Coronavírus deve mudar a forma como se faz jornalismo

Para colunista do The New York Times, pandemia deve apressar o fim da mídia direcionada à publicidade – e o governo não deve resgatá-la

Jornal GGN – A pandemia de coronavírus não tem afetado apenas os comércios locais e os profissionais autônomos. Nos Estados Unidos, o segmento de notícias locais foi atingido em cheio, mas esse quadro conturbado está abrindo espaço para uma nova geração de publicações – em grande parte, sem fins lucrativos.

“Agora é a hora de fazer uma mudança dolorosa, mas necessária: abandone os jornais locais com fins lucrativos, cujo modelo de negócio não funciona mais, e vá o mais rápido possível para uma rede nacional de novas redações online”, explica o articulista Ben Smith, em texto publicado no jornal The New York Times. “Dessa forma, podemos resgatar a única coisa que vale a pena nas empresas de jornais amplamente mal administradas da América – os jornalistas”.

O segmento de notícias, como todo negócio, tem buscado por toda a ajuda possível nesse cenário de crise. Os analistas acreditam que o pacote de ajuda federal liberado por Donald Trump vai ajudar por algum tempo.

Contudo, enquanto a notícia se tornou algo fundamental para saber como o coronavírus está afetando a sociedade como um todo, o negócio de publicidade que sustentou os negócios locais passou de crescimento lento para queda livre. A receita da publicidade impressa e o envelhecimento dos assinantes já estavam desaparecendo, e é improvável que volte após a crise.

Nos Estados Unidos, estão surgindo alternativas para salvar o setor de notícias, como a organização de publicações sem fins lucrativos, algumas agências de notícias locais com fins lucrativos, e o surgimento de sites pequenos e independentes com assinaturas e boletins de notícias.

Leia também:  Witzel pede ao STJ para depor no inquérito sobre hospitais de campanha

Por outro lado, os responsáveis por grandes redes questionam esse modelo, argumentando que o sonho da publicidade digital em uma escala capaz de competir com o Google é possível, e que eles podem cortar e centralizar seu caminho para a estabilidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Se essa for a tendência, espero que seja, com uma bela seleção de intelectuais, profissionais de vários segmentos das ciências; políticas , sociológicas , investigativas , deverão construir esse novo jornalismo de conteúdo sério, honesto e profissional, reunidos e não pipocando em inúmeros portais, blogs ou canais de youtube, afastando de vez ou gradualmente a pós-verdade, fakenews, boataria e ideologia exóticas extremamente perigosas para o futuro que almejamos para a humanidade .

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome