Carvelaro e outros interpretam Barrios

A propósito do violão latino-americano, veja aqui o grande mestre uruguaio Abel Carvelaro, criador de um método que mudou a forma de interpretação violonística, executando o Prelúdio Op. 5 de Agustín Barrios ( clique aqui).

E aqui Dustin Jones interpretando “La Catedral”, peça máxima de Barrios, tão tocada pelos brasileiros que parece ter sido feita aqui ( clique aqui).

O leitor Daniel Mendes localizou uma virtuose chinesa tocando Barrios (clique aqui). O nome é Jie Lin. Quase uma criança, mas uma virtuose que ainda vai dar o que falar.

Olha aí que duo, também de jovens chinesas, Wang Yameng e Su Meng (clique aqui). Meu Deus, esses chineses vão dominar tudo. Ouçam a pegada, o andamento que imprimem a Barrios, como reduzem e aumentam a intensidade como se tivessem nascido e vivido no Mercosul. Barrios é universal, mas essa escola chinesa de violão e inacreditável. Posso estar exagerando à luz do entusiasmo da primeira audição, mas me parecem bem superiores a David Russel, o grande nome atual da escola inglesa. Conseguem transmitir o romantismo das peças de Barrios de tal maneira, que fica parecendo que o mecânico frio é Russel.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora