Auditor preso tinha R$ 230 mil em dinheiro escondido

Em depoimento, tio de Marco Aurélio Canal confirmou que guardava valores a pedido do ex-chefe de setor da Operação Lava Jato

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Marco Aurélio Canal, auditor fiscal e ex-chefe de setor da Lava Jato na Receita Federal, possuía R$ 230 mil em dinheiro vivo na casa do seu tio, João Batista da Silva. Tal informação foi confirmada por Silva durante depoimento à Polícia Federal. Ambos foram presos no último dia 02.

Os agentes encontraram R$ 865,9 mil em espécie na casa de João Batista no dia em que a operação foi realizada, segundo informações do jornal Folha de São Paulo. Desse total, R$ 232 mil pertenciam a Canal, e lhe foram entregues nos últimos seis meses para pagar o auditor e sua família. As remessas eram realizadas duas vezes ao mês.

Por conta do volume de dinheiro apreendido, a prisão temporária de João Batista passou a ser preventiva (sem prazo) por conta da suspeita de atuar na lavagem de dinheiro de Canal com a realização de operações imobiliárias.

Ex-supervisor nacional da Equipe Especial de Programação da Lava Jato, Marco Aurélio Canal foi detido pela polícia devido à suspeita de integrar um grupo de servidores que exigiam o pagamento de propinas para evitar que investigados sofressem sanções tributárias.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Medidas de exceção e o autoritarismo líquido do século XXI, por Pedro Serrano

2 comentários

  1. Esse auditor foi o que quis ferrar o instituto Lula com uma multa milionária. E ainda tem idiotas pedindo autocrítica do PT.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome