Um fundo para o reflorestamento

Do Brasilianas.org

Cias brasileiras lançam fundo para reflorestamento

Por Lilian Milena

Fundo investirá na reabilitação de áreas desmatadas da Amazônia, combinando as ações de recuperação de matas nativas ao plantio de florestas industriais. A ideia é aumentar a reserva de madeira para as indústrias moveleiras, de siderurgia (carvão vegetal) e papel, reduzindo a pressão dessas atividades sobre a floresta.

O Fundo de Investimentos em Participação (FIP) Vale Florestar, foi lançado nesta quarta-feira (05) pela Vale, BNDES, Funcef, Petros e a Global Equity, na sede da Vale, no Rio de Janeiro. O principal cotista é a Vale, que investiu cerca de R$ 230 milhões no projeto, e ficará com 40% do FIP. Os 60% restantes serão divididos em partes iguais entre BNDES, Petros e Funcef. A estrutura de operação financeira e gestão do fundo ficaram a cargo da Global Equity Administradora de Recursos.

Segundo Roger Angnelli, presidente da Vale, a rentabilidade esperada para o FIP está entre 8% e 10% ao ano. O projeto Vale Florestar foi criado em 2007 pela mineradora e, desde então, foram plantadas mais de 24,5 milhões de árvores em 70 mil hectares na região leste do Pará, em municípios situados no Arco do Desmatamento. Atualmente, a companhia comercializa eucaliptos com a Suzano Papel e Celulose.

Continua

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  "Conhecimento ancestral tem valor", afirmam comunidades religiosas de matriz africana sobre a destruição do Rio Paraopeba

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome