Abertura de vagas de trabalho não é suficiente para cobrir perdas

País abriu 414 mil empregos durante o mês de novembro, segundo dados do Caged; 1,612 milhão de vagas foram fechadas durante pandemia

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O mercado de trabalho brasileiro abriu 414.556 vagas com carteira de trabalho assinada durante o mês de novembro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério da Economia.

Embora o número seja o maior da série iniciada em 1992, ele não é suficiente para cobrir a perda de vagas de trabalho registradas durante a pandemia: entre março e junho, 1,612 milhão de vagas foram fechadas, enquanto o total acumulado pelo Caged entre julho e novembro aponta a criação de 1,499 milhão de postos de trabalho.

Ao longo de 2020, o Caged registrou a geração de 227.025 empregos com carteira assinada – bem abaixo das 948.344 contratações vistas no mesmo período do ano passado. Segundo o ministério, as demissões vistas neste ano refletem a recessão gerada pela pandemia de covid-19.

Os segmentos de serviços, comércio e indústria impulsionaram os dados do Caged em novembro: ao todo, o setor de serviços registrou 179.261 contratações em novembro, enquanto o saldo do comércio foi de 179.077 vagas abertas. Na indústria, o resultado final em novembro foi de 51.457 vagas, enquanto o setor de construção apresentou a abertura líquida de 20.724 vagas. Por outro lado, o segmento de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura fechou 15.353 vagas.

 

(com O Estado de S.Paulo)

 

Leia Também
IBGE: Desemprego bate recorde desde o início da pandemia
Disparidade econômica brasileira ganha força na última década
Custos com alimentação representam 75% da inflação dos mais pobres

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora