Caos em Manaus: Autoridades amazonenses pedem transferência de 60 bebês prematuros

Bebês correm risco de ficar sem oxigênio. A logística para viabilizar essas transferências, no entanto, ainda não foi definida

Imagem: Reuters

Jornal GGN – O Amazonas pediu nesta sexta-feira, 15, que outros estados disponibilizem leitos de internação neonatal para transferir pelo menos 60 bebês prematuros hospitalizados em Manaus, que correm risco de ficar sem oxigênio. 

A informação foi confirmada pelo presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e secretário de saúde do Maranhão, Carlos Lula, à CNN Brasil. Ele também afirmou que o Maranhão só conseguirá receber de cinco a dez bebês. 

A logística para viabilizar essas transferências, no entanto, ainda não foi definida. Outros estados ainda verificam quantos prematuros conseguirão receber.

Leia mais:
Os efeitos drásticos da pandemia em Manaus: falta de oxigênio, pacientes transferidos e toque de recolher
O pulmão do mundo está sem oxigênio: vídeos mostram gravidade da crise em Manaus
“Vai esperar chegar o oxigênio. Não tem o que fazer”, disse Pazuello em Manaus
Sem oxigênio, Manaus pede socorro aos EUA porque avião da FAB está em manutenção
Manaus terá de importar oxigênio da Venezuela para aplacar crise em hospitais
Governo Bolsonaro ajudou a transportar só 6% do oxigênio que Manaus precisa por dia
Manaus: 235 pacientes são transferidos para outros estados
Para Maia, caos no Amazonas é fruto da “agenda negacionista”
Caos em Manaus: Bolsonaro afirma que fez sua parte e volta defender uso de drogas ineficazes contra a Covid-19

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora