Risco de Bolsonaro em vídeo de reunião aumenta e PGR atua em defesa

Augusto Aras estaria preocupado com a ampliação da investigação contra Bolsonaro no STF e também tomando medidas para segurar Moro nos ataques a Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro e o procurador-geral da República, Augusto Aras - Foto Adriano Machado/Reuters

Jornal GGN – Entre as contradições da manifestação de Jair Bolsonaro sobre a polêmica reunião ministerial, em que é acusado de interferir na Polícia Federal, está a troca de sua equipe de segurança pessoal dias antes da reunião.

A possível interferência de Jair Bolsonaro na PF, buscando modificar o comando da PF no Rio e, segundo o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro, ameaçando-o para essa mudança, foi argumentada pelo presidente como uma mera preocupação que detinha ele quanto a sua segurança pessoal.

Entretanto, Bolsonaro já havia modificado a sua equipe de segurança no mês anterior à reunião com seus ministros, datada de 22 de abril. O que sugere que o mandatário não teria mais porque se preocupar com a segurança, contradizendo, assim, a sua alegação.

Agora, o tema é questionado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras. A facilidade com que o mandatário fez essa troca em sua equipe de segurança foi divulgada pela TV Globo, na semana passada. De acordo com o blog de Andréia Sadi, Aras está preocupado com a ampliação da investigação contra Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda segundo o blog, Aras estaria decidido a defender Jair Bolsonaro a todo custo. “Se o vídeo for divulgado integralmente por Celso de Mello, para a cúpula da PGR, o inquérito ‘vira palanque eleitoral'”, informou. Segundo Andréia Sadi, Augusto Aras estaria também tomando medidas para segurar Moro nos ataques a Bolsonaro.

“Aras prepara novas diligências para as próximas semanas- Bolsonaro será o último a ser ouvido. Antes disso, o PGR avalia se pede novo depoimento de Sergio Moro. Nos bastidores, o PGR diz a assessores que, após o depoimento de Mauricio Valeixo, o ex-ministro da Justiça “partiu para o ataque contra o presidente”, citando postagens do ex-ministro no Twitter como exemplo. Por isso, segundo o blog apurou, Moro pode ser chamado novamente a depor.”

 

8 comentários

  1. Esta completa vergonha chamada Augusto Aras, mais um PGR abaixo da crítica, já deve ser o oitavo.
    Ser chefiado pelo presidente da república parece significar ajoelhar-se aos pés do presidente, e este PGR resolveu ajoelhar-se para o pior presidente da história deste país para, quem sabe, vir a ser um dos onze do STF.
    Diz que vai defender este miliciano tosco a todo custo, só não leva em conta que, saindo o retardado, bye bye STF. Não consigo compreender o tipo de gente que se rasteja por qualquer espelhinho de índio, que não consegue se dar ao respeito.

    • Segue o mesmo caminho do barrosão e do fuxcão. Ajoelharam-se diante do PT para conseguir os excelsos cargos. Depois… Voltaram as armas e ódios contra aqueles que lhes estenderam as mãos. E ainda, alardearam, com pompas de excelsa arrogância: “Não devemos favor a ninguém. Fomos guindados ao trono por absoluta, notória e inquestionável competência”. É isso aí. Os sujos permanecem sujos, mesmo usando roupas limpas, em ambiente limpo.

  2. Neste ringue de “TELEQUETE” que se encontram Bolsonaro, Aras e Moro (dá pra acrescentar mais um monte!!), toda a nossa torcida pelo ringue!!!

  3. Sempre que o post refere-se aos desmandos do despresidente, aparece um pop up de sal de frutas que dificulta bastante pelo menos os meus comentários. Coisa de hacker safado?
    Mas ora Aras, onde vai se esconder depois?

  4. Quando o $érgio Moro publicou, em plena campanha eleitoral, a delação sem provas do Paloci, ele se justificou dizendo que não podia interromper seus trabalhos apenas porque havia uma campanha eleitoral em curso.

    Desde quando o trabalho de juiz consiste em publicar delações?

    Agora deve-se abafar a verdade afim de que a sua publicação não se torne palanque eleitoral, nada obstante não haja campanha eleitoral em curso.

  5. Mais um altar para o êxtase da agonia dos que ainda não acreditam que tudo não passa de um jogo de pareceres, de depoimentos e cartas marcadas…
    que há de perdurar até que a última vaga do STF seja preenchida

  6. Nassif: não sei porque esse reboliço. ArrasEguas, o Ôme (dizem) é paumandado do MeliantePresidente. Queria fizesse o quê? Se necessário joga pedra na Cruz. Que (agora que Bibi assumiu em Israel) o Messias de Jerusalém não é páreo pro MessiasDoBras…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome