A real sobre Wassef e o caso da “seita satânica” ou “bruxas de Guaratuba”

"Wassef foi acusado de uma coisa que nunca foi comprovada, numa história cheia de buracos, que tem tortura policial envolvida e que envolve pânico satânico"

Jornal GGN – A prisão de Fabrício Queiroz em um endereço em Atibaia (SP) que pertence ao advogado dos Bolsonaro, Frederick Wassef, ressuscitou um escândalo midiático-policial do início dos anos 1990, que ficou conhecido como “bruxas de Guaratuba”.

Wassef teve prisão temporária decretada em meados de 1992 por supostamente ter participado da “seita satânica” investigada pelo sequestro e assassinato de dois meninos.

O primeiro deles, Leandro Bossi, de 7 anos, sumiu em fevereiro de 1992 em Guaratuba, no Paraná. Em abril do mesmo ano desapareceu o pequeno Evandro, de mesma idade e no mesmo local.

Neste enredo, o vínculo de Wassef – que não chegou a ser preso nem formalmente acusado de nada – é com Valentina de Andrade. Natural de Londrina, ela é casada com o argentino José Alfredo Teruggi. O casal costumava passar férias no hotel Vila Real, em Guaratuba. E ambos estavam lá quando os dois meninos sumiram, causando comoção na população local.

As suspeitas contra o casal entraram ficaram registradas nas páginas da revista Manchete, de agosto de 1992, resgatadas pelo GGN nesta terça (18). Nelas, Valentina, até então conhecida por ter escrito o livro “Deus, a grande farsa”, é descrita como uma mulher paranormal e de “hábitos estranhos”, líder da seita LUS (Lineamento Universal Superior), em Buenos Aires.

Segundo Ivan Mizanzuk, jornalista que pesquisou o caso a fundo nos três últimos anos, o único papel de Wassef nesta história foi ter virado seguidor Valentina por compartilhar das mesmas ideias da escritora esotérica.

Em meio às investigações do caso Evandro, Manchete descreveu Valentina como uma mulher que detestava crianças – embora fosse mãe de um adolescente de 15 anos, “efeminado”. Ela também foi apresentada como uma “sacerdotisa” adorada por um grupo de argentinos que também viajava a Guaratuba nas férias, todos membros da mesma seita.

Wassef, segundo testemunhas ouvidas pela revista, começou a chamar atenção das autoridades por ser visto com frequência andando de “pick-up” na companhia de Valentina e Teruggi. Acabou apontado pela polícia, segundo a reportagem, como integrante da seita e “propagador” da mesma em São Paulo.

Leia também:  Bloqueio de contas à direita supera em quatro vezes restrição à esquerda

Conforme as investigações andaram, o pai de santo Osvaldo Marcineiro – chamado pelos jornais da época de “bruxo”, “feiticeiro” – virou um dos suspeitos. Celina e Beatriz Abagge, esposa e filha do prefeito da cidade, também. Elas ganharam os holofotes depois de tentar impedir protestos pelas mortes (em pleno ano eleitoral).

Presos, os suspeitos passaram por sessões de tortura para confessar primeiro a morte de Evandro e, depois, a responsabilidade pelo desaparecimento de Leandro Bossi. Valentina entrou na mira depois que um dos suspeito afirmou ter sequestrado Leandro e entregue a uma mulher que “falava castelhano”.

As torturas, embora narradas em Juízo, só ganharam força em 2020, quando Ivan trouxe as fitas à tona após três anos de trabalho jornalístico no Projeto Humanos.

Ao final, o caso Evandro teve cinco julgamentos. Em um deles, do tribunal do júri, em 2011, a filha do prefeito, Beatriz Abagge, foi condenada a 21 anos de prisão. Valentina foi absolvido por falta de provas. Wassef jamais foi indiciado. Já o caso de Leandro Bossi “foi arquivado devido à prescrição”, segundo informações recentes do Ministério Público do Paraná.

Para Ivan Mizanzuk, “Wassef foi acusado de uma coisa que nunca foi comprovada, numa história cheia de buracos, que tem tortura policial envolvida e que envolve pânico satânico”, disse. “Tudo foi abuso de imprensa e abuso de poder da polícia da época, que vinha de uma ditadura militar onde usavam a tortura como meio de obter informação”.

Ivan fala sobre o caso Wassef no vídeo abaixo:

Leia também:  Subprocurador pede que Queiroz volte à prisão

Leia também:

Advogado de Bolsonaro foi acusado de pertencer a seita secreta envolvida em morte de menino

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

18 comentários

  1. Para os conspiradores de plantão há que se ter alguns perfis de culpados por antecipação para sacrificar: ateus, comunistas, bruxas, pretos, lgbt entre outros são os mais convenientes.
    Observa-se que qualquer religião ou seita que desafie as diretrizes pré estabelecidas ou que permitam que uma mulher se destaque a ponto de ser seguida, constitui sinal de perigo para o poder. Até a bispa Sônia conheceu os seus dias de “provação”, assim, a história sobre o caso do advogado do bozinho seria mais uma comprovação dessa realidade.
    Tal fato, entretanto, não isenta o nobre causídico de suspeita por outros malfeitos . Olhando seu porte, seu discurso, sua pose e sua expressão facial que (pra mim) sugere uma vida particular devassa , cheia de mentiras e incorreções, temos um candidato apto a receber alguma nomeação para cargo importante no governo do bozo.

    13
    7
  2. Sei lá, sabes!?
    dessa prisão registro apenas que na plenitude do tempo de cada um deles existiram homicidas que se atraíram desde o princípio, participando ou defendendo ou escondendo

    quanto ao satanismo, sei apenas que sem ele não haveria fé. Vem dela! como a luz da escuridão

    6
    2
  3. Luis Nassif, Precisa elucidar ainda a relação entre este caso no Paraná e os casos em Altamira: Os meninos emasculados em Altamira (1989-1993) e os Meninos emasculados no Maranhão (1991-2003) pois todos eles tinham ligação com a seita Lineamento Universal Superior de Valentina Andrade.

    20
    1
    • A Valentina também foi julgada e absolvida no caso dos emasculados de Altamira. Muita coincidência ela estar em dois lugares distantes, onde aconteceram casos semelhantes e ela não ser culpada.

      5
      1
  4. Lamentável trazer um assunto à baila para descredenciar uma pessoa que deve ter mil aspectos sólidos para serem denunciados. Se acham que é pertinente que se investigue e apresente muito mais do que isso. A propósito qual é a utilidade de sabermos que o filho de 15 anos é efeminado, segundo a revista da época?

    1
    5
    • A utilidade de sabermos que ela tem um filho “efeminado” é que isto pode estar ligado as acusações dela castrar outros meninos em rituais. Quem garante que não fez isso com o próprio? Ou por ter preconceito contra o próprio filho, fazia isso aos filhos dos outros?

      1
      1
    • Julio, creio que o que vem à baila com a forma com que a revista se referiu ao filho da, então, suspeita revela o envolvimento da revista, sua tomada de lado, com viés emocional fomentando a condenação moral, independente de provas.

  5. Posso até adiantar o delírio que vai ocorrer nesse caso. Algum pastor dessas religiões meio estranhas vai dizer que o advogado com o apoio do coisa ruim dominou o Bozo e fez ele fazer isso ou aquilo. O pior é que um monte desse pessoal que acredita em feijão bento vais acreditar nesta besteira, isso não vai terminar por aí.

    2
    2
  6. O “problema” é que essa seita parece envolver muitas pessoas poderosas dentro da politica brasileira. Ela está diretamente ligada a políticos. Eu me lembro muito bem na epoca e não existia duvida sobre a culpa dos acusados. Foi mostrado na TV um video em que a lider da seita e o argentino apareciam possuídos falando para a filha do prefeito que era necessário o sacrificio de uma criança pra garantir a reeleição. Onde está esse video.? Resumo da historia: 40 pessoas de uma seita satanica, entre eles esse wassef que era o divulgador oficial, chegam numa cidade do interior do parana. Gravam um video que serviu de prova e foi exibido na tv pelo jornal, com os lideres possuidos pelo capeta falando pra mulher do prefieto e sua filha, sacrificarem uma crianca pra garantir a reeleiçao. O filho do inimigo politico desse prefeito desaparece. Alguns dias depois é encontrado o corpo mutilado com sinais de sacrificio em um ritual satanico. Mãos decepadas da criança consciente e remoção do coração que foi comido no ritual. O local do ritual foi encontrado na casa com potes de ceramica com vestigios do sangue do menino. A segunda crianca pode nao ter relacao com a familia desse prefeirto, mas obviamente tambem foi sacrificada pela seita em outro ritual. Repetindo: 40 membros dessa seita vao se encontrar nessa cidade do interior do parana e tudo isso acontece dentro dos dias em que eles estão lá. Gravam videos dizendo que uma crianca deve ser sacrificada. 20 anos depois dizem que todos sao inocentes porque apanharam na delegacia? Por favor… apanhar na delegacia é o minimo que deveriam ter feito com eles.

  7. Eu lembro que passou no jornal hoje da globo o julgamento de 2011 do caso de Altamira e a Sandra Annemberg ficou muito sensível a matéria, os médicos que pertenciam a seita foram condenados mas o juiz do tribunal mandou instalar um telefone no alojamento dos jurados!! Jurado não pode nem ter contato com a própria família e o cara instala um telefone lá… o julgamento foi comprometido mas ficou por isso mesmo, creio que os jurados foram ameaçados, salvaram a Valentina que ao que tudo indica tinha conexões com gente muito poderosa que devem ter encomendado muitos rituais pra ela.

  8. Olha, isso está ficando cada vez mais sinistro. Aparentemente, Wassef era mesmo apenas um seguidor da LUS, mas o fato é que crianças foram mortas ou emasculadas, em lugares distintos (Paraná, Pará e Maranhão), num intervalo de cerca de uma década e até hoje os casos não foram solucionados. Saber se Valentina de Andrade ou a LUS são responsáveis pelo crime não é tarefa fácil, mas o histórico dessa mulher não é nada bom. Além de ter sido investigada nestes crimes, na casa dela, em Londrina, no ano de 2016, foi encontrada grande quantidade de dinheiro em espécie, segundo ela, fruto de doações, mas há suspeitas de possível sonegação fiscal também e lavagem de dinheiro. Além disso, algo que pode soar muito, mas muito paranoico de minha parte é que a cidade de Londrina possui muitas pessoas públicas expostas na grande mídia, seja por estarem próximas do poder, em evidência ou mesmo terem sido recentemente condenadas (Alberto Youssef e Carlos Nadalim, por exemplo), além de Sérgio Moro, nascido na cidade vizinha de Maringá. Vale ressaltar que existe um vídeo no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=KhNsQw1yLtM) onde Damares, atual Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, cobra posição, no ano de 2013, sobre o caso dos emasculados do Maranhão. Talvez Wassef não tenha nada a ver com isso, mas se pesquisarmos um pouco mais, encontraremos relações sinistras entre esse grupo, LUS, e grupos que orbitam os centros de poder da república. Talvez seja algo interessante a ser pesquisado…

    • Certamente, Milton César, o eixo Maringá, Londrina, Curitiba parece ter potencial para produzir muitos resultados em investigações mais aprofundadas. Assim como Valentina pode ser culpada de sonegação fiscal. Não sei se é o caso, em se tratando de uma espécie de “igreja”, já que essas instituições têm muitas regalias. Mas a exposição do jornalista Ivan Mizanzuk, trouxe quatro informações da maior importância para o entendimento desse caso: 1- Valentina não foi identificada por nenhuma testemunha no caso de Guaratuba; 2- Valentina não esteve em Altamira; 3- Os crimes de Altamira e também outros no Maranhão foram assumidos por uma outra pessoa, que descartou a participação dos então suspeitos; 4- Os depoimentos da acusação foram obtidos através de tortura. Isso para mim é extremamente grave. Tanto possibilitou a condenação de pessoa errada, quanto a não punição do verdadeiro culpado. Essa história trágica e sórdida nos traz a chance de discutir essa forma de investigação anacrônica e cruel, para que um dia possamos superá-la.

    • Em 2013 o caso dos meninos de Altamira e do Maranhão já havia sido elucidado, com a confissão de Francisco das Chagas, após a condenação de Césio Flávio Caldas. Apesar da confissão do “serial killer” Césio não conseguiu, ainda a revisão de seu caso. Damares já fazia o que continua fazendo: barulho e confusão.

  9. Para mim, o que deveria ser jornalísticamente investigado sobre esse narigudo do Wassef, nessa altura do campeonato, é o fato dele ter ou não relação com os quilos de pó transportados pelo avião do Bozo sob os cuidados do general Heleno caduco. Aquelas miniaturas do Scarface no “escritório” muquifado dele, onde o milíciano laranja rachadinha se abrigava não dão margem a qualquer ingenuidade nesse sentido.

  10. Para mim, o que deveria ser jornalísticamente investigado sobre esse narigudo do Wassef, nessa altura do campeonato, é o fato dele ter ou não relação com os quilos de pó transportados pelo avião do Bozo sob os cuidados do general Heleno caduco. Aquelas miniaturas do Scarface no “escritório” muquifado dele, onde o milíciano laranja rachadinha se abrigava, não dão margem a qualquer ingenuidade nesse sentido.

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome