BP e Total desistem do megaleilão do pré-sal

Processo está programado para o dia 07; ANP não vai divulgar empresas restantes

Jornal GGN – Duas das 14 empresas inscritas no megaleilão de áreas do pré-sal anunciaram sua retirada da disputa, programada para o próximo dia 07.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, a empresa britânica BP anunciou em teleconferência com analistas que sua desistência já foi comunicada à Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). A decisão segue ao anúncio feito pela francesa Total, que decidiu não participar do processo no começo deste mês.

A decisão da BP foi divulgada na terça-feira pelo diretor financeiro da empresa, Brian Gilvary, que não explicou as razões que levaram à desistência. Porém, o presidente da companhia, Bob Dudley, havia dito em julho que o leilão “parece muito caro”.

No caso da Total, a empresa divulgou uma nota no início do mês afirmando que o processo não lhe permite a oportunidade de ser operadora ou líder do consórcio responsável pelas áreas – embora a Petrobras tenha optado por liderar duas das quatro áreas oferecidas.

O governo brasileiro vai oferecer ao mercado quatro descobertas no pré-sal da bacia de Santos. A maior delas é da principal produtora de petróleo do país, a área de Búzios, cujo bônus mínimo é de R$ 68,2 bilhões. A ANP informou que não vai divulgar quantas empresas seguem no páreo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. [STF] PDT ajuíza ação para impedir privatização do Serpro e Dataprev
    O Partido Democrático Trabalhista (PDT) entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando liminar para barrar a privatização, entre outras empresas, do Serviço de Processamento de Dados (Serpro) e da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev). De acordo com alegações do PDT, a venda dessas empresas não pode ser realizada mediante decretos e resoluções, mas por lei específica aprovada pelo Congresso Nacional, em respeito ao princípio constitucional da legalidade. Assim, o partido pede a anulação parcial de dispositivos das leis federais 9.491/97 e 13.334/16 que permitem a desestatização sem autorização legislativa prévia e específica de empresas públicas e sociedades de economia mista. A relatora do caso no STF é a ministra Cármen Lúcia.

  2. Gostaria de esclarecimentos do que vem a ser “bônus” no presente caso. Não é venda, não é concessão. Onde posso buscar está informação com clareza.

  3. Nassif: e você acreditou que essas duas debandaram? Faz parte do jogo. Sai aqui e entra ali. As cartas estão marcadas, faz tempo. Ou então pagaram pouco pras MiliíciasDoQuieiroz.

    PS.: você já tentou traçar “Vidas Paralelas” entre PC Farias e Queiroz? Acho que dá samba, apesar de que, neste caso, parece que a MãoDoGato alcança alguns VerdeSauvas.

  4. o pré – sal foi vendido à revelia da população brasileira, verdadeira proprietária desse recurso. Quando essa quadrilha for defenestrada do governo, o pré-sal voltará para os verdadeiros donos, … e os “compradores” vão ser “promovidos” ao que são na verdade, …. receptadores !! …. Serão julgados na forma da lei …

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome