Moro pediu que PF investigasse Lula com lei que antes perseguia opositores da ditadura

O pedido de Moro foi feito há 3 meses e aceito pela Polícia Federal, que passou a apurar o ex-presidente por ter chamado Jair Bolsonaro de "miliciano"

Jornal GGN – Não sendo mais juiz, o ministro Sérgio Moro pediu uma nova investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro de Jair Bolsonaro solicitou que a Polícia Federal (PF), órgão que deve atuar com autonomia sobre o Ministério da Justiça, inicie uma apuração contra Lula por enquadramento na Lei de Segurança Nacional.

O pedido de Moro foi feito há 3 meses e aceito pela Polícia Federal, que passou a apurar o ex-presidente por ter chamado Jair Bolsonaro de “miliciano”. A Lei de Segurança Nacional precede de instrumentos legais usados durante a ditadura do regime militar no Brasil para perseguir opositores, entre 1964 e 1985.

Nesta quarta (19), Lula prestou dois depoimentos: um deles relativo à essa investigação, que busca enquadrar o ex-presidente por crime contra a honra e crime de calúnia ou difamação contra o presidente da República, em “fato ofensivo à reputação”.

Este argumento está previsto na Lei de Segurança Nacional, que apesar de carregar a herança da ditadura, está vigente e prevê uma prisão de um até quatro anos.

A fala de Lula que motivou o pedido de Moro foi dada durante um evento do ex-presidente com o Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), em novembro de 2019:

“Não é possível que um país do tamanho do Brasil tenha o desprazer de ter no governo um miliciano responsável direto pela violência contra o povo pobre, responsáveis pela morte da Marielle, responsável pelo impeachment da Dilma, responsáveis por mentirem a meu respeito”, disse, na ocasião.

Para a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), é um “absurdo” o ministro de Bolsonaro apelas à Lei de Segurança sobre uma declaração do ex-presidente em um ato político. Ao contar sobre o depoimento do ex-presidente nesta quarta, que durou aproximadamente 5 minutos, Gleisi dise que Lula “questionou por que Moro nada fez quando o filho do presidente [Eduardo Bolsonaro] disse que poderia fechar o STF com um cabo e um soldado”.

Leia também:  Não há produção de provas contra Lula em ação dos EUA contra a Petrobras, aponta MPF

“E Moro vai utilizar essa mesma lei contra general Heleno (ministro do Gabinete de Segurança Institucional, GSI), que hoje fez ofensas ao Congresso Nacional, dizendo que colocaria o povo contra o Congresso?”, questionou, ainda, Gleisi.

Apesar do pedido de Sergio Moro, a Polícia Federal já concluiu que o ex-presidente não cometeu uma conduta que “configure crime previsto na Lei de Segurança Nacional”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Enquanto o ministro esta ocupadissimo caçando um bandido de alta periculosidade chamado Lula, a sobrinha do ministro sofreu sequestro relampago ontem aqui em Maringa. Materia do portal Maringa na hora.

    2
    1
  2. Esses caras ainda não perceberam que, quanto mais expõem a clara perseguição ao Lula, mais ele cresce. Até o Papa percebeu isso.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome