Bancos entusiasmados com financiamento

A reboque do bom momento do setor petróleo no Brasil, o mercado financeiro está se mobilizando em torno dos serviços que podem ser oferecidos às empresas deste segmento. Em uma primeira ação engendrada pela Petrobras em parceria com seis bancos comerciais, o Progredir, os resultados iniciais da fase piloto são animadores e despertam o apetite dos bancos em torno das milionárias contratações.

Os bancos projetam uma movimentação de cerca de R$ 3 bilhões com o sistema, destinado a conceder crédito aos fornecedores diretos e indiretos da Petrobras, tendo como garantias os contratos da petroleira. A estimativa tem como base a performance dos fornecedores e o fluxo de pagamento da própria Petrobras, diz Sandro Kohler Marcondes, diretor da Área Comercial do Banco do Brasil. 

O HSBC estima que sejam cadastrados no portal do Progredir cerca de cinco mil fornecedores ao ano, segundo avaliação de Rodrigo Caramez, diretor de Produtos Pessoa Jurídica do banco. Já o Bradesco e a Caixa trabalham com expectativas ousadas de captação de clientes com o mecanismo. A Caixa pretende abocanhar 10% dos contratos junto aos fornecedores previstos pela Petrobras no período de 2010 a 2014, R$ 50 bilhões anuais.

Já o Bradesco, responsável pela primeira liberação de crédito do Progredir, baseia suas expectativas nas informações colhidas na fase piloto, pela qual o sistema ficará até março. “Temos cerca de 45 empresas no portal com um monte de contratos que totalizam quase R$ 400 milhões, estamos falando de ticket médio de quase R$ 9 milhões por contrato e nem todos os contratos dessas empresas estão no portal”, diz Renan Mascarenhas, diretor do Departamento de Poder Público do banco. Ele reitera que há expectativa de inserir no Progredir as operações junto a PNBV (Repetro), hoje na ordem de US$ 8 bilhões.

Além da segurança que a petroleira possui na praça, todo o mecanismo foi desenhado para garantir segurança ao órgão credor. Muitas ações incluídas no Progredir já eram praticadas pelos bancos, mas ter a segurança de pagamento da Petrobras e um sistema específico para coletar e processar informações das empresas e dos contratos, só soma pontos. As informações no portal, que também coloca à disposição dados comerciais que suportam as operações, irá agilizar o processo de concessão de Crédito, acredita Camarez.

Conforme os fornecedores são inseridos no portal e seus respectivos contratos, o banco passar a ter uma visão detalhada de oportunidades e de localização, não só dos fornecedores, mas com quais unidades da Petrobras e dos demais compradores cada fornecedor se relaciona. “Podemos identificar fornecedores do sul do país fornecendo para empresas da cadeia de valor no norte do país ou vice-versa. Isso nos da uma não só uma noção de onde esta cada negócio, mas é fundamental para analisar a complexidade de cada operação, que pode impactar em performance, por exemplo, o que tem um peso para questões de definição de crédito” diz Mascarenhas.      

Para dar conta da demanda por crédito e atender demais áreas do setor petróleo, os bancos já se organizaram em departamentos ou ações específicas. O HSBC, por exemplo, tem uma área específica que atua na gestão de programas para cadeias de produtivas, nas quais a da Petrobras é considerada uma das principais, e plataformas comerciais nas regiões onde se concentram a maior parte desses fornecedores.

“Obviamente que, pela importância estratégica, tamanho e  potencial de crescimento, fazemos acompanhamento permanente de toda a cadeia e em especial junto a Petrobras, buscando novas necessidades para o desenvolvimento de nossos produtos e serviços”, diz Camarez.

No Banco do Brasil, inicialmente o Programa foi divulgado para todas as dependências que possuem clientes que figuram como potenciais participantes. De acordo com Kohler Marcondes, conforme os fornecedores forem cadastrados no Portal Progredir, as agências de relacionamento intensificarão o contato, adotando ações proativas para eventuais solicitações de operações de crédito.

No Bradesco a área de petróleo ficou a cargo do Departamento de Poder Público (responsável pelo relacionamento com órgãos e empresas públicas) uma célula de negócio dedicada as operações do originadas no portal com o objetivo de prospectar novos clientes, ter agilidade nas solicitações de crédito, interagir com a rede de agências e estar antenado aos movimentos dessa cadeia de valor. Por enquanto á área cuida dos financiamentos do Progredir. Em janeiro deste ano também foi criada uma Gerência Regional de óleo e Gás, no segmento corporate.

A Caixa criou uma Superintendência Regional exclusiva para o Setor de Petróleo e Gás e está implementando uma estratégia de atendimento às necessidades de financiamentos e investimentos empresariais dos fornecedores. Isso inclui operações com recursos do BNDES e também o crédito aos trabalhadores de todo o sistema e cadeia produtiva Petrobras. Para isso, contamos com áreas estratégicas da empresa e, principalmente, com a nossa ampla rede de agências, que somam mais de três mil pontos de atendimento em todo o Brasil, informou o banco por intermédio de sua assessoria de imprensa.

A Caixa acredita que sua capilaridade no território nacional é uma vantagem competitiva muito valorizada nesta atuação visando a impulsionar o desenvolvimento brasileiro com a oportunidade do Pré-sal. Recentemente, a instituição financeira aderiu ao Fundo da Marinha Mercante, implementando, em parceria com o Sinaval um novo produto de financiamentos a projetos de construção e ampliação de estaleiros e embarcações brasileiras.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome