Contra Lula e filhos, delegado lança na mídia acusações sem provas

Jornal GGN – Sem possuir provas, porque elas ainda dependem de perícia técnica, o delegado Dante Pegoraro inseriu no relatório de indiciamento do ex-presidente Lula a informação, agora espalhada pela grande mídia, de que há “suspeita” de “superfaturamento” em contratos do Instituto Lula com empresas do filho do petista.

A “suspeita” é de que duas empresas que pertencem a Lulinha e Marcos Cláudio, ex-vereador de São Bernardo do Campo, teriam sido contratadas e, depois, subcontrataram outras empresas, por valor menor, para executar os serviços de fato.

Por duas vezes, ao tratar de cada uma das empresas, o jornal O Globo observou que o próprio delegado admite que não tem provas das “suspeitas” que divulga na mídia, porque as perícias precisariam ser solicitadas pelo Ministério Público, que ainda vai analisar o indiciamento.

Mas na narrativa construída por Pegoraro, a empresa de Lulinha, a G4 Entretenimento, recebeu R$ 1,3 milhão para executar alguns serviços, que incluem “criação de um novo site, Memorial da Democracia, arquivo público do ex-presidente Lula e um portal de políticas públicas.”

Porém, a Polícia Federal acha que outra empresa, a GKR, supostamente teria gerenciado “os mesmos trabalhos para o Instituto Lula”, por R$ 74 mil.

“O delegado, no entanto, afirma que essa afirmação não é possível sem a realização de uma perícia pormenorizada de todos os aspectos dos trabalhos realizados, seu volume e o tempo requeridos. A perícia só será realizada caso o Ministério Público Federal acredite que ela seja necessária”, escreveu O Globo.

À reportagem o advogado de Lulinha, Fábio Tofic Simantob, afirmou que o “Instituto Lula e a G4 são entidades privadas. A PF, com todo respeito, não tem poder para palpitar nos preços contratados por eles, e muito menos para dizer se estão abaixo ou acima do mercado.”

Leia também:  Agência do governo autoriza 58 requerimentos minerários em terras indígenas da Amazônia

Ainda assim, o delegado levantou suspeita sobre uma segunda empresa, de Marcos Cláudio Lula da Silva, a FlexBR, que teria recebido cerca de R$ 106 mil diretamente do Instituto Lula.

“Contudo, após busca e apreensão no Instituto, foi obtido um documento sobre o serviço de ‘digitalização de imagens’ com planilha de valores pagos à FlexBR no valor de R$ 435 mil.”

Entre 2014 e 2015, o Instituto Lula repassou R$ 1,2 milhão para a fundação mantenedora da TVT, que, por sua vez, repassou R$ 405 mil para a FlexBR.

“Segundo o delegado Dante Pegoraro Lemos, há a suspeita que a Fundação e a FlexBR tenham sido contratadas para fazer o mesmo serviço.”

Outra constatação que não poderia ser feita sem “a realização de perícia pormenorizada sobre todos os aspectos dos trabalhos realizados, seu volume, complexidade e tempo requeridos.”

Os filhos de Lula não foram indiciados, mas o ex-presidente, Antonio Palocci, Marcelo Odebrecht e Paulo Okamotto, sim. A PF criminaliza a doação oficial de R$ 4 milhões da empreiteira para o Instituto.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Esses delegados estão usando recurso público para fins privados quando usam a PF para manter Lula sob fogo constante. Esse desvio de verba pública para manutenção dessa pressão é crime contumaz. E o pior, está ficando ridículo. Uns acham bom, outros, ruim mas o fato é que todo mundo já percebeu a estratégia de manter a pressão sobre Lula, sob qualquer pretexto e tudo isso custando aos cofres públicos. Será que a constância desses ataques persecutórios não indica nada? Não pode ser condenada?

    Bem… será que alguém, dentre ambos (os que acham bom e os que acham ruim), achava que Moro ia usar a PF de outra forma? Com outra finalidade? Todo mundo sempre soube o que esse ex-juiz ia fazer no cargo, não é?

  2. E a credibilidade do delegado? A essa altura, existe? Um festival de absurdos sem nexo e sequer indícios só é possível pela impunidade de todo e qualquer agente público que acusar Lula e familiares sem prova. Mas a lei não é para todos? É, mesmo?

  3. Já viraram a vida do homem (Lula) ao avesso, não encontraram nenhuma prova das acusações q fazem.
    Prendam se realmente tiverem provas, isso serve pra qualquer brasileiro, seja ele quem for e q essa mídia marrom q se instalou no território brasileiro, para de sonegar, omitir,
    (notícias)e mentir para o povo brasileiro.

  4. Quando eu era pequenininho lá em Barbacena eu ouvia a vitrola tocando na bodega da esquina

    “Por que é que me propagas pelas ruas com prazer
    Se todo mundo sabe que é despeito de você
    Essa vida é um jogo e cada um joga o que tem
    Quem é que não gosta de carinho
    Quem é que não gosta de ninguém

    Pra você me censurar tem que censurar Adão
    Preferiu viver com Eva não quis paraíso não
    E o mundo então seguiu no mesmo diapasão
    Todo homem hoje em dia tem alguém no coração

    Exceto esses Tribufus, que fazem guerra injusta ao Lula, em vez de fazerem amor

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome