Das Kapital cruzou sua fronteira terminal, para nosostros por suposto. e sua irracionalidade intrínseca está enfim fora de qualquer controle.

    as trincheiras da I Grande Guerra, o desembarque na Normandia no Dia D, ou o genocídio de Hiroshima e Nagasaki terão sido apenas comedidos balões de ensaio frente ao que se aproxima.

    o surgimento da singularidade científica é seu esperado Messias. o Terceiro Templo não se fará de pedras, pois já não restará nenhuma. Hy-Brazil precisa ser destruído.

    Que D-us tenha misericórdia desta nação.

    .

     

      • Xadrez de Sérgio Etchgoyen, o comandante de fato do governo Teme

        na barbárie da Guerra Mundial Híbrida em curso, sob as benções do Senhor dos Exércitos do Armado Deus de israHell, um abismo chama outros abismos. isto tudo já aconteceu. déjà-vu.

        p.s.: 

        “É uma batalha que exige coragem”, diz ministro do Gabinete de Segurança Institucional

        Em vídeo gravado para as redes sociais, Sérgio Etchegoyen destacou a importância da reforma da Previdência para o futuro do País

        05/02/2018

        .

          • Xadrez de Sérgio Etchgoyen, o comandante de fato do governo Teme

            [EDITADO]

            vc não ganha nada em me provocar. não tem um artigo recente seu que eu não participe, sempre procurando agregar.

            em 2013, com o vazamento de Snowden e otras cositas más, Dilma, Lula e o PT foram fartamente informados do que estava em curso. e não era exatamente o povo se insurgindo nas ruas, e sim a NSA coletando 24×7 informações e espionando para colocar a todos de joelhos, como se estivessem prontos a serem executados pelo Daesh.

            e é isto que depois, e ainda agora, está acontecendo. o Daesh está aqui. e o Lulismo ainda falando sobre eleições…

            já lhe alertei mais de uma vez, não exagera na beladona no chimarrão.

            p.s.:

            “O regime está fechando suas garras contra os brasileiros mais vulneráveis e que mais precisam de Justiça”

            Dilma, a patética – 19/02/2018

            .

  3. A decolagem do Golpe

    O golpe é como uma nave espacial que vai soltando compartimentos na medida em que estes cumprem a sua parte e é necessário descartar. O golpe surge depois de retirar varias camadas que o ocultam, como aquelas bonecas russas.

    A trama do golpe dos corruptos….”com Supremo, com tudo”. Ratos do PMDB e centrão, depois que Dilma não aceitou negociar ilícitos.

    O golpe legislativo – o impeachment. Cunha e os seus deputados corruptos querendo parar a sangria. Em troca ao apoio do poder financeiro, prometem a Ponte para o Futuro. Aécio aproveita de apoiar, visando preservar o silencio em relação aos seus podres, mesmo sabendo que era melhor para o PSDB aguardar até 2018 e pegar o governo até com maioria nas urnas, se Dilma fosse deixada a continuar no cargo. Mas, o medo de ser pego pesou mais e com isso Aécio condenou o seu partido.

    O golpe econômico – As medidas neoliberais, perdas de direitos e privatizações, como contrapartida ao apoio aos golpistas.

    O golpe judiciário – Não foi suficiente o golpe legislativo, na forma em que foi dado, e os ventos começaram a mudar. Delatores começam a indicar membros do judiciário. Por pressão de mídia, começa a ação corporativa do judiciário querendo condenar rápido Lula e o PT como parte do pacto (com Supremo, com tudo). Recentemente, por conta de novas delações prometidas pela JBS, o judiciário começa a ser questionado e é necessário soltar mais um compartimento da nave espacial do golpe, tentando o judiciário sair de fininho e entregar a batata quente para os militares. Do tipo, o Juiz Bretas guardando a sua metralhadora e deixando esse show para os militares.

    O golpe militar- Logo que Raquel Dodge propõe reavaliar a anistia, os militares entram rapidinho em cena, para fazer a sua parte e preservar a instituição de danos colaterais. O seu sentimento coxinha e vira-lata é superior ao sentimento nacionalista dos anos 70.

    E o povo? – respondendo pelo outro lado, terá que lutar contra os militares, contra o judiciário, contra o poder financeiro, contra o poder legislativo e contra os corruptos que assaltaram o Planalto.

    • Só faltou referir-se
       

      Ao golpe midiático,  que amarrou bem bonitinho os outros  4, espalhando suas versões  adulteradas dos fatos , vazando denúncias selecionadas e concitando o povo às ações de  ódio.

       

  4. o buraco é bem mais embaixo..

    .. publiquei em outro post.. dêem uma conferida:

    Está cada vez mais claro que o Exército brasileiro está sob ataque:

    1. a combinação da PEC 55 com a reforma trabalhista e da previdência tem o objetivo EXPLÍCITO de eliminar pessoas.. sim, isso mesmo.. é prá matar as pessoas e reduzir a população.. a Reforma da Previdência vai ser aprovada de qualquer forma;

    2. o Rio de Janeiro é um balão de ensaio, um laboratório, o próximo passo será intervir no resto do país.. o estado que resistir será estrangulado financeiramente (e, no final, ocupado da mesma forma);

    3. depois de instalado o Exército, será decretado o estado de sítio;

    4. a partir deste ponto, serão cumpridos os seguintes objetivos:

    a. matar pessoas, seja pela ação direta das forças de segurança comandadas pelo exército, seja pela carência de tudo;

    b. carência de tudo, se preparem.. haverá bolhas de civilidade, o resto fica descoberto.. ainda vão tirar dinheiro de outras áreas do falido governo do Rio para custear a estrutura do exército, vai vendo;

    c. desmoralizar as Forças Armadas brasileiras, jogadas num atoleiro para matar miseráveis, aproveitam para destruir a moral da tropa.

    5. já desmoralizado e enfraquecido, o que restar do Exército brasileiro será jogado em um conflito regional, provavelmente a invasão da Venezuela (o que também pode ser um ótimo destino para indesejados em geral).

    Pronto. País dominado, povo (que sobrar) escravizado.

    Ao que tudo indica, a monarquia virá da linhagem do temer mesmo..

    Vamos nos transformar em uma ditadura sem povo estilo Arábia Saudita.

    Só doido para achar, a essa altura do campeonato, que haverá eleiões livres em 2018..

    A saída passa, em grande parte, por fazer uma revolução.. dentro do PT!

    O PT é o maior partido de esquerda, o mais capilarizado, e hoje está dominado por políticos de centro direita.. esse é o problema.. se quiserem fazer alguma coisa, voltem para o PT (muita gente se afastou nos últimos anos), e lutem para devolverem o partido para o povo.

    @page { margin: 2cm }
    p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120% }

    • Há dois anos

      Canto a pedra desde abril de 2016:

      Filie-se, aliste-se, ao Partido dos Trabalhadores!

      Agora Inês é morta.

      A única força (que seria) capaz de fazer frente ao golpe dos criminosos plutocratas, dos entreguistas, da oligarquia caseira e da banca.

      Não tinha outra, não tem, e hoje menos ainda.

      Não diria que são políticos de centro-direita, como afirma jruiz, são muitos parlamentares acomodados; não podemos exigir que todos fosssem como José Dirceu, Genoíno, Patrus, Dilma, Lula e mais uma meia-dúzia aguerrida. Gente desse tamanho não se encontra pelas esquinas.

      Se uma filiação em massa tivesse acontecido, teríamos uma possibilidade real de resistência. O que fariam os miltares se centenas de milhares ocupassem a avenida principal de nossas grandes cidades: Rio (aqui, bem em frente à sede da rede esgoto), São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza e Salvador? Sentar e ficar, só isso, sentar no asfalto e não sair.

      Não vamos nos iludir, 64 foi um recreio em comparação com a ditadura versão séc XXI. Lá os militares tinham algum comprometimento com a Pátria, eram nacionalistas. Os atuais são totalmente subordinados, não têm compromisso com a soberania do Brasil, são entreguistas e traidores do povo e do País. Não vai sobrar Brasil para ser retomado algum dia, o desmanche será absoluto.

      Quanto ao Lula, que reflita melhor e vá para uma embaixada, enquanto pode, e continue a nos ajudar do exterior. Será uma insensatez se deixar prender e ficar incomunicável. A novela das oito ou das dez, juntamente com o futebol diário e o restante do circo, conduzindo o rebanho sorridente e sonambúlico para o abate, o levarão ao completo esquecimento em muito pouco tempo.

      Vai, Lula, o povo brasileiro, infelizmente, não vale a pena, não te merece. 

      Um abraço fraterno a toda miltância.

       

       

  5. Uma nau para o golpe

    Bem, post o comentário pela última vez. Espero que não haja nada contra as regras do site.

    Parece-me que o plano é de longo prazo, envolvendo candidatura de Temer a presidente. Ao intervir no RJ, ocupa espaço político de Bolsonaro e apresenta-se como opção de continuidade da pauta neoliberal do golpe, dada a escassez de nomes para a tarefa. Medidas impopulares como a reforma da Previdência ficariam para um segundo mandato. Globo comprou a ideia. Provavelmente, Temer passa cada vez mais a ser visto como nau segura para diversas forças, do centro à extrema direita, incluindo setores militares influentes, dado seu histórico liberal-conservador e seu estilo distribuidor de benesses e de facilidades. Penso que é necessário uma reorganização urgente da esquerda face a esse novo cenário. 

  6. Intervenção militar em curso no país

    Circula nas redes sociais trechos do áudio de reunião de generais e de outros oficiais da reserva explicando a estratégia da intervenção militar no país.  Esta postagem de Nassif torna ainda mais cristalina a percepção de que, finalmente, a intervenção militar já teve início. Ela começa pelo Rio de Janeiro mas provavelmente irá avançar para outras regiões do país. O Ministério da Segurança, inclusive, deverá cumprir um papel relevante essa outra etapa. Diante disso, podemos avaliar que, se o decreto do Vampirão parece ter sido feito nas coxas, com o intuito de fazer manipulação ideológica da opinião pública e tornar a pauta da segurança o mote principal da agenda política, o fato é que a coisa parace ser bem mais grave do que isso e revela que há uma estratégia bem armada pela linha dura das forças armadas por trás dele. 

     

  7. Uma nau para o golpe

    Parece-me que o plano é de longo prazo, envolvendo candidatura de Temer a presidente. Ao intervir no RJ, ocupa espaço político de Bolsonaro e apresenta-se como opção de continuidade da pauta neoliberal do golpe, dada a escassez de nomes para a tarefa. Medidas impopulares como a reforma da Previdência ficariam para um segundo mandato. Globo comprou a ideia. Provavelmente, Temer passa cada vez mais a ser visto como nau segura para diversas forças, do centro à extrema direita, incluindo setores militares influentes, dado seu histórico liberal-conservador e seu estilo distribuidor de benesses e de facilidades. Penso que é necessário uma reorganização urgente da esquerda face a esse novo cenário. 

    • A direita não é burra para colocar Temer candidato.

      Esquece a candidatura Temer. A direita não é tão burra de apostar em cavalo paraguaio combalido. O vampião só sai candidato em uma circunstância: funcionar como cortina de fumaça para não transferir sua impopularidade para outro candidato de direita mais viável, que se apresentaria como “adversário”. E quase qualquer desconhecido é mais viável, se tiver uma estrutura forte de campanha, com muito dinheiro, for bom de retórica, e tiver bons operadores políticos para fazer articulação.

      Agora é claro que Etchegoyen quer fazer o sucessor de Temer para continuar sendo o homem forte. A intervenção pode ser um balão de ensaio para lançar o general Mourão, ou Heleno ou outro (obviamente eu não gosto do dircurso de Mourão por conteúdo de idéias, neoliberal e entreguista, mas ele tem boa retórica no sentido de saber se comunicar bem com sua platéia. Poderia ter mais votos que Bolsonaro).

  8. Alguns pontos a considerar

    Primeiro é o desespero diante da atual situação polílitica  e a proximidade das eleições de 2018, o fortalecimento do PT , a queda do PSDB e do  PMDB junto ao eleitorado, restando somente o golpe militar para evitar uma vitória do PT nas eleições de 2018.

    O segundo ponto é que os militares no Brasil tem um viés nacionalista, o que vai contra com a tentativa de entregar o pré-sal para as empresas estrangeiras, e privatizar o setor elétrico como vem sendo feito.

    A intervenção no Rio de Janeiro, pode ser uma tentativa de convencer os setores militares de que golpe militar é a melhor saída, apesar dos riscos que  todo enfrentamento cria.

    Lembrando sempre que com governos militares, não tem discussão política, ou você fica ao lado deles(em posição subalterna), ou foge, caso sontrário vai levar bala.

     

  9. O inimigo interno: Brasil, um país de traidores e ladrões

    Duvivier: governo criou a “Guerra ao Terror” no Rio

    Onde tem mais dinheiro: na favela ou no apartamento do Geddel?
    ImprimirPublicado em 19/02/2018 no Conversa Afiado

    Com máscara de caveira, soldados do Exército fazem operação na Rocinha, em setembro de 2017 (Créditos: Domingos Peixoto/Ag. O Globo)

    O Conversa Afiada reproduz artigo de Gregorio Duvivier na Fel-lha desta segunda-feira, 19/II:

    Viva a intervenção militar! Chegamos a tal ponto que só o Exército vai pôr fim à roubalheira. Só não entendi por que ela começou no morro do Rio de Janeiro.

    Em Brasília, um terço dos congressistas está às voltas com a Justiça. De todas as favelas do Rio, nenhuma tem uma porcentagem tão grande de criminosos quanto o Congresso. Não somente em quantidade, mas em qualidade: duvido que a quantia total de furtos no Rio seja maior que a verba encontrada no apartamento de Geddel.

    “Sim, mas o problema do Rio é o tráfico de drogas.” Se o problema fosse exclusivamente esse, também deveriam começar por Brasília. Nenhuma favela do Rio jamais esconderá tanta cocaína quanto o helicóptero daquele senador do PSDB.

    Há quem diga que a intervenção no Rio se dá por causa de um clamor popular. Pesquisa feita em 24h pelo governo federal afirma que 83% da população carioca é favorável à intervenção, noticiou o “Globo”. Ora, se Temer se importasse, de fato, com o clamor popular, se retiraria imediatamente do cargo. Espanta que o presidente menos popular da história ainda esteja interessado em saber o que o povo pensa. Se a população for consultada, fica muito claro que a metástase a que ele se refere tem nome e sobrenome: o seu.

    Depois, resta saber se algum favelado foi ouvido nessa pesquisa. Acho que não se encaixam na categoria “cidadãos” nem “cariocas”. Vale lembrar que até o IBGE, um instituto muito mais sério que o governo Temer, ainda sustenta que a Rocinha tem 69 mil habitantes, enquanto a Light registra 120 mil e a Associação de Moradores estima em 200 mil. Se nem o censo subiu a favela, pode ter certeza de que Temer fez essa pesquisa que nem as plásticas da sua cara: a toque de caixa, pagando pra algum amigo.

    A estratégia é batida. Assim como nas guerras americanas “ao terror”, o governo inventa um adversário para unir a população. No caso dos americanos, escolhe-se um inimigo externo, de preferência bem longe, pro sangue não respingar. O Brasil não faz cerimônia: escolhe os iraquianos aqui mesmo, pela renda e cor de pele. Temos a sorte de ter uma parcela sub-humana da nossa própria população, de quem a morte não comove muito. Em tempos de crise, isso ainda gera economia em passagens aéreas.

    Enquanto isso, o inimigo em comum continua sentado na cadeira presidencial. Já que Temer tá interessado em ganhar popularidade, fica a dica: seu desaparecimento é mais popular do que qualquer intervenção.

     

    • Soldadinhos de

      Soldadinhos de mentira.

      Sairiam correndo, largando as armas no chão ao se depararem com fusileiros navais americanos, paraquedistas do GRU ou mesmo com os milicianos do Daesh.

  10. Pensando “bem”, erram os

    Pensando “bem”, erram os golpistas na investidura do tal general como boneco-em-foco da invasão-sitiante-golpista: melhor seria o Capitão Guimarães ou o Coronel Brilhante Ustra. Talvez, até, o dito bolsonóico. Ou o Sérgio Fleury. E, qual a razão para não chamarem os bicheiros cariocas, beija-flores, para comporem o dito conselho de coisa-alguma? Afinal, se o cara teve grana para pagar o triplex do marinho-mór-de-merreca, tem dinheiro pra bancar, sozinho, a destruição da concorrência nas comunidades a serem invadidas no “coletivo”. E chamarão o Mariano Beltrame, para explicar as razões para tudo o que fez ter ido água abaixo? O Pezão continua como santo-de-araque ou será o primeiro preso da “operação”? Em se tratando do riodejaneiro não seria melhor “dar” o comando ao piciani ou ao zweiter (assim?) ou ao acunhado que está sem fazer nada em curitiba? Pobre país de merrecas.

    • Pobre país de merrecas,diz
      Pobre país de merrecas,diz você.Cachorro morto,todos a eles.Você toma nosso pré sal e ainda vem tripudiar.Tenha piedade.

  11. O dito pelo não dito

    Sempre que se anunciava aqui e em outros espaços, principalmente após o golpe, que o novo modelo de desestabilização de nações com governos frágeis e subdesenvolvidos, mas estrategicamente importantes para os países centrais por conta das suas riquezas minerais, de maneira ad libitum divulgavam o novo modo – que de novo não tem nada – as chamadas guerras assimétricas.

    Em síntese: não haverá mais espaço para a tomadoa do poder pela força bruta provocada pelos militares.

    Lia essas notícias com certa incredulidade. E não é que agora, tudo o que foi dito, não vale mais!

    Cadê a guerra assimétrica, a julgar por este xadrez.

    Foi para o espaço?

    Aquilo que foi decantado em prosa e verso (guerra assimétrica), no Brasil, nem isso precisa?

    Vamos pelos caminhos convencionais, tal a imbecilidade do povo brasileiro?

    Nem precisa enfeitar o bolo porque aqui se aceita tudo. Não precisa nenhuma estratégia nova, vai no roldão mesmo que ralé  nem vai se dar conta.

    Quer dizer que vamos levar outro golpe castrense sem ao menos disfarsar?

    É na cara dura?

    E aqueles que acreditaram na guerra assimétrica?

    Com que cara estão?

    • Esse negócio de “guerra
      Esse negócio de “guerra assimétrica”fica por sua conta.Nao prescisa nem ser levado a condição de gênio para entender que força bruta dos militares chegou na cara mais limpa do mundo e foi entrando sem pedir licença.Só um completo imbecil para se fazer de desentendido.

      • Minha conta?

        Você sabe ler?

        Entendeu o texto?

        “Guerra assimétrica fica por minha conta”

        Babaca, foi justamente o que estou negando, e você coloca na minha conta?

        Leia e entenda o que escrevi.

        Você se acha um gênio a dar pitacos na conversa dos outros.

        Pelo menos se soubesse entender texto, vá lá.

        • Rapaz,nao caia na onda desses
          Rapaz,nao caia na onda desses cadastrados daqui,eles deixaram voce com a brocha nas maos,eu lhe socorri.Voce prescisa se definir,se eu sou um genio,ou se voce e um completo imbecil,segundo voce mesmo.Ninguem pode lhe negar sua cara de pau.Eu lhe corto ao meio,e voce vem procurar onda comigo.Deixe de baratino,va procurar tua turma Mane,eu nem cadastrado sou.O bambu e doido.

  12. Um urubu pousou na nossa sorte

    Fica cada vez mais distante a possibilidade de uma hipotética eleição normal (limpa, democrática) em outubro. Fica igualmente cada vez mais longe a manutenção da cadidatura Bolsonaro. Nunca deu para levar a sério por um motivo, porque fora da Câmara acaba a bravura do deputado, a menos que tivesse 30% ou mais de intenções de voto. Provavelmente será convidado a retirar a candidatura, para desgosto dos seus seguidores, e contin uar deputado, condição que lhe deu mais de uma dezena de imóveis. 

    Agora, surge mais um bom motivo para acreditar nisso, a desistência da candidatura. Porque generais não fazem continência para capitães. Vide a quarta estrela para Figueiredo, atropelando o almanaque do Exército. 

    • Mas batem continência pra ladrão

      Não batem continência pra capitão mas parecem não se incomodar em fazê-lo para a quadrilha de corruptos encastelada ilegitimamente no Palácio do Planalto. Seus padrões morais não são tão altos quanto querem nos fazer crer.

  13. Temos que reconhecer, o

    Temos que reconhecer, o Nassif “cantou a pedra” a muito tempo. E, aproveitando o ensejo, resgato uma profecia que fiz em 10/08/2016:

    “Diante dessa realidade [de golpe de Estado], só há três alternativas:

    a) reestabelecimento da antiga Lei (válida para todos) [constituição];

    b) imposição da força bruta;

    c) desintegração do Estado Nacional.”

    Por enquanto, estamos caminhando entre os cenários “b” ou “c”.

    https://jornalggn.com.br/noticia/o-imperio-da-lei-da-forca-bruta-ou-o-fim-do-estado-nacional-por-rafael-pizzato-vier

     

     

  14. V. Aras

    É importante destacar essa trecho do que Nassif repete de V. Aras: 

    Por outro lado, se as Forças Armadas e a Polícia tiverem dados de inteligência de que em certo local (casa, igreja, escola, empresa etc) há armas, criminosos foragidos ou drogas (um crime em curso), não é necessário mandado judicial para entrada e busca, para prisão ou apreensão.

     

    É o mandato de busca coletivo em si. Quem irá verificar se há dados de inteligência para tal coisa?  

  15. Sonho eterno em pesadelo profundo.

    Ditado: “Quando o extraordinário torna-se cotidiano, fez-se a revolução”.

    Estamo no Brasil dos últimos anos vivem esse ditado as avessas, qual seja: quando o impensável torna-se realidade, fez-se a alienação.

    Estamos dentro de um pesadelo e não consegumos acordar.

    • Revolução não tem partido nem lado
      A revolução que estamos em curso é a tentativa de uma república sem ré pública. Democracia sem demo cracia. Vamos ver para onde nos levará está revolução. Só faltou combinar com o povo.

  16. Fairies wear boots (reloaded)

    É de se enaltecer da inteligência de Nassif em seguir as pegadas desse capitão-mór. Desde antes já havia postado aqui uma palestra enfadonha e cheia de lugares-comuns numa alcova ou caserna qualquer desse filho-da-caserna. Agora veremos de fato se a resistência é filha de 68.

     

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=BznKSJMKQI0%5D

     

     

  17. Não se iluda ..o golpe chegou
    Não se iluda ..o golpe chegou .. impossível imaginar eleições livres ..pior ainda pensar que QQ presidente eleito deva assumir concordando com este esquema imposto por um governo corrupto e violento
    ..tudo na base do ou dá ou sequer ė empossado

  18. Chama a atenção o apoio do Ciro Gomes a essa intervenção federal

    Chama a atenção o apoio do Ciro Gomes a essa intervenção federal. Na sua busca em atrair o eleitorado conservador do bolsonaro, ele tem apoiado essa intervenção federal manifestamente inconstitucional. Ele, assim como Marina Silva, está querendo a todo custo angariar o apoio da classe média que está sendo manipulada novamente pela globo.

    Qualquer pessoa que tenha o mínimo de bom senso sabe que essa intervenção não surtirá nenhum efeito e visa apenas beneficiar os golpistas.

    • Onde que viu essa
      Onde que viu essa manifestação? Uma rápida pesquisa no Google revela que na verdade ele se pronunciou contrário, com severas críticas.

      • Ele faz um discurso dúbio, critica e elogia ao mesmo tempo, para

        Ele faz um discurso dúbio, critica e elogia ao mesmo tempo, para no final o PDT votar coeso pela aprovação da intervenção militar na Câmara. Todos os deputados da sua legenda aprovaram a medida.

        O Ciro tem usado essa retórica de morde e assopra, para tentar angariar o apoio da direita e da esquerda ao mesmo tempo, como se o interlocutor pudesse escolher o trecho que melhor lhe convém. Ele faz com essa medida o mesmo que faz com seus adversários, primeiro agride e depois diz que é amigo.

        A sua explicação sobre a intervenção militar segue a mesma lógica da sua crítica da condenação do Lula, crítica mas não se opõe.

        Quando ele elogia o general interventor Walter Braga Netto faz o seguinte apelo:

         “É o que há de melhor em nossas forças armadas. Sério, competente e com elevado espírito público, deve ter o apoio de todos nós”.

        Como assim a intervenção e o interventor federal deve ter o apoio de todos nós!? 

        • Máscaras caindo …

          Em um outro post, um comentarista escreveu que com o golpe de 2016 muitas máscaras cairam.

          É verdade.

          E no caso, mais um que exibe a sua verdadeira face.

  19. Na leitura de Romulus/Calazans
    O comando das Forças Armadas está em disputa. De um lado os moderados, com general Villas Bôas à frente. De outro, o linha dura Etchgoyen.

    Há tb, segundo essa leitura, farta produção de fake news sob o comando de Etchgoyen tentando criar uma fictícia ligação PT/PCC, como este fosse um braço armado daquele, tipo uma FARC brazuca.

    Só uma certeza: Etchgoyen é do mal.

    https://duploexpresso.com/?p=88592
    https://duploexpresso.com/?p=88753

  20. Nassif arrisco q não vão
    Nassif arrisco q não vão aprovar a intervenção,é só palpite,já q sou livre para voar nos comentários aqui,com sua permissão e da equipe moderação GGN,lógico ! A Globo vai passar vergonha(ou eu aqui,se for já estou acostumado!)

  21. Como os golpistas adoram

    Como os golpistas adoram falar: o regime de exceção avança mas “tudo dentro da lei”. (sic)

  22. Tudo começou em 1889
    Tudo começou em 1889,com o golpe na monarquia de Dom Pedro ll.sempre os mesmos militares e oligarquias.

  23. Vou insistir no
    Vou insistir no comentário.Nassif ao final do seu Xadrez fala em resistência do Supremo,da PGR do Congresso.Ora,os maiores protagonistas para que a situação tomasse esse rumo foram exatamente as Instituições que ele citou.A pergunta que não quer calar.De onde viriam essa tal de resistência?É isso que eu gostaria de saber.O primeiro a chiar pelo Twitter foi o ilibado,imparcial e corajoso Procurador Carlos Fernando Lima.Viver é muito perigoso,dizia Guimarães Rosa.Blá blá blá,nhem nhem nhem,balela,acredita quem quiser.Ja foi.By by.Adeus viola e haja Xadrez.O General Sérgio E.de uma hora para outra,tornou-se um gênio só por pertencer a família de militares.Pela Santa Madrugada.Vocês querem um fato eloquente que aconteceu no ano passado e prova cabalmente que nem o Editor do Blog leva vantagem comigo.Espero que esteja a mim garantido a publicação desse comentário por se-lo de uma verdade inquestionável.Em entrevista ano passado ao Jornalista Pedro Bial,no programa que substituiu o de Jo Soares que não sei o nome,o General Eduardo Villas Boas,perguntado pelo apresentador do programa se as Forças Armadas interviriam no processo político do País,o General respondeu que não,e que a função das FA dizia respeito ao resguardo dos preceitos Constitucionais.Nassif elevou Pedro Bial ao mais categorizado entrevistador de Televisão do Brasil.Ousei discordar da opinião dele,e disse que lamentava que ele,Nassif,não tivesse percebido que debaixo dos óculos dele estava um candidatissimo a Presidente da República,o General Eduardo Villas Boas.Infelizmente a saúde atual do General impediu meu prognóstico.Se houver alguma dúvida sobre esse meu relato,arkx o resgatará a meu pedido.Desde que o Papai me falou que meu maior patrimônio é minha memória,eu acreditei e ninguém nunca deu em mim.Nem Editor de Blog.

    • Voces estao vendo ai ACCEBLON
      Voces estao vendo ai ACCEBLON por que me consideram genio e voces se escondem debaixo da cama.Sou fera cara.Se arkx quiser recuperar esse comentario como ja solicitei,que o faca.

      • Nao utilize-se da cretinice
        Nao utilize-se da cretinice nem da leviandade para debater comigo.Em que momento dos link’s que enviou-me aborda nem de raspao a enfermidade do General?E do conhecimento ate do mundo minetal,que doencas ou males que acometem altas autoridades da Republica sao guardadas a sete chaves,nunca levadas a conhecimento publico.Inclusive conheco alguns que foram vitimados por adotarem esse procedimento.Petronio Portela,ja escolhido pelo Alto Comando das FA,como futuro Presidente,foi um deles.A nao ser que a noticia tenha sido vazada para voce.Ademais,nao dou muito credito em pessoas que se escondem atras de siglas.

        • Guardada a sete chaves? Estás brincando, pá!

          http://www.bbc.com/portuguese/brasil-41929572

          O general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, comandante-geral do Exército, é um dos responsáveis por assegurar a defesa do país. Ao mesmo tempo, é um homem que trava uma batalha pessoal com a própria saúde.

          Em março deste ano, ele revelou, em um vídeo institucional divulgado no YouTube, estar enfrentando uma doença neuromotora degenerativa que afeta a musculatura. Cinco meses depois, com a mobilidade bastante restrita e a respiração mais ofegante, ele tem participado de eventos usando uma cadeira de rodas.

          Em entrevista à BBC Brasil, por telefone, o próprio comandante classificou a situação dele como “inaudita”. Mas garante que a saúde mais fragilizada, que contrasta com a imagem de um soldado pronto para a guerra, não é, para ele, motivo para ele deixar o posto. O trabalho, diz ele, o ajuda a enfrentar a doença. Nos bastidores da caserna, porém, já se especula quem será seu sucessor.

          BBC Brasil

          • Eu deixei voce nu com as maos
            Eu deixei voce nu com as maos no bolso,visto que,os dois link’s que colocou no ar,quanto a enfermidade do General, sao mentirosos.O General esta sentado em frente a Pedro Miau,este sim,encorberto por um balcao,em confortavel poltrona,envergando um uniforme de gala que cabe um General usar,calcado em uma botina de couro e de grossa empessura,que tem como uma das finalidades chutar a bunda de cuiudeiros.Se identifique d’agora em diante para conversar comigo.Nao convem trocar conversa com siglas.

          • E Júnior 5 Estrelas é nome de gente?

            Ora, não sabes ler, meu caro. A doença do general Villas Bôas foi divulgada por ele mesmo muito antes da entrevista.

            Não sabes reconhecer um erro, então, chega.

      • Oh sacripanta,mentira tem
        Oh sacripanta,mentira tem pernas mais curtas do que eu imaginava.Alem dos dois link’s desonestos que voce colocou no ar,e que nenhum deles se refere a enfermidade do Gal.Villas Boas,o bom amigo arkx resgata com sua habitual gentileza,o comentario em que eu previ a candidatura do General,3 meses antes da entrevista que ele concedeu a Pedro Miau.Ja falei,vou repetir:ACCEBLON tem + de 1.000 associados,certo.Eu amarro minha mao direita,e solitariamente mato todos voces a chapeladas.

          • A discussao e completamente
            A discussao e completamente bizantina,visto que,o primeiro comentario que fiz dando o General Villas Boas como candidatissimo,data de junho de 2017.Voce levou 8 meses para me questionar.Assim sendo,voce perdeu a questao por decurso de prazo.Voce tinha 15 dias para se manifestar.Logo vi que por tras dessa sigla voce escondia algum segredo.Um reles revel.

    • Xadrez de Sérgio Etchgoyen, o comandante de fato do governo Teme

      -> Se houver alguma dúvida sobre esse meu relato,arkx o resgatará a meu pedido.

      Junior 5 Estrelas

      Considerações com dor,a ver:A

      qui, 21/09/2017 – 10:56

      Considerações com dor,a ver:A “altivez” de Pedro Miau,vide Rede Globo,tombaria ao som dos acordes do primeiro clarim da manhã,principalmemte vindo da caserna,conforme o proprio Nassif asseverou no Xadrez de hoje.O Moreno encontrou dificuldades para enxergar o Bonaparte de plantão,e esse humilde não cadastrado desetrelado,lhe entrega na bandeja assim como entregou o advogado espano-brasileiro Rodrigo Tacla Duran,sem prescisar de delação premiada,quiçá dedo duro.Bem,pelo visto,Nassif acompanhou toda a entevista de Pedro Miau,preocupou-se em demasia pela “altivez” do entrevistador,e descuidou-se do entrevistado,bem ali sentado diante dos oculos que o Moreno usa desde a ceia de cristo,o Bonaparte:O General Eduardo Villas Boas,tinta tanta medalhas e estrelas no uniforme que só faltava a chapinha da Antartica.Não foi por falta de aviso.Como o Papai vivia a me dizer que minha memoria é meu maior patrimonio,há mais ou menos,tres meses atrás fiz um comentario analisando uma entrevista do General nos mesmos molde que deu a Bial,asseverei peremptoriamente que o General estava na parada.Como costumo andar com fé e a fé não costuma faiá,ai ai caramba,disseram que ele não vinha,olha ele aí.No mais,o Ministro Marco Aurelio de Melo, nosso dignissimo Coalhada,estrilou feio.Pode ter sido um pouco tarde,afora que compõe o STF mais avacalhado de toda historia.Como já divulgado,o Blog promoverá no final do ano no Bar do Alemão,em data e horario a ser divulgado antecipadamente,festa de Confraternização para a entrega da Medalha de Honra ao Merito ao Comentarista do Ano.Desde já confirmo minha presença,exceto se houver toque de recolher ou estado de sitio.

      .

       

  24. Nassif, 
     
    Qual o papel de

    Nassif, 

     

    Qual o papel de Denis Rosenfield nesse processo? Não é ele o mentor do Etchegoyeen? 

     

    Abraço

  25. Golpe parlamentar, jurídico e militar

    O Brasil sofreu um impeachment em 2016 sem crime de responsabilidade. Não teve um especialista em orçamento público, um estudioso em gestão que concordassem com crime em quatro decretos de créditos suplementares que não geraram despesa porque foram contingenciados. Crédito suplementar aumenta a dotação de uma determinada ação, mas não autoriza o gasto. O que autoriza o gasto é o decreto financeiro que pode ser contingenciado. Pedalada no plano safra do governo com o Banco do Brasil, esse foi o outro “crime” da Dilma. A relação do Tesouro com o BB é um contrato de serviço, você demora de quitar esse saldo e isso vira uma operação de crédito? A LRF proíbe empréstimos de bancos públicos ao Tesouro e forçaram a barra para caracterização de um contrato de serviço como operação de crédito. Derrubaram uma chefe de estado e chefe de governo com base em quatro decretos e o plano safra. Uma tragédia brasileira, Anastasia não conseguiu um depoimento de técnicos do Tesouro, Banco Central e Receita Federal para corroborar com o relatório dele, apenas o Ministério Público de Contas totalmente partidarizado por um reacionário. Depois condenaram Lula a doze de anos de cadeia sem nenhum crime e não teve um jurista de nome que defendesse essa posição do “imparcial” Moro e dos palhaços do TRF 4. Agora é a intervenção federal no Rio sem justificativa e, mais uma vez, não teve um especialista em segurança pública que fizesse a defesa dessa intervenção. O Brasil vivencia uma forte ruptura institucional, nossa constituição enxovalhada numa grande regressão civilizatória.

      

  26. Já era sabido que as medidas

    Já era sabido que as medidas neoliberais gerariam um ambiente social explosivo. Aliás, já vivemos uma guerra social de ricos contra pobres, porque, pelo menos pra mim, quase 100.000 mortes violentas ao ano, entre assassinatos, acidentes de transito, etc, configuram ambiente de guerra…  

    Nesse contexto de crescente insatisfação e desespero os pobres só serão contidos a força. Por isso, além de tudo o que foi dito sobre a intervenção, fica claro que esse governo de imbecis posiciona as peças para preparar os próximos lances: Estado de Sítio, suspensão de eleições, suspensão de liberdades individuais, censura, repressão armada…. Em suma, uso da força para conter a insatisfação social, que tende a aumentar…

    Vai ficando claro também que, Milton Friedmann, como notório cínico e mentiroso, mentiu de novo: “Capitalismo” não rima com “Liberdade”….

    É. E tem gente que dizia que era tudo “Teoria da Conspiração”. Problema é que a tal “conspiração” rapidamente está se tornando realidade….

  27. Cada povo tem o governo, que

    Cada povo tem o governo, que a “inteligencia” coletiva – aquela que julga ter recebido educação permite existir, através de suas omissões, atitudes coletivas de covardia, e cumplicidades em crimes.

    E a massa expoliada, é sempre quem paga o pato, e sofre a truculência, contra a qual não existe argumentos.

    A desmoralização da ditadura um dia chega, mas quanta atrocidade é cometida até lá. Se houvesse JUSTIÇA, nada disso aconteceria.

  28. RASGANDO A CONSTITUIÇÃO

    A implementação contínua de medidas excepcionais visa a remoção dos direitos previstos na Constituição, sob os mais variados pretextos. A pergunta que fica: – Até quando a sociedade irá permitir tais leviandades ? Quais serão os resultados a partir dessa nova ordem, estabelecida sem aprovação dos cidadãos ? 

    Enquanto isso, uma série de medidas destinadas a entregar o país à sanha de interesses multinacionais são tomadas, com o apoio de um Congresso que não representa os anseios do povo brasileiro; um Judiciário cúmplice, por omissão, preocupado apenas com suas prerrogativas; e um Executivo formado por agentes já bastante conhecidos da população, por suas vinculações a negócios que sempre trouxeram grandes prejuizos ao erário público.  

     

  29. A volta dos generais presidentes

    O gal. Etchgoyen deve estar querendo ser o primeiro general presidente da nova ditadura militar.

    Um sonho, enfim, realizado.

  30. Um viva a burrice!

    Detesto dizer isso, por que é de um simplismo e verdade arrasadora…

    “Somos as nossas escolhas…”

    Quando os golpistas, senhores do poder fizeram e fazem as suas escolhas elas terão consequência…

    Quando escolheram a PEC 55 e irresponsavelmente arrombam o déficit público escolheram garantir o lucro de poucos.

    As consequências virão com o sucateamento das estradas, das ferrovias, de nossa infraestrutura com consequente perda de competitividade das empresas brasileiras que vai refletir nos impostos e irritar funcionários públicos…

    A PEC 55 é um bolsa família invertido, só que dezenas de vezes maior…

    Tira-se do orçamento para dar aos ricos…

    Dar dinheiro aos pobres tem várias virtudes.

    1 – Gera negócios na base da economia para micros, pequenos e médios negócios são alavancados – que acaba fortalecendo grandes negócios e arrecadação de impostos dos governos.

    2 – Aumenta a sinergia interna com a base da população buscando qualificação para disputar melhores empregos, que trazem melhores empresas – reduz a violência.

    A PEC 55 favorece a concentração de renda e vai descalçar micros, pequenos e médios negócios e bater nos grandes e reduzir a arrecadação de impostos.

    Colocar tanques na rua é consequência de várias escolhas burras!

    Estamos fazendo escolhas burras e isso vai ter consequência até para quem se acha longe destes fatos!

    • de acordo.

      Concordo com tudo que escreveu e assino em baixo.

      Estamos sim, fazendo escolhas burras, mas muito lucrativas para a zelite dos 1%.

      Ela estará em Miami, Londres, Paris vendo a desgraceira de camarote!

      Com um copo da legitima champanhe na mão!

       

    • analise o todo..

      .. combine a PEC 55 com Reforma Trabalhista e da Previdência e redução da economia.. eles estão formando um imenso gueto nas periferias, onde vai faltar tudo, inclusive água potável, vai vendo aí.. o objetivo é matar pessoas..

  31. Intervenção deveria ser no aparato policial

    O advogado e comunicador Romullus Maya defende a tese que ao invés de simplesmente criticar a intervenção militar generalizada na segurança do Rio de Janeiro, a oposiçao deveria cobrar intervenção no aparato policial e judiciário do estado, que hoje seria controlado por narco-traficantes poderosos, engravatados, que vivem nos palácios e comandam a política, a economia e a polícia. O diálogo com a populaçao deveria ser no sentido de alertar a todos de que antes de tudo, portanto, é preciso sanear as polícias e afasta-las definitivamente da sua associação com o crime. Sem essa medida resta apenas a propaganda manipuladora que substitui a pauta da entrega das riquezas nacionais e da força do crime organizado nas cúpulas da República pela pauta dos tanques das forcas armadas nas ruas. Outro aspecto importante que ele chama a atenção é para o fato de que nos próximos dois meses deverá haver mudança no Comando do Exército, com a saída do General Villas-Boas – este general é nacionalista e se põe ao uso político e policial das forças armadas. A corrente contrário a Villas-Boas hoje é comandada pelo entreguista Etchgoiyan, que pretende fazer o nome do sucessor do comandante do Exército. A operaçao no Rio, deste modo, se insere numa disputa interna do Exército a favor da linha dura. Não à toa, o geberal interventor do Rio ficará subordinado não ao Comando do Exército mas ao gabinete presidencial, ou seja, ao Etchgoyan.     

  32. O Vampirão não passa

    O  Vampirão não passa de uma galinha da inglaterra, sic rainha: não apita nada e, cada vez mais, apitará menos.

    Segundo pregou o  general Mourão, num evento da maçonaria,  o fechamento da democratura será gradual, sendo essa intervenção o AI 2:  quando o AI 5 chegar,  será a vez dos milicos colocarem no paredão a imprensa, Congresso, STF, MPF, Legislativo, Executivo…ou já se esqueceram que quando da última “intervenção militar” que durou 21 anos sobrou até para o Carlos Lacerda, que foi tão importante no golpe de 64 quanto o foi o Moro e a Lava Jato no de 2016.

    Brasil, terra dos golpes, por ocasião do golpe de 1854 tivemos a República do Galeão, em 64 os processos de lawfere continuaram contra, por exemplo, a Panair, a Embraer daquela época….enfim, esse pais não tem jeito não, está sempre sendo descontinuado, destruido para atender a fome das oligarquias nacionais e internacionais.

    Para animar ainda mais os manifestoches, vem ai estado de sitio, a censura, fim do habeas corpus, prisão do Lula, e olha lá que até chegar ao AI5 muita coisa vai rolar: torturadores ganham muita grana com a indústria da tortura, pois se apropriam dos bens das vítimas.

    Já há algum tempo o Brasil deixou de brilhar perante o mundo civilizado….agora é a treva.

  33. Há militar nacionalista ?

    Será que nas Forças Armadas ainda existem militares nacionalistas ?

    Parece que todos são entreguistas como Etchgoyen e Mourão: reverenciam os EUA,  contribuem para colonizar o Brasil e usam a força para nos domesticar .

  34. O BRASIL SOFREU UM ASSALTO E O CRIME ORDENA O PAÍS.

    Nassif, o pais fora assaltado por uma quadrilha e a ela por questões legais associam outros atores mesmo que divergem, pois cumprem ordens mesmo que no migué de usufruir. Disse em comentários dias atrás que algo muito ruim se avizinhava e chegou de forma sorrateira, mas permanente e se estenderá a mais estados e irá ao país inteiro. Agora, o correto de jornalistas sensatos como você é ajudar o povo comum a não terminar em valas e desaparecidos. Não há mais sistema de justiça confiável no país, são só mera casta ancorada em salários e auxílios altíssimos pagos por todos, tipo, todos por uns e uns para ninguém, são só para ele e a casta. O povo precisa ser alertado que não mais tem algum direito, o estado de direito se exauriu no Brasil, já é uma ditadura real, o processo que que faliu a maioria das micro empresas foi a forma de voltar as oligarquias comerciais das famílias da casa grande, o processo eleitoral vai seguir o mesmo script, haverá poucos eleitos o quase nada de classes que não sejam oligárquicas, esses refugiados haitianos e venezuelanos, chilenos, peruanos que adentram aqui foram e são os cobaias para a NEW ESCRAVIDÃO, mão de obra barata sem o necessito de cidadania, ou seja, sem lenço e sem documento. Ao constiparem a justiça trabalhista era o início desse processo, disse em comentário meses atrás que ao tirarem militares da justiça comum, era o início da fase mais nefasta do GOLPE, os militares só não o fizeram antes por medo de recaída da justiça ao símbolo da lei e da constituição. Portanto é melhor pedir as pessoas para não saírem de casa, não comentar na internet e muito menos em redes sociais, pois se não gostarem estão mortos na figura de marginais, a mídia já trabalha com essa concepção, apareceu morto, “está envolvido em criminalidade” e não tem investigação. A nossa justiça usa a hermenêutica medieval em que basta que um cidadão de bem o acuse logo já é culpado e a mídia repercute.  O país em que um “CHEFE DE QUADRILHA” ordena uma interversão contra o crime, ou os militares enlouqueceram, ou foram eles que ordenaram o CHEFE, ou a bagunça é tanta que ninguém respeita mais nada, só a obsessão de que, castas são castas e necessitam de escravos para ostentarem intelectualidade de programa de auditório. Doe ver nosso exército voltado contra nós mesmo e o bandidos encastelado em Brasília até em palácios e nada fora feito lá. Em termos de geopolítica as nossas forças pararam no tempo, por falta de Haiti para policiar, se não tem tu vai tu mesmo. 

  35. Acorda, Adalgisa

    A volta previsivel do poder militar. Marx, grande leitor, bem alertou que a historia vive a se repetir: ora como farsa, ora como tragédia. 

    Espero que a população brasileira seja conscientizada dos perigos a que esta sendo submetida. Acho que a despeito de uma parcela conservadora que pensa que o exterminio da periferia e da favela resolveria todos os problemas de segurança do Brasil, tem uma parcela significativa que não aprova tudo isso. Ontem num bom post do GNN sobre a sociologa Jaqueline Muniz, que tem sido didatica nas suas entrevistas, ela explica o jogo politico por detras dessa intervenção militar comandanda por Temer e seu parceiro de golpe, o Gen. Etchogoyen. 

    As Comissões da Verdade instituidas pelo governo Dilma acirraram o odio e rancor em partes das FFAA, como parece ser o caso desse general e de uma parte das FFAA que estão à espera de uma revanche e de protagonismo. O momento é delicado e, me parece, o Gen. Villas Bôas precisa de apoio para conter essa ala do Exército que sonha em voltar ao poder pelas vias de mais um golpe.

    E a imprensa mais uma vez se prestando ao papel de apoio ao golpe em cima das eleições de 2018. O que ouvi das pessoas no fim de semana ao comentar do perigo dessa intervenção militar foi “mas não se tem em quem votar mesmo…” Acorda, Adalgisa!

  36. Se não denunciar a maçonaria, vai dar nisso.

    Todo jornalista investigativo que se preze sabe bem que, por trás disso tudo, existe uma quadrilha maçônica infiltrada nos três poderes da República.

    • Antes de qualquer
      Antes de qualquer comentario,voce prescisa aprender o que significa “retratacao”,assim como meu amigo Petronio Araujo,o Portela,aprendeu a focepes diante de um Delegado de Policia.Voce me aparteou utilizando-se de uma inverdade ou mentira,da no mesmo,sobre a enfermidade do General Villas Boas.Barrigueiro e la no Blog do Noblat,ate onde sei.

    • Voce nao e tirado a furador
      Voce nao e tirado a furador de noticias e de guardanapo molhado,entao informe aos mais de 1.000 cadastrados curiosos daqui:Quem e o Pavao Misterioso da Esplanada dos Ministerios?Foi visto comendo agua na Marques de Sapucai fantasiado de Cabrocha.

  37. Xadrez de Sérgio Etchgoyen, o comandante de fato do governo Teme

    este artigo é, talvez, o mais importante até do momento da série. contudo, ou por isto mesmo, parece ter deixado a moçada um tanto quanto desconcertada, para dizer o mínimo.

    e pensar que na passagem do ano estavam todos brindando a uma presumida inevitável vitória de Lula nas eleições…

    mas é bom tomar rumo e aprumar, porque ainda tem muita maldade prá sair do caixão do vampirão até só estar a esperança.

    vídeo: BELLA CIAO! (Brasil)

    [video: https://www.youtube.com/watch?v=dMizNVH2E1o%5D

    .

     

  38. Serão os militares?

    Se isso que está acontecendo com o Brasil tem a cumplicidade das Forças Armadas, pois esperava maior nacionalismo dela!

    Vender ativos e dar isenção a petroleiras é ir contra a educação daqueles em cuja porta hoje deve ter tanques estacionados!

    Se a reforma da previdência é ruim para os militares, por que ela serve para o povo, um pedreiro, um lixeiro?

    Espero mais nacionalismo de nossa força!

    Eu quero o Brasil a nossa pátria MÃE GENTIL, não mãe algoz…

    Não quero nada de graça, nenhum penduricalho, mas quero igualdade, mesmos direitos e deveres para todos os brasileiros!

    Militar tem que ter inteligência e não ser levados por essa bando de entreguista e corruptos!

  39. Se houvesse pesquisa de

    Se houvesse pesquisa de satisfação com os serviços prestados pelo STF (não com a justiça em geral), certamente este estaria em último colocado

    Temer tem medo de ser preso após terminar seu mandato golpista e a solução é jogar o país no caos, se aproveitar da fragilidade jurídica instaurada no Brasil pelos membros atuais do STF e seguir gastando seu bom dinheirinho suado dos brasileiros, talvez na avenida foch

    A intervenção, assim como a lava jato, é mais um circo armado pra convencer os imbecis da direita brasileira que o retrocesso Econômico e social como advento do impeachment, também possivelmente assegurará a ordem institucional no país depois da, me desculpem a expressão, verdadeira cagada que fizeram

    Levamos anos pra instituir a democracia no Brasil e o nosso judiciário se curva na primeira opinião de uma imprensa jornalística tão corrupta quanto a todos que protege

    E todo o esforço de gente como Ulysses Guimarães vai pro ralo só porque o PT mostrou o caminho que se deve seguir pra se construir um país soberano, igualitário e justo

    E esse não é o caminho desses podres poderes de 2018…

  40. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome