O fervo político e a militância qualificada, por Beatrice Papillon

Coletivos Artísticos e Movimentos Sociais se articulam em projeto cultural na Bahia

Foto 1 - Drag queen Petra Perón clicada por Ton Shübber

O fervo político e a militância qualificada

Por Beatrice Papillon

Promover a qualificação e o engajamento de artistas, produtores e coletivos culturais baianos, este é o objetivo da Plataforma Fervo 2k20 na Bahia. A Comunidade Fervo2k20 surge como o espaço de interação por onde isso deve ocorrer nos próximos meses na Bahia. O projeto tocado localmente pela Coletiva Kiu! e Movimento DragPower prevê quatro encontros em um ciclo formativo e uma apresentação virtual pela visibilidade das mulheres lésbicas, bissexuais, travestis e trans (LBT). Tudo acontece entre os meses de janeiro e março deste ano.

Em Agosto de 2020, a Plataforma Fervo2k20 promoveu a Premiação #QuarentenaFervida e com ela a criação do seu Catálogo de Artistas, Produtoras e Coletivos Culturais LGBTQIA+. A Bahia contou com 48 inscrições junto a essa ferramenta da Plataforma Fervo 2k20 – oriundas dos municípios de Salvador, Camaçari, São Sebastião do Passé, Ruy Barbosa, Jequié e Ilhéus – e distribuídas entre as seguintes linguagens: audiovisual, design, dança, performance, transformismo, teatro, música, poesia, fotografia, literatura, desenho/ilustração, pintura, escultura e cenografia.

“Realizaremos quatro encontros virtuais entre janeiro e fevereiro de 2021, estamos construindo ainda apresentação pela Visibilidade das Mulheres LBT e que será exibida em março, junto a programação do Circuito DragPower, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8”, explica Andressa Santalucia, militante da Coletiva Kiu! e responsável pela execução do projeto.

Os encontros, também informa Santalucia, contarão com apoio e participação de membro do Grupo Operativo da Plataforma Fervo2k20 ligados a suas organizações de base na Bahia, que além do Kiu!, inclui a Associação Beco das Cores e o Coletivo Afrobapho. Contarão ainda com nomes ligados à Associação Brasileira de Estudos da Homocultura – ABEH e Mídia Ninja. Os encontros formativos acontecem em formato de oficinas e tem como assuntos (a) Temáticas Sociais (Gênero, Raça, Classe, Sexualidade, etc); (b) Mídias Digitais; (c) Técnicas de Transmissão e Difusão de Conteúdos; (d) construção e participação em Redes de Articulação, Ativismos, Estudos e Pesquisas.

“Nosso objetivo é tanto a qualificação desta cadeia produtiva das artes quanto promover o intercâmbio cultural entre experiências que se realizam a partir de diferentes linguagens e territórios”.

Os conteúdos da Comunidade têm sido divulgados pelo perfil @fervo2k20 no Instagram, assim pelas redes da Casa Ninja Bahia e Planeta Fora do Armário (editoria LGBT da Midia Ninja), ampliando assim o acesso ao grande público.

O projeto Comunidade Fervo2k20 tem o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb),  Prêmio Jorge Portugal, via Lei AldirBlanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Foto 2 – Coletivo Afrobapho por João Lima

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora