Refundação do Brasil: João Feres Jr. e a regulação da mídia em tempos digitais

Feres Jr. é o idealizador do Manchetômetro, plataforma que acompanha e analisa a cobertura jornalística da grande mídia sobre política e economia

Reprodução/TV GGN

Jornal GGN – O professor de Ciência Política e coordenador do Manchetômetro, João Feres Jr., é o entrevistado desta terça-feira, 25 de agosto, na série Refundação do Brasil, exibida na Tv GGN. O jornalista Luis Nassif media a conversa sobre a regulação da mídia em tempos digitais. 

Feres Jr. é o idealizador do Manchetômetro, plataforma que acompanha e analisa a cobertura jornalística da grande mídia sobre política e economia. 

O professor abre a conversa analisando a mudança de posicionamento dos principais veículos da imprensa brasileira, que nos últimos tempos passaram a debater o direito à liberdade de expressão e defender a regulação dos meios de comunicação. 

Para ele, esse tipo de ação é tática, uma vez que só acontece após a grande mídia perder o protagonismo como ferramenta de massa em meio a expansão das plataformas digitais. 

Nassif e Feres Jr. dão continuidade ao tema destacando a impunidade da Justiça brasileira sobre os principais veículos de comunicação, como o negacionismo sobre dezenas de capas criminosas da Revista Veja.

O professor também comenta a vulnerabilidade do ‘pluralismo’ da grande mídia, a partir de dados levantados pelo Manchetômetro. Segundo ele, há uma rigidez distinta desses veículos no tratamento das notícias sobre as gestões do PT e Bolsonaro. “A maneira que eles tratavam o governo Dilma era muito pior”, diz. “A cobertura [jornalística] na época eleitoral bate muito mais na esquerda”, explica.

Sobre os embates entre a justiça nacional e a autonomia global das redes sociais, Feres Jr. entende que não há outra saída para a democracia contemporânea se não o controle da comunicação nessas plataformas.

Ele também joga luz a promoção da desigualdade de direitos pelos meios de comunicação tradicionais. “Uma maneira como os grandes conglomerados de mídia no Brasil opera é violando o direito de igualdade das pessoas de se comunicarem”, comenta.

Feres Jr. ainda fala sobre a metodologia do Manchetômetro, o papel das empresas de checagem de notícias, a propagação do antipetismo pela grande mídia e mais. Confira a entrevista na íntegra:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN 20hs: o PT apresenta seus projetos de país

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome